domingo, 23 de abril de 2017

O descaramento é tão grande que rir a bom rir é uma solução.

A folha inglesa liderado pela dupla ''vais com selo'' e ''bafos da escócia'' gere a coisa jogando em todos os tabuleiros. Puseram um tal Miguel do Faial (conhecido socialista) a acompanhar o careca.

Asneiras não faltam nos escritos deste encapotado, que deu voz a um dos homens que mais ''mamou'' à custa das  sociedades de desenvolvimento nos tempos do anterior governo. É um arquitecto para todas as estações de nome David que continua por aí a exibir muita prosápia. Este emproado tem uma carreira atrelada ao poder enganou e continua a enganar uns quantos ''anjinhos''

Nos anos eleitorais aparece sempre o inevitável agitador Matos um tipo cheio de ''rabos- de- palha''. Este agora quer vender conhecimentos de hidráulica, coisa que não tem. As tontices são tantas que até parece estar a disputar o lugar ao teórico do catastrofismo geológico o conhecido Baptista ( diz- se que anda à procura de tacho).

Mas como a estratégia do panfleto é pescar em todos os lados, então toca a mandar o coitadinho VH e o ''amanuense'' OS para a cobertura do governo.

Um fez de conta que não viu apenas dois comerciantes com a ''menina'' candidata, numa demonstração de estar a obedecer a ordens. É ver ou melhor é ler os elogios que são feitos aos candidatos do partido do governo.

E assim lá continuam os ingleses a gozar na cara do povo e a encher a carteira.

sábado, 22 de abril de 2017

Aquele Pacto  de Estabilidade e Crescimento do cada vez mais ''louvado'' Centeno do Terreiro do Paço ainda vai dar muitos desgostos aos portugueses.

Impõe restrições ao desenvolvimento da economia e fundamentalmente vai prejudicar ainda mais   este pobre país, nos próximos anos. Vai criar ainda mais pobreza e instabilidade social mas também  mais desemprego.

É triste assistir  à satisfação saloia dos governantes portugueses sempre que agradam a Bruxelas.

Livramo-nos de um incompetente, o detestável Coelho sem qualificações e ressabiado  que infelizmente continua a ser gabado por gente ''incorrigível'' desta terra, mas o que aí vem é muito preocupante.

Este ministro das Finanças com a sua obediência aos burocratas não eleitos da UE, faz lembrar uma figurinha que por cá temos.

O de cá trabalha para agradar a Lisboa (e os madeirenses que se lixem) e o de lá coloca os interesses de Bruxelas sempre à frente do bem estar do povo português.
  

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Anda por aí um ''espertalhão'' envergando o fato de líder partidário, um tal que em tempos recebeu fundos europeus para instalar uma fábrica na Zona Franca, falida seis meses após a abertura.

Manda no CDS e tem uma obsessão pelo malfadado ferry.

Quais as razões que levam esta criatura a não parar de tocar este disco riscado??? ...é que já cansa.

Será que ele vê no dito ferry uma forma de resolver o desemprego na região?
Será que ele vê no ferry o segredo para o problema dos transportes aéreos?
Será que para ele o ferry é a ferramenta fundamental para alavancar o nosso crescimento económico?
Será que ele vê no ferry a possibilidade de baixar os preços dos produtos? Se for este um dos casos, é preciso lembrar a este triste líder de si próprio, que as vantagens nunca serão para o povo mas sim para outros já muito ricos.

Pergunta-se ainda a este, se tem alguma ideia para o pagamento dos cerca de dez milhões necessários para a vinda do ferry, seja o navio de um armador espanhol ou do Sousa que já muito ganha com a linha marítima.

Sabe quem ficaria a ganhar com o ferry?

Seria a economia paralela e muito rasca, nomeadamente a que promove  a entrada de carros velhos na Madeira e outros ''negócios'' sem qualquer interesse.

Se não tem jeito para a política (nos negócios já se viram as suas capacidades) dedique-se a outras coisas e deixe-se de tontices.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Se há coisa em que os ''renovadinhos'' são bons é na relação que mantêm com alguns escrevinhadores  da folha inglesa. Aquilo é com um tal que assina VH, com um OD e com um camacheiro que sonha (ou já lhe prometeram a direcção do JM)

Gastam milhares em publicidade (o dinheiro vem dos contribuintes) para que estes escrevam ao gosto do freguês.

Dois mil na Ponta do Sol, dois mil na Ribeira Brava, três mil em Machico, três mil em Santa Cruz,  cinco mil no Funchal, todo este festão enquanto há gente a passar dificuldades. Até parece que estão a gozar com fome das pessoas...

Esperemos pelos resultados.

Ás tantas em certos concelhos serão inferiores aos números apresentados pela folha bem paga, o que não será coisa nova.

Dar de comer a quem tem fome com o dinheiro dos ricos que facturam à custa do estado até pode não ser mau. Mau, muito mau, é haver gente a ganhar muito e tendo à sua beira quem esteja a passar fome.  

quarta-feira, 19 de abril de 2017

O antigo funcionário das finanças que andou pela arbitragem no futebol ( como homem do apito deixou um rasto de incompetência, falta de jeito e acabou despromovido) usou decisões do anterior governo para aparecer nas notícias.

Usa as estradas construídas pelos governos de Jardim, mas diz mal. Esquece que foram as vias de comunicação mais seguras e os túneis que servem as acessibilidades ao Porto Moniz a contribuírem para a tranquilidade e segurança das pessoas que ali vivem, mas também  para o desenvolvimento do concelho e das suas potencialidades turísticas.

''Surfando'' a onda da maledicência típica dos socialistas em anos eleitorais, descobriu e elogiou  a antiga estrada que muitos desgostos deu às populações do norte da Madeira (vê-se mesmo que não passa de uma ave de arribação).

Experimente dizer às pessoas que é melhor usar a antiga estrada e que vai fechar a Via Expresso e os túneis...

Espere pela sua reacção.  


terça-feira, 18 de abril de 2017

Está à vista de toda a gente, a ''criaturinha'' não tem cura.

Bem sabemos que foram dinheiros da aguardente que ajudaram a pagar-lhe o curso. Foram tempos de muito álcool e vinho deitados ao mar em São Vicente ao mesmo tempo que se guardavam os subsídios do governo.

Mas que se passa alguma coisa, disso ninguém tenha dúvidas.

Por alguma razão o chamam ''tó pó''.

Os ingleses da folha continuam a publicar (o ódio daquela gente também não tem cura) os seus escritos doentios.

Está à altura dos chefes da coisa, ou não fosse um tal ''bafos'' a ter o seu nome no cabeçalho!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

A criatura do sorriso cínico voltou a atacar nas páginas da folha onde à socapa parece que também ''manda'' o ''sem malícia''.

Escreve sobre a Região e em particular sobre concessões. Mas que lata tem a figurinha, cujo percurso público tem sido feito à maneira de um ''maria vai com todos'', senão vejam-se as suas ligações passadas ao Trindade, ao Jardim Fernandes, mais recentemente ao homem do gin e em tempos ao tal Freitas que ainda vive agarrado ao emprego que lhe dá a Assembleia.

Aos abraços foi visto com o Sócrates nos anos em este mandava no partido.

Aldrabou nas concessões que também teve, e em negócios turvos, e vem agora falar da Madeira onde as coisas foram feitas dentro da legalidade.

E que tal se fosse para a Guiné Equatorial, gerir o negócio dos medicamentos fora de prazo que por lá lançou?