quarta-feira, 22 de novembro de 2017

É fácil de imaginar o clima que teríamos nesta terra se esta camaradagem socialista um dia chegasse ao governo.

Nas câmaras que têm (três em onze) e nas que albergam desavindos e ''simpatizantes'' golpistas, é o que se tem visto.

No parlamento respira-se traição e ódio. Junto daquele que ainda ocupa a liderança incita-se e pratica-se a  purga.

Nas conversas de salão os  membros do clãs que tudo decidem sem sujar as mãos no avental, assistem      e olham para os pobres de espírito que ainda acreditam naquilo como uma ''gentalha'' submissa manipulável.

Como disse um deles, o que é preciso é vender camas de hotel... facturar, combinar bem as coisas com o Micheal e usar a folha sempre que for preciso.

Como assim quem está a cobrir a caixa do jornal do sócio inglês é o cego de ambição, mas pouco inteligente do Largo do Colégio.

- A ''lebre'' está em queda mas o problema é deles.

- O que é preciso é acabar as obras do hospital para ver se vem algum do governo e arranjar mais umas caminhas de hotel (suites é mais fino).

- Para empapelar aquilo do novo hospital, o subsídio de mobilidade, os juros enfim, dificultar a vida do governo daqui há o camarada Costa.  

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Continuam a gozar com os madeirenses e com porto-santenses.

O subsídio de  mobilidade a que a nossa população tem direito segundo o princípio da continuidade territorial, está a ser objecto uma vez mais de uma espécie da passa culpa, e infelizmente de umas chico-expertices.

Um que foi de novo empossado ministro e que já vem dos tempos da banca rota socrática, em vez de resolver o assunto só empata e cria obstáculos.

A companhia aérea privatizada à pressa pelo do palerma que andou pelos gabinetes salazarentos de São Bento, sem que tivessem sido salvaguardados direitos dos portugueses que nasceram, vivem e trabalham nas ilhas (continuam a ser vistos como cidadãos de segunda), dá o dito por não dito e não quer abrir mão da mama dos milhões que a nossa população é obrigada a deixar amadurecer durante meses nos seus cofres.

Aqui as culpas dividem-se com o ''contabilista'' sem bandeira que tiveram a infeliz ideia de trazer para o governo desta terra, um tal que anda a dar entrevistas ameaçando com chantagens e falando do cumprimento de promessas  eleitorais  e programas que não passaram por si. Saltou à vista que só fez porcaria e nunca governou em nome dos madeirenses e por isso, e bem, foi ''dispensado'' (as palavras são do próprio).

Depois há um administrador não executivo, um menino fino que diz viajar em classe económica, também vendedor de quartos de hotel em Lisboa, que (deve ser mania da família) se apresenta como ''expert(alhão)'' em turismo e outras generalidades. Deu uma entrevista e tão depressa disse uma coisa  como o seu contrário. Acha que os madeirenses e um dos seus governos eleitos, fizeram mal em não apoiar uma aliança com a outra Região Autónoma para criar uma companhia aérea, mas não consegue agora, como então na qualidade de deputado regional apontar as vantagens de tal passo (generalidades...sim em catadupa).

Convida os madeirenses a ''dar corda nos sapatos'' porque diz há por aí companhias aéreas aos pontapés e é só escolher.

Nas suas idas de dois em dois meses à sala da administração da companhia do senhor da ''Barraqueiro'' e do seu sócio brasileiro feito cidadão comunitário, devia questionar os seus pares se eles acham normal que haja uma parte da população do país ( ainda por cima conterrâneos seus) a subsidiar uma da mais rentáveis rotas da companhia que lhes foi parar às mãos da forma que todos sabemos.

Mas, infelizmente o administrador escolhido pelo governo da antiga capital do império está mais preocupado com aquilo que podem dizer os continentais sobre um direito que assiste às populações insulares, se isso ''for notícia''. Uma tristeza...

Não ficou bem explícito se a sua preocupação é apenas com que irão dizer dos ilhéus da Madeira e do Porto Santo, ou se relativamente aos açoreanos acha que não haverá grande escarcéu!

Ou seja está-se marimbando para a situação vergonhosa imposta a todos os que aqui vivem e prefere agradar aos poderes de lá (infelizmente um comportamento recorrente na camaradagem socialista madeirense).  



 

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Perante uma assembleia onde destacava a conselheira especial do ainda ''desfiliado'', a senhora dona da agulha virtual, a rapariga de olho vivo que ajuda a suportar o governo da  geringonça, veio à Madeira fazer insinuações sobre a vontade do Governo Regional cumprir a sua parte na obra de construção do novo hospital.

Claramente mal informada pela sua anfitriã, ou numa de baixa política (o que não é de excluir) acusou o governo desta região de não ter dado um único passo para iniciar a obra e de não mostrar disposição para entrar com a parte que lhe cabe.

Oh!... senhora dona menina, nem tudo é perfeito por aqui, mas não é com visitas de raspão ainda por cima condicionadas por gente que em décadas de política não produziu um ''corno'' em nome do povo que diz defender, que as suas afirmações ganham credibilidade...antes pelo contrário.

Então aquela de dizer que a Madeira não está a ser penalizada nos juros da dívida assumida, é de bradar.

Sim, a obra do novo hospital encontra-se dependente da parte que cabe ao Orçamento da República o qual ainda por cima não prevê qualquer verba no orçamento de 2018.

Sim, está a ser feita uma vergonhosa descriminação aos madeirenses nos juros que a nossa população tem de pagar.

Sim, o governo que apoia faz vista grossa à apropriação pelo Açores das verbas da Segurança Social enquanto  nós somos obrigados a enviar para Lisboa até ao último cêntimo.

Ficamos à espera da sua disponibilidade para discutir este assunto lá por São Bento.



domingo, 19 de novembro de 2017

Parece que o  Orçamento continua a prever a atribuição de 600 mil euros para a realização do capricho ''extreme''  qualquer coisa... aquela espécie de ''a maré está cheia e o barco não anda''.

Faz-se tanta ginástica para arranjar dinheiro para a saúde e para a educação e mantém-se o balúrdio  para os barquinhos do mano do dispensado?

Está mal, muito mal, como merece censura, também,  a preocupação em arranjar dinheiro para a manutenção de campos de golfe.

Há prioridades e prioridades e não fácil de compreender esta preocupação com negócios que nasceram privados. Se os estudos económicos que os suportaram à nascença falharam, alguém que acarrete com a responsabilidade da incompetência, mas não se deite mão aos impostos pagos por todos aqueles que não têm rendimentos para se  passear pelos praças especializados em gestões criativas . Pensem no bem comum e não nos problemas de um cidadão que já leva para a sua folha diária pouco independente, um milhão por ano. Deixem -se de ceder ao lobista que parece querer continuar a andar por aí.

Já agora cuidado com os projectos do espertalhão (jogador de vários tabuleiros ) da zona oeste, como se sabe responsável pela protecção ao camacheiro resgatado aos ingleses e a um inculto vindo as bandas socialistas.

Há muito dinheiro gasto sem qualquer utilidade.

Acabaram duas secretarias e supostamente pouparam-se verbas.

Pense-se no estado da saúde, dos chamados assuntos sociais, nas carências da educação, na agricultura e nas pescas, no que é preciso fazer em matéria de ambiente.  

sábado, 18 de novembro de 2017

Alguém tem memória de alguma coisa de jeito feita por um figurão (...inha está mais de acordo com o perfil do dito) nos anos em que passou pela secretaria de estado do turismo?

É claro que não, mas mesmo assim a malta da folha achou por bem convidar o idiota chapado (deve ter sido por uma questão de custos) para palestrar numa entrega de umas quinquilharias a uns empresários da terra.

Como seria de esperar o homem mostrou em todo o ''esplendor '' a sua fraca qualidade e conhecimentos. A sala também era fraca, espalhados pelas cadeiras encontravam-se essencialmente funcionários do organizador, do conhecido hoteleiro que tem a concessão do espaço e de um grupo agora berlinda.

Quanto ao evento é cada vez mais uma uma ''festinha'' desinteressante que só serve para a folha sacar mais algum através de publicidade.

Aquilo deu para tudo.

Para além de umas palermices que se ouviram sair da ''vozinha'' do fitinhas coloridas nos punhos do bracinho, a propósito de robótica, também foi visto muito sorridente ao lado do mano um tal que não deixou saudades aos madeirenses quando andou pelo governo.

Graça a Deus que foi corrido ou como ele diz ''dispensado''.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Lá pela folha eles andam a salivar com os problemas de José Berardo e das instituições criadas pelo falecido Horácio Roque.

O que as bestas evitam falar (é claro que não lhes convém ) é da entrega de apartamentos do falhado projecto da Quinta do Palheiro Golfe ao BES, e que ajudaram ao afundanço e falência do banco.

Esta é mais uma prova da burla que eles têm o descaramento de apresentar no cabeçalho (Diário Matutino Independente) da porcaria interesseira e alinhada que continuam a publicar.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Andam por aí dois candidatos.

Um armado em tecnocrata mas incompetente e o outro verdadeiramente folclórico e sem bases.

Venha o diabo e escolha, mas o problema para já é do albergue.

Um foi descoberto já lá vão uns anos, por um cidadão inglês aqui residente, que parece ter-lhe achado piada e por isso resolveu testá-lo nuns esquemas numa  associação empresarial. Hoje segue  os caminhos da política e comprometeu-se com certos clãs, mas estes já não o podem ver e por isso está na corda bamba.

O outro é difícil de qualificar. Como pessoa é reles, como dito político, é comprovadamente um golpista que se presta o todo o tipo de trabalhinhos para agradar ao grupo que mexe os cordelinhos na penumbra e não quer sujar as mãos.

A verdade é que pelas mãos de algumas destas ''personagens'' (o simpatizante é um exemplo) passam decisões que interessam aos manipuladores, que pouco se importam com a qualidade e competência das suas marionetes.

A triste realidade é que circula por aí uma porcaria de gente a viver da política, uns agachados a tudo o que vem do lado de lá, uns vendidos!      

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

O ''gilinho'' o derrotado cismou com aquela coisa dos dinheiros conhecida por ''jackpot''.

Acompanha com mais esta investida a campanha que a folha ciclicamente faz a propósito do tema.

A personagem que através de uma golpada se senta hoje nas bancadas da Assembleia Legislativa Regional na qualidade de deputado ''independente'', tem no seu currículo a mancha de nunca ter justificado no Tribunal de Contas a utilização de dinheiros públicos entregues a uma organização política que integrou com gente pouco recomendável, a qual acabou extinta pelo Tribunal Constitucional, mas teima em apresenta-se à sociedade como pessoa séria. Não cumpre, nem nunca cumpriu, qualquer ética nos anos que anda a conspurcar a política desta terra.

Nunca pariu uma única ideia válida, uma iniciativa com o objectivo de melhorar a vida da nossa população. População que através dos seus impostos lhe paga mensalmente um ordenado.

Quanto ao famigerado ''jackpot'' ou lá o que é, nem na República, nem nos Açores se mexeu nos valores, mas isso não interessa ao agitador e aos seus amigos da folha que anda desesperada com a corda ao pescoço a pedir dinheiro.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Pouco antes de ter chegado ao poder nas condições que todos conhecemos, o antigo primeiro-ministro Sócrates deu uma entrevista a uma revista nacional que ficou para a história pelo número de citações puxando ao intelectual e culto e pelas ideias delirantes que ele lá deixou expressas.

Ali estava em todo o seu esplendor um maníaco, um megalómano todo cheio de si. Nasceu a fábula do ''animal feroz'' o protagonista do ''trailer''do filme de terror que já com outro actor no papel principal foi um mancha na vida recente deste pobre país.

Apareceu agora uma sequela de baixa categoria, com um fraco actor que também é citador. Também fala de livros que por certo apenas folheia. Por exemplo, terá tocado num (até nem sabe o nome, mas como acaba de sair e está na moda...) e cheio de si colocou-lhe logo o rótulo de ''interessantíssimo'', científico entre outras pérolas.

Apresenta-se tal como o outro de má memória, como um adepto da banda larga. A terminologia é usada não no sentido tecnológico como o fez até à exaustão o figurão hoje a contas com a justiça, mas numa rebuscada fórmula abrangente, ou seja, o homem tanto gosta de espetada de carne de vaca como de filete de espada com maracujá e banana e já agora com uns tremocinhos a acompanhar.

Diz que gosta de música de jazz, bossa nova (para puxar ao fino e intelectual), não diz mas vamos acreditar na sua largura de banda e apostamos que também aprecia o baile pesado e o ''Ai destino'' do Carreira

Confessa-se adepto da meditação (está explicada a calvice a que se impôs). Assim não há penteado que o distraia quando pede orientação divina para a sua marcha em direção ao sonho.

Sim, marcha porque para correr há a elogiada lebre, o único ser lá pelas bandas socialistas com capacidade de organizar o saco de gatos em que aquilo está transformado, afirma sem vergonha, branqueando o passado do mamífero nos relvados de futebol.

Não tem cartão de militante mas o PS  e o seu ADN (mas o que é isso ) e a ideologia socialista (por amor de Deus o que é isto) são a sua paixão na política.

Não vota, mas está com a lebre do norte e quem sabe (ainda não disse mas já deve ter meditado sobre o assunto) vai entregar-lhe o apoio da sua conselheira especial. Agora aburguesada não será difícil convencer a madame a mudar de partido. O problema é o ''naperon'' a prenda que pensou que ela fosse capaz de bordar, mas a realidade é triste... afinal estava enganado.Ela nunca soube bordar.

É um ente deste calibre, um leviano do pior, que quer subir na escala da política desta terra.

É este mestre do cliché que recebe jornalistas orientados, em gabinetes decorados com fancarias budistas e com fotografias de miitares revolucionários e do seu amado líder Costa (já agora porque não fotografias da lebre do norte, do cabeça de casal da Ponta do Sol, da madame conselheira, do Papa, do Guterres??? )

Esta espécie de evangélico sonso acha-se a luz (está lá na entrevista) que irá iluminar as eleições daqui a dois anos.

É melhor fugir enquanto é tempo.

Há anos através de uma entrevista ficámos a conhecer o ''animal feroz''. Seguindo idêntico guião acaba de se apresentar um falso humilde.

Já agora, será que a ideia partiu dos mesmos ditos ''experts'' os tais que se fazem pagar bem?
É que até parece...



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Basta um olhar para as capas para ver escarrapachada a mentira.

Ao exibir a palavra ''independente'' no cabeçalho, a folha insulta e quer fazer-se passar por aquilo que não é nem nunca foi.

Como se não bastasse a falta de decoro, o tipo que a dirige a coisa obrigando aqueles que lá trabalham a violentarem princípios básicos de ética e independência, vem agora falar em imprensa livre.

Como?

Alimentam o projecto à custa de dinheiros subtraídos ao povo por gente interesseira e sem escrúpulos e o homem proclama uma pureza de princípios qual sacerdote do alto do púlpito?

Os coitados sob a as ordens do sinistro chefe, são obrigados (falem com eles) a publicar na íntegra e a assinar matérias que lá chegam enviadas por câmaras e organizações amigas que compram e pagam balúrdios  por  informação favorável e o homem fala em imprensa livre?    

Usaram um que já saiu do governo para fazer entrar nos cofres da sociedade inglesa, directa e indirectamente, um bons milhares que os salvaram da falência, continuam a tentar interferir na escolhas do nosso povo, protegem as castas e clãs associadas aos seus patrões, cobram fortunas a uns tontos incultos que andam por aí armados em políticos, enchem as suas páginas de fretes que saltam à vista de todos, e o director fala em imprensa livre?

Vá dar uma volta ao bilhar grande!    

domingo, 12 de novembro de 2017

Há muito quem passa pela zona se São Martinho sentia um cheiro intenso a bacalhau com todos.

Confirma-se.

Um dos donos o que tem o nome do peixe (com maiúscula é claro), é íntimo da máquina socialista nos dias de hoje comandada pelo manobrador da geringonça e associados e é parceiro do clã das três famílias que mandam e desmandam no PS daqui.

Os meninos e as meninas amigos da ''movida'' do Bairro Alto e o ''pobre''  adorno colocado na liderança do partido da foice e do martelo, estarão conluiados com o usurpador do poder numa conspiração que visa adiar o mias possível a questão do novo hospital da Madeira (pelos menos começa a correr por aí)

Será que eles pretendem  garantir a rentabilidade do projecto que nasceu a partir das três famílias que dominam há anos o partido da esquerda caviar aqui na Madeira?

Há quem diga que o manobrador da geringonça está por dentro da jogada e é um dos apoiantes activos da jogada.

Estarão eles a pensar forçar o governo regional a fazer acordos com a nova unidade hospitalar a nascer, dando assim um certo conforto à sociedade que estará apreensiva com o futuro do projecto já lançado no terreno?

Estarão a temer que o novo hospital lhes troque as voltas e aos estudos económicos que mandaram fazer?

Há muito dinheiro gasto neste ano. Foi o estudo, é a obra, mas também o dinheirão derramado na campanha do tal que se diz simpatizante do partido.



  

sábado, 11 de novembro de 2017

O que é que o ainda líder dos socialistas daqui, o jocker da cabeça lisa, simpatizante desses mesmos socialistas e preferido do chefe da geringonça, mais os seus histéricos apoiantes, lebre do norte (este como é um básico não terá nada de jeito para dizer) e o senhor ''primeiro damo'' (outro que tal) e já agora o ''almadinha'' a sua protectora da agulha e o senhor padre que virou as costas ao altar,  podem fazer o ''favor'' de dizer à nossa população sobre a vergonhosa dualidade de critérios praticada por Lisboa em relação às Regiões Autónomas?

Então eles permitem que o  Governo socialista açoreano pegue nas verbas das retenções da Segurança Social, da Caixa de Aposentações e do ADSE  e as aplique na conta corrente da região, enquanto a Madeira é obrigada a entregar as verbas aqui retidas aos cofres de Lisboa?

Não têm uma palavrinha, uma simples palavra de censura sobre esta pouca vergonha?

Estamos perante um verdadeiro escândalo que prova como  eles olham para as duas regiões.

Se uma é da nossa cor fechamos os olhos, se a outra escolhe diferente toca a castigar.

Infelizmente tem sido a regra nos últimos anos, agora com estes usurpadores do poder cegos de partidarite, mas também com um tonto que tivemos de aturar. Este em princípio era da mesma cor política mas decidia em função das suas ''simpatias'' internas, uma brincadeira que custou muito caro aos madeirenses e aos porto-santenses.

Entretanto, somos obrigados a assistir à tristeza de um  ping-pong entre um ministro e uma secretária de estado. Coitadinhos os dois andam a dizer que desconheciam a situação.

Quanto aos sabujos daqui continuam entretidos na porcaria do seu jogo de traições.

Eles querem lá saber...

 







sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Às vezes até parece que eles estão a testar até onde pode ir o descaramento.

Há poucos dias obrigaram um dito jornalista (só pode ser) a publicar e assinar um anúncio pago elogiando o trabalho dos socialistas em Machico ao mesmo tempo que eram deixadas críticas ao principal partido da oposição.

Aquilo são cadernos, anúncios e artigos publicados tal qual lá chegam, sem filtros e tratamento jornalístico. Desta forma e sem qualquer pudor, manda-se às malvas o código deontológico e aumenta-se a facturação com dinheiros retirados aos impostos pagos pelo povo.

Um milhão por ano é quanto custa a vergonha.

Em jogo está dinheiro suficiente para pagar em vinte anos as expropriações dos terrenos necessários à construção do novo hospital, ou no mínimo dez por cento do custo total da obra.

E assim vai a corrupção informativa com a chancela da folha vendida.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

A Madeira continua a ser maltratada pelos governos de Lisboa.

Então com este a coisa é escandalosa.

Veja-se a questão dos juros que estamos a pagar no empréstimo concedido à Região.

Enquanto eles por lá pagam entre um e dois por cento, nós somos obrigados a suportar a barbaridade de uma taxa de cinco por cento, mas mesmo assim, os agentes do poder central instalados no partido socialista daqui, os que ainda lá estão, mas também aqueles que lá querem chegar, fazem da submissão a sua forma da vida.

O acossado ''pereirinha'' tudo faz para agradar ao chefe da geringonça pensando que assim poderá ser premiado com alguma atenção. Até parece que lhe deram a beber lá pelas lisboas onde vive provisoriamente, uma mistela com a receita do seu próprio veneno.

Veio agora defender a devolução dos aumentos dos impostos que penalizaram duplamente a nossa população devido à intervenção da troika  e à imposição do Plano conhecido por PAEF.

A desgraça aconteceu com um primeiro-ministro do PS hoje a contas com a justiça, um personagem que foi entusiasticamente apoiado pelo cínico .Já agora era bom que dissesse alguma coisa sobre o caso em que está enredado o seu amigo e camarada que desgraçou o país ao mesmo tempo que se orientava.

É bom lembrar que foram mais de duzentos mil milhões em impostos que esmagaram o povo.

Foram anos negros para os madeirenses e porto-santenses e também para este pobre país que teve a pouca sorte de trocar uma figura pouco recomendável por um traste vingativo. Uma verdadeira besta foi para o lugar de um trafulha.

Mas, voltando ao ''nosso pereireinha'' e a propósito de devoluções é preciso lembrar-lhe que basta o PS, partido que representa em São Bento, e os seus parceiros na geringonça, PC, o BE e aquela coisa vermelha a que chamam Verdes tomarem a iniciativa de devolverem à Madeira os juros roubados e será mais fácil construir o novo hospital.

Mexa-se e prove que eles afinal lhe passam cartão.


  

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

O tipo deve andar desorientado com as rasteiras da lebre do norte e do ''primeiro amo'' da Ponta do Sol.

Estes dois estão a dar-lhe cabo da cabeça com o projecto que visa desaloja-lo do poder no partido e abrir caminho ao ''independente'' que se diz identificado com o PS, mas que anda de braço dado com todo o tipo de oportunistas e indigentes a quem dá guarida usando os dinheiros do povo.

Como se não bastasse a víbora que comanda o PS e aquela ''pérola de governo'' lá pelas lisboas não lhe passa cartão.

As desconsiderações são constantes e começaram com a escolha dos candidatos ''xuxas'' há dois anos, mas ele persiste em desculpabilizar as artimanhas do Orçamento de Estado (faz tudo para cair nas graças daquela gente) nas matérias que dizem respeito à Madeira (dinheiros que nos são devidos e não chegam, continuidade territorial e muitas obrigações consagradas no texto constitucional e que continuam a ser ignoradas pelo Terreiro do Paço).

É caso para pedir a este líder a prazo que se deixe de tretas porque eles não o gramam e há muito detectaram os seus maus azeites.

Não se arme em representante de Lisboa a propósito do novo hospital, como é aquela barbaridade de acusar o governo da Região de responsabilidades no atraso do processo e de ainda não ter procedido à abertura do concurso para a obra.

Ou é mesmo um grande incompetente ou está aldrabar (que não é de fiar já todos sabemos), porque devia saber que a lei não permite a abertura de qualquer concurso sem haver a garantia do financiamento através da lei dos compromissos. Se por acaso o governo regional avançasse com cinquenta por cento dos custos da obra, tal verba como está às escancaras, não seria suficiente.

É preciso que o Estado através do OE de 2018 garanta idêntico valor.

Este incorrigível ''pereirinha'' ou é ignorante ou está agir com má fé seguindo o chefe da geringonça (em mais uma tentativa de cair-lhe nas boas graças).


 

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Os chamados Panama Papers parece que vão voltar em força escarrapachando verdades inconvenientes para uns certos espertalhões que teimam em aparecer quais anjinhos sempre que se trata de falar em matérias fiscais, como se percebessem alguma coisa do assunto, para além do jogo de cintura  que fazem para a fugir às suas obrigações para com a comunidade pagando os seus impostos.

Impostos? ...o que é isso, o povo que pague.

É  esta a matriz do seu comportamento oportunista.

De quando em vez lá aparece o tal bipolar com ideias para a instalação de um paraíso para todos os habitantes desta terra.

Volta e meia (não tem emenda nem vergonha este) lá vem aquela de uma zona especial para toda a Região, mas com a grande fatia do bolo concessionada sem concurso aos mesmo de sempre.

Haver uma nova politica no IRC de forma a que as nossas empresas possam contribuir para a riqueza da Região criando emprego, tudo bem. Agora manter o status quo, não muito obrigado!

A nossa população está farta de lobistas instalados nos centros de decisão. Os madeirenses esperam que este tipo de gente que prejudica as suas vidas seja desmascarada e colocada no seu devido lugar.

A folha aberta a quem dá mais é como se sabe um instrumento dócil ao serviço de artimanhas e como se viu recentemente lá publicou sem contraditório (pobre jornalista) mais umas historietas inspiradas na fábula do lobo mau.

O problema é que de tanto ouvir a fábula , o povo há muito interiorizou que tudo aquilo é ficção e já sorri com condescendência ao ver que o lobo insiste em aparecer com pele de cordeiro e por isso não o levam a sério... o nosso povo não tem pachorra para ouvir tontices.  
  

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

A entidade a quem compete fiscalizar as contas da actividade política ainda nada disse, mas já é tempo de saber-mos alguma coisinha sobre a fortuna gasta na campanha que reconduziu o presidente da autarquia do Funchal.

A dita esquerda do espumante faz de conta (aquilo borbulha mas é muito mau) e do sucedâneo de caviar, através dos clãs que dominam o PS mais uns derivados das ideias das esquerdas radicais conhecidas por espezinhar os povos, representadas pelo casal Matos e pela anafada madame que nunca enfiou uma única linha na agulha, mas que insiste em apresentar-se como bordadeira alinharam no embuste de Outubro.

Depois houve aquela gente contratada  a peso de ouro em Lisboa (a propósito ainda andam por aí? Consta que estão a dar uma mãozinha à lebre do norte) e a vergonha do trânsito de facturas entre o Largo do Colégio e a Fernão de Ornelas onde se funcionou e continua a funcionar uma fábrica de textos bem pagos com dinheiros do nosso povo.

Ali a prepotência das chefias intimida os pobres escribas obrigando-os a produzir matérias que são autêntica propaganda. O malcriado dos domingos, é pago para denegrir e segundo consta escreve a porcaria em horas de tempestade e muita fumarada.

Entretanto, julgando-se ungido e impune o grupo cafofiano continua a engrossar a sua clientela.

Foi a anafada esquerdista que teima em mentir dizendo-se mulher da agulha, é o rebento da lebre do norte também com o seu tachinho, é o escândalo de um indigente e aldrabão que andou a fazer negócios à custa de pessoas incapacitadas, é o descendente do fabricante de zurrapa.

Lá pelas lisboas há um tal Oliveira das sondagens mal-amanhadas(publicadas por tudo e por nada na folha) também em processo de engorda à custa dos dinheiros do povo madeirense.

domingo, 5 de novembro de 2017

O ''gilinho'' parece que não está a digerir muito bem o facto de não ter sido eleito.

Ninguém lhe passa cartão o que é um tormento para a personagem de opereta que o caracteriza.

Escreve sob ataques de refluxo, atribuindo a outros comportamentos aprendidos em casa. Fala de gatunagem, logo ele um sem água para o banho, que viu gente próxima obrigada a precipitadas travessias atlânticas... vá lá saber-se porquê.

Hoje em dia, tem à sua beira uns ''trombadinhas'' disponíveis para ajuda-lo a lavar a imagem e a incensar o seu fraco ego.
  

   


sábado, 4 de novembro de 2017

O Partido Socialista daqui é uma organização vergada ao controlo de três famílias hoje com fortuna feita à custa da Autonomia.

Na verdade, antes do vinte e cinco do quatro, não passavam de uns falidos.

Fizeram um pacto com os ingleses tornados parceiros de negócios e ensaiaram nas páginas da folha a  tomada do poder mas mas o povo sempre os rejeitou e aos incapazes que foram lançando para a arena política.

Com os irmãos ingleses e as alianças com as várias obediências da irmandade do avental arrastaram para a causa uns idiotas úteis carentes dos ambientes de salão, alguns vindos da área do partido do governo.

A folha que exibe sem decoro a palavra independente no cabeçalho, arregimentou para as suas redacções, durante décadas e décadas serviçais, uns razoavelmente pagos e outros explorados mas todos com prazo de utilidade cada vez mais curto.

Nos últimos anos aquilo tornou-se em uma espécie de bordel informativo aberto a quem mostre disponibilidade para dar mais.

Deitaram nos caixotes do lixo todas as regras da ética e da deontologia jornalísticas e escolheram viver em proveitosos conluios, promovendo nas suas páginas todo o tipo de bicho-caretas que povoam a baixa politica desta terra como é agora o caso de um já conhecido pela ''lebre do norte'', o qual não passa de um pau mandado dos conhecidos clãs que há anos tudo decidem sem sujar as mãos na porcaria em que está transformado o partido da mãozinha fechada.

O que estes novos provadores de champanhe (ou será que se contentam com o espumante rasca do burgesso sem acesso às casas dos ricos? ) querem é ver publicadas na folha  propriedade do seu sócio inglês loas ao hospital para castas selecionadas ainda em construção. Importante para eles é ver os seus hotéis cheios, enquanto escravizam os trabalhadores a quem pagam ordenados miseráveis.

Esta gente não quer perder a mama dos subsídios públicos que lá vão disfarçando o estado de agonia em que se encontra o seu campo de golfe e ouros negócios sob o seu controlo.

A tomada e o controlo do poder sempre foi o projecto desta união de facto entre madeirenses agachados a Lisboa que têm em estado de sequestro aqui na Madeira um partido politico e um grupo empresarial estrangeiro ao qual uns ditos importantes (traidores alguns) fazem a vénia, conseguido assim ter acesso às páginas da folha.





sexta-feira, 3 de novembro de 2017

O ''almadinha'' protegido e incentivado pela senhora dona esquerdista vendida à turma cafofiana, é uma personagem conhecida por várias razões mas não por qualquer crédito adquirido na sua longa  passagem pela política. 

Saiu-se agora com mais uma das suas costumeiras asneiradas.

Com a rédia curta que lhe é concedida pela senhora que agora vemos abraçada ao golpista, o tal  que quer chegar longe mas sem sujar as mãos na miltância (ele acha-se um escolhido) o rapaz que fala aos gritos terá tido uma folga e soltou a língua dizendo que o futuro da Madeira passa pelo chamado bloco, a pindérica organização onde anda sob a disciplina férrea imposta pela anafada ditadora. 

Nas recentes eleições no conjunto dos concelhos onde apresentou candidatos a antiga UPP agora amancebada, não terá chegado aos setecentos votos, mas mesmo assim ele tem a lata de se julgar alguém importante.

Este e a agora conselheira do inqualificável do Largo do Colégio, ainda não perceberam que o seus créditos andam pelas horas da amargura junto do povo que andaram a enganar e então toca a bater às portas dos golpistas. 

O instinto de sobrevivência é tramado!       
   

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

A promiscuidade continua lá pelos lados do Largo do Colégio.

Num sinal de agradecimento à senhora dona esquerdista (que há quarenta anos não pega numa agulha) o careca voltou a conceder-lhe o título??? de conselheira da turma cafofiana, dizem os aldrabões sem direito a remuneração.

Mais uma ''mentirada''.

Na verdade  senhora dona agitadora da paróquia da esquerdalha, continua a amealhar uma pensão que se diz anda à volta dos 4 mil euros, a que se junta mais uns bons dinheirinhos à custa do ''grande líder'' desaparecido e só por isso não pode legalmente receber mais oficialmente. O que ela não deita fora são as senhas para despesas.

A senhora dona vendida à benesses do poder cafofiano continua a apresentar no seu currículo uma carreira de bordadeira profissão que deixou de exercer há mais de quarenta anos (se é que alguma vez pegou numa agulha e num guardanapo de linho). Conseguiu inscrever -se no Grémio dos Bordados aproveitando a trapalhada do 25 e ficou com um apartamento construído pelo dito grémio, onde ainda vive, segundo se diz por aí.

São oportunistas deste jaez que gravitam à volta do careca.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Já alguém parou para pensar na calamidade que seria ver os inqualificados que apareceram  numa sessão supostamente de apresentação de qualquer coisa aparentada a política a assumirem os destinos desta terra?

Se um andou pelos campos de futebol envolvido em esquemas e altas trafulhices e por isso acabou irradiado, o outro por uma má conjugação dos astros, ganhou eleições à custa de milhares surripiados ao povo e da distribuição de tachinhos e já ninguém tem dúvidas (mesmo muitos daqueles que o incensaram) é alguém de personalidade pouco confiável (a mentirada tem sido tanta) e com um gosto especial por golpadas.

Há imagens onde se vêm os dois abraçados.

Selado pelo abraço ficou à vista de todos que eles enganaram as populações que os elegeram há apenas trinta dias.

Por isso deveriam ser censurados com todas as consequências.

Aquele que foi proibido de apitar pensa que os esquemas que têm sustentado a sua passagem pela politica (baixa) funcionam em patamares para os quais ele não tem categoria nem habilitações.

Vive da golpada e encontrou as almas gémeas no cabeça de casal da Ponta do Sol (o primeiro ''damo'')  e no joker que o povo mais cedo do ele pensa irá colocar fora do baralho.







terça-feira, 31 de outubro de 2017

Parece que vem chuva esta semana, mas a verdade é  que a época de incêndios pelas bandas socialistas não vai acabar prevendo-se até um agravamento do estado da coisa.

Vem aí uma moção de censura ao governo apresentada pela ala ''pereiriana'' do partido (ele e mais ninguém). O ainda líder tirou um curto período de férias, suspendendo a sua estada em Lisboa, e promete sob a sua batuta fazer levantar dos acentos parlamentares em sinal de obediência, os cinco herdados do cabeça de casal da ''primeira família'' da Ponta do Sol, incluindo o conspirador responsável pelo desastre socialista de há dois anos?

A acontecer será uma cena digna de se ver.

Na tribuna aquele que se julga capaz de continuar ao leme enfrentando a tormenta interna, e na bancada o agente no terreno que lhe corrói a vida alinhando no projecto que tem em vista corre-lo da liderança.

Juntos na circunstância, serão a imagem de um partido em cacos que insiste em ser visto como alternativa de poder.

Neste jogo sem árbitro, encontra-se o demagogo que anda a enganar as populações nortenhas (estará ocupado no sopro para o pontapé de saída do seu jogo por enquanto muito particular).

Á distância de um quarteirão??? estará alguém a polir a cabeça imaginando-se de poltrona a assistir à inconsistente rábula montada na Avenida do Mar pela ala ''pereiriana'' (ele próprio e mais ninguém).

Entretanto já deve ter sido enviada a factura da farsa publicada pela folha que se faz pagar bem.  

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Eles lá pela folha continuam a pensar que ainda há muita gente disponível para lhes a aparar as golpadas.

O serviçal mor por exemplo, ainda pensa que atemoriza e condiciona.

Pode escrevinhar, romancear, combinar os enredos do negócio com os capatazes com acesso à torre de comando, mas as suas opiniões valem o que valem e vendem muito pouco.

Apoiou o tipo da agricultura, vendeu as virtudes de uma espécie de meteoro chamado Brito, enalteceu   e continua a ver qualidades??? no pedante ''Edu'' e aos seus devaneios familiares a quem nem o vento deu ajuda, continua a ver no ''sem malícia'' coisas que ninguém é capaz de vislumbrar (pudera à custa do ''afastado'' que ofereceu o jornal, estão a facturar directa e indirectamente um milhão de euros ano).

Julgando-se credível (coitados de uns bem conhecidos que lhe fizeram a corte pensando que assim chegariam longe e hoje são uns entes que se arrastam pela cidade, num casa trabalho??? trabalho casa???) está a tentar retomar a cruzada contra o partido que é ódio de estimação da folha de obediência à irmandade do avental.

Eles pensam que o povo está a dormir.

Iludidos por uma breve melhoria nas contas( à custa de dinheiros surripiados aos nossos impostos) estão a revelar pouca esperteza.

  



domingo, 29 de outubro de 2017

O homem exibe um licenciatura nas fichas de deputados, lá pela assembleia de São Bento, mas como diz o povo mais parece ''uma besta quadrada''.

Está para saber se por influência da senhora bordadeira esquecida dos pontos básicos e do uso das agulhas da profissão, porque há mais de quarenta anos não sabe o que é trabalhar, a verdade é que o inútil que se senta na bancada do chamado bloco, saiu-se com uma de bradar aos céus.

Então ele acha que o governo da Região deveria abandonar as obras já iniciadas que visam acabar  estradas fundamentais à melhoria das acessibilidades da nossa população, e assumir à sua conta a construção do novo hospital?

Será que o demagogo, vendido à geringonça do usurpador, duvida  que a construção do hospital cabe pelo menos em cinquenta por cento ao Estado?

O novo hospital é uma obra estruturante que será colocada ao serviço do país e este palerma na sua cegueira obediente é incapaz de reivindicar junto a República o cumprimento da lei e dos compromissos já assumidos.

Não, ele não apenas acha que deve ser a Madeira a pagar a obra, como se faz esquecido das obrigações do governo que apoia, em matéria de políticas de saúde, transportes e acessibilidades, e libertação de dinheiros que são nossos.

Este é mais um que se vendeu em nome de um ''tachinho''!

sábado, 28 de outubro de 2017

Não há ''experts'' em comunicação, não há manipuladores encartados que os salvem.

Eles aldrabaram quando prometeram tudo e mais alguma coisa à população das chamadas zonas altas da cidade, eles agitaram dinheiros que não têm para pagar propinas aos estudantes madeirenses, eles alimentaram com dinheiros do povo uns palermas que se dizem muito culturais, eles andaram a dizer que primeiro estavam as pessoas, mas na verdade colocaram em prática uma encenação tipo vale tudo em nome da tomada do poder.

De boca cheia falaram de milhões e mais milhões, como se a cidade do Funchal tivesse sido construída sobre um lençol de petróleo  e nas suas montanhas houvesse minas de diamantes.

Agarraram-se ao poder e são gente perigosa, porque desqualificada.

Agora que ganharam eleições, está a faltar-lhes o chão que pisam e ao constatarem a cada dia que passa que a careca está lisa (no sentido literal) toca a pedir ao governo para pagar os seus delírios e mentiras.

A jogada é baixa.

Então, o governo adiantava para eles cumprirem o que levianamente acenaram às pessoas, comprometia o seu programa, e os tipos iam logo para a dita social(que se fartam de alimentar com dinheiros que não são seus) acusar o executivo da Região de nada estar a fazer.

É à volta de uma farsa deste calibre que ainda andam uns quantos tontos.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Anda a circular na ''baixa política'' um tipo que foi ''lambuzador'' do antigo líder social-democrata, mas que numa demonstração do seu crárater (ou falta ) não perdeu tempo e passou a cirandar à volta do novo líder e do seu governo. Segundo consta, conseguiu umas coisas para as suas empresas e projectos, o que não merece qualquer crítica, porque é com empresas saudáveis que se cria emprego e riqueza.

O que já não está bem e merece censura, é a duplicidade do seu comportamento no recente período eleitoral, onde o descarado andou numa de fingimento, dizendo-se apoiante da candidata do PSD, sendo muito activo na promoção almoços e jantares que até passaram pelos salões presidenciais.

As juras de apoio eram tantas e descabidas que chegaram a provocar muitas desconfianças, comprovadas agora que se conhecem  as suas generosidades financeiras a favor da campanha do candidato vencedor.

Justo vencedor, diga-se, da eleição para a Câmara da Ribeira Brava no passado dia 1 de Outubro.

Mas a coisa não acaba aqui.

Então não é que o ''jogador'' colocou na chefia de gabinete do presidente reeleito, um funcionário das suas empresas.

É por estas e por outras...  

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Há um deputado socialista preocupado com a ida do chefe da turma ''cafofiana'' ao parlamento regional para falar sobre a tragédia que aconteceu no Monte em agosto, durante o seu mandato na Câmara do Funchal.

Morreram pessoas, há famílias enlutadas, há muito por explicar mas o tipo da assembleia acha que só pelo facto de alguém ter ganho uma conjuntural maioria (muito à custa de esquemas e gastos sumptuosos retirados aos dinheiros do povo) não vê razões para a a diligência parlamentar.

Era o que faltava!

Agora que se sente investido no papel de segunda figura da Ponta do Sol (membro do primeiro casal uma espécie de primeiro ''damo''...é melhor não lhe dar ideias. senão ele ainda incha mais e faz sombra ao vermelhão anafado que se senta ao seu lado ) já se põe a imaginar o que lhe reservará o futuro em 2019, ameaçando com mais capas e cadernos de propaganda paga em nome do projecto de poder sem cabelo que quer apadrinhar.

Mas alguém leva a sério o palerma?

Não dizemos que vive em estado de loucura, porque ainda é cedo, mas que os sintomas de delírio são cada vez mais evidentes...são!

E no PS, ninguém questiona a criatura sobre o seu papel na Assembleia? Então senhor líder Pereira? Anda distraído por Lisboa? Ainda não conseguiu falar com o Costa ou no mínimo com alguém próximo? Cuidado que dizem que aquilo é veneno.

O daqui terá sido eleito para defender as ideias do partido, ou já assume de facto o papel de agente de um, que mesmo sem ter assinado a ficha de candidato a militante, pretende tomar de assalto o poder?

Golpismo é coisa que não tem faltado a este triste Partido Socialista daqui, um partido que teima na obediência a Lisboa  e ao usurpador de São Bento (veja-se o estado de raiva do vermelhão que se senta na Avenida do Mar quando alguém disse mal do seu amado líder).

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Em nome de um projecto de poder (usurpado) juntaram-se mais uma vez os interesses clientelares  das esquerdas personificadas no PS no chamado Bloco no PC e agora também no PAN para defenderem um primeiro-ministro e um governo irresponsável, incompetente e claramente incapaz de saber lidar com as calamidades que roubaram  mais de cem vidas, enlutaram populações e destruíram  parte deste pobre país, pouco afortunado nos últimos anos com os governantes que tem tido a desventura de suportar.

Aqui na Madeira, concretamente no Monte, também morreram pessoas e o que se viu da parte de uma camarilha aparentada com os de lá, foi a defesa dos tachos a todo os custo. O principal responsável cedo tentou sacudir as culpas fazendo jogos de palavras orientado por ''mercenários da informação'' muito bem pagos com o dinheiro do povo, e activando o ''sequestro'' de uma folha também à custa de dinheiros subtraídos aos mesmos de sempre.

É este tipo de gente que governa Portugal através de numa aliança interesseira comandada por um cínico incapaz de assumir responsabilidades.

São ''discípulos'' desta garotada que aspiram a voos mais altos na política desta terra.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Como é que alguém que deixou tantas dúvidas quanto à sua seriedade quando andou pelos campos de futebol, ao ponto de acabar afastado por castigo, pode se apresentar como ''poço'' de virtudes? 

Na actividade onde ganhou notoriedade pelas piores razões, não passou de um manhoso vendido a interesses, mas agora que tem um cargo público (à custa do tal sistema  que é o melhor  mas que gera aberrações) armou-se em ''prometedor''. 

Anda há anos a enganar e a manipular o povo do Porto Moniz, e agora no ''arraial da mentira'' que mandou montar no edifício da Câmara, falou de tudo mas nunca das suas promessas eleitorais, porque sabe que as coisas não funcionam como ele ''vende''. 

Deu uns bitaites sobre os portos e prometeu, mentindo mais uma vez, porque em matéria de portos não pesca nada. Lançou umas asneiras sobre saúde, área onde também nada decide(felizmente). Atreveu-se a falar de agricultura, onde também não cava nem planta.

De habitação social onde poderia arriscar... ''nicles''. Aqui o seu problema é que alguém poderia cobrar-lhe a inércia e o deixa andar e lá ia o ''arraial por água a baixo''.

Também da falta de água e da sua chegada à casa das pessoas e de saneamento básico ou da sua falta no concelho, fugiu a sete pés como diz o povo.

Dos buracos nas estradas e nos caminhos não disse nada mas terá pensado...comprem um jipe.

É o que se chama um verdadeiro artista, um engana crentes.

  

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A ''jovensinha'' venenosa com laços ao golpista Freitas que chegou a liderar os socialistas na Madeira, conduzindo o partido à representação residual que hoje tem na Assembleia Legislativa, mal chegou a presidente de uma câmara (ai que estampanço aí vem) mostrou de que massa é feita.

Aquilo foi um programa que previa a construção de um Lar de Idosos, acessos, estradas, tudo coisas bonitas de se ver... só que estamos a falar de projectos que estão fora do seu âmbito de intervenção.

Assim se engana o povo, porque na verdade tudo isto pode ver a luz do dia, não por decisão sua, mas sim do poder executivo e ela sabe, e por isso já começou a sacudir responsabilidades... mas em certo tipo de gente a tendência para aldrabice é muito forte.

É o que se chama com toda a propriedade cumprimentar com o chapéu dos outros.

Mas vindo do ''casalinho'' sinistro tudo é de esperar!

domingo, 22 de outubro de 2017

A ''sonsada'' de Gaula,  engana, inventa e à custa de uns trocos tirados ao povo, conseguem arrastar atrás de si um cortejo de ''peregrinos'' que vivem numa triste cegueira.

O ''irmãoszinho'' que está na Câmara gere a coisa varrendo a lixeira para debaixo dos armários, devolve facturas, faz contestações em tribunal e assim com este modelo??? pretende aguentar-se mais quatro anos no regabofe.

Por aquelas terras não há investimento, só se fala em buracos e remendos, a rede de águas e de saneamento estão cada vez piores, de habitação é melhor nem falar tal é o desleixo a que está votada pelos incapazes da irmandade, que se tem em boa conta no que diz respeito a comunicação.

Aquilo é uma verdadeira burla, gerada pela democracia (como disse o outro é imperfeita, mas mesmo assim é o melhor de todos os sistemas. Sim é verdade, mas de vez em quando lá vai parindo aberrações destas) .

Imitando o camacheiro de triste memória eles também exibem a soloiada do superavit, esquecendo-se que governar é também dar esperança ao povo que espera dos seus governantes seriedade e controlo das contas, mas também sinais de que há quem se preocupe com a sua qualidade de vida e bem-estar.

O sonso continua a pagar a luz de casa de forma privilegiada e anda a gastar sem que tal tenha justificação, um milhão por ano em honorários de advogados.

Seria bom que alguém passasse a pente fino as contas da agremiação, que segundo um dos inúteis que a povoam, falando em milhões e mais milhões (deve haver petróleo ou diamantes naquelas terras do Leste) deve servir de exemplo para o governo. Deus nos livre de semelhante praga.

Então ao nível das grandes preocupações do ''apêndice'' é de gargalhada aquela de estar preocupado  por alguém com responsabilidade na governação desta terra, ter dito que não ficará calado perante os incumprimentos de Lisboa.


sábado, 21 de outubro de 2017

O advogado de vão de escada como já era esperado, em nome da garantia dos servicinhos jurídicos votou conforme os interesses do careca.

Era preciso manter os dinheiros subtraídos ao povo.

O que é isto senão corrupção?

O senhor zé manel do CDS a ''enguia'' ficou fora do esquema, já que está não existe (deixou de ter voto na matéria), agora não conta para nada e ainda não se sabe como irá pagar a dívida do emprego da companheira.

O  Roberto a marioneta da senhora dona Guida, a tal que está mais que provado nunca soube o que era ponto''Rechelieu'' está baralhado enquanto  a ''coelha''continua a barata tonta que todos sabemos.

E assim continuam os esquemas da ''turma'' cafofiana!




 

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Definitivamente  a criatura não anda bem.

As confusões à sua volta são muitas e agora agarrou-se a uma moção de censura. Com este é só trabalhada atrás de trapalhada. Anda à rasca com o partido e até com a sua vida, segundo se diz por aí.

Os socialistas praticamente nada ganharam no passodo dia 1, de Outubro.

Na Ponta do Sol, por exemplo, o PSD ganhou  duas freguesias, ficou com a maioria na Assembleia Municipal e com o mesmo número de mandatos na Câmara.

Em Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Calheta, São Vicente, Santana, Santa Cruz e Porto Santo, desapareceram. No Funchal foram à boleia de uma coligação que acabou beneficiada pela aplicação do método de Hondt, onde mora um que o quer apear do poder no partido.

Afinal o que será que ele pretende? 

Imitar o tal Costa que nunca apostou nele, juntando-se ao chamado bloco, aos comunistas e a mais uns tontinhos?

Não viu ainda o desastre que resulta da falta de competência e muita falsidade que caracterizam os  correligionários que apoia na primeira fila no parlamento de São Bento?

O país chora a morte e a perda numa dimensão nunca vista, e o homem quer transportar para aqui o modelo?

Felizmente toda a gente já conhece a sua inabilidade para a coisa política, mas também a sua apetência para projectos falhados onde coloca sempre a golpada à frente de tudo.

Lembre-se o seu envolvimento no negócio dos aviões de combate aos incêndios e a miragem da Ryanair, uma companhia aérea conhecida por ser pouco escrupulosa. 

Aproveite (enquanto está a dar), fique pelas lisboas.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

O Orçamento de Estado continua a penalizar a Madeira impedindo que sejam transferidos os valores que nos são devidos. Esse mesmo orçamento não prevê qualquer baixa de juros, não tem inscritas verbas para a construção do hospital, aldraba com uma história à volta do IRS (dá ao mesmo tempo que tira), mas mesmo assim há por aí um zé ninguém com a lata de elogiar o governo dos socialistas.

Trata-se de alguém que que nada fez em nome das populações que o elegeram deputado.

Afinal para que servem entes deste jaez, que não passam de uns acomodados, defensores com unhas e dentes dos seus tachinhos?

O desemprego ensombra as suas tristes vidas de serviçais, que temem o desaparecimento das forças políticas que servem.

Sim, será esse o caminho dos ditos bloquistas e dos comunistas, assim que os usurpadores do poder, chegarem à maioria.

Ignorantes.  

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Nos últimos meses em consequência dos incêndios florestais morreram mais de cem pessoas, há mais de duas centenas de feridos, perderam-se bens materiais, muitos resultado de vidas inteiras de trabalho, indústrias, fábricas negócios, pequenos e grandes foram irremediavelmente afectados e ninguém ainda tirou consequências?

O Presidente da República viu-se obrigado (estava a ser cada vez mais insustentável a ausência de uma tomada de posição clara) a dizer algumas evidências aos usurpadores do poder.

Já havia quem desconfiasse e bem, de tanta protecção à senhora Constança, permitindo a sobrevivência da desbocada e incompetente na pasta do Ministério da Administração Interna, lembrando as ligações do seu progenitor à irmandade do avental, um tal Sousa que fez das ''boas'' no Tribunal de Contas, andou pela Provedoria de Justiça e é um multi-condecorado pelo regime sem se saber bem porquê.

Maçonaria e geringonça são duas pragas que minam a vida política deste país.


O Presidente disse-se atento, disposto a exercer todos os seu poderes e propôs ao Parlamento uma clarificação da actual situação.

Já não era sem tempo!  

terça-feira, 17 de outubro de 2017

PS é sinónimo de trapalhada certa e então quando se junta a fome com a vontade, como acontece  agora com chamada geringonça, é o discurso da desresponsabilização que emerge.

A catástrofe aconteceu e com ela veio a morte e a destruição e mais uma vez  eles enredam-se em estudos reflexões e comissões. Com estes dirigentes socialistas e apaniguados lá como cá, tudo é empapelado...tudo fica num faz de conta. 

Tudo o que aconteceu é muito grave  e revela mais uma vez a marca socialista que trata as coisas muito sérias com displicência e sobretudo incompetência. Exemplos não faltam, também por aqui.

Lembremos comportamentos vergonhosos e a pouca seriedade na forma como foi tratada a tragédia do passado dia 15 de agosto no Monte (um dos maiores responsáveis ensaiou todas as formas possíveis para sacudir a água do capote, mesmo ali à beira de quem tinha acabado de sofrer perdas irreparáveis, colocando acima de tudo a sua agenda particular). Acabamos de assistir ao recurso à mesma cartilha, pelo golpista que tomou o poder lá pelas lisboas, curiosamente um ''franco admirador'' do plastificado mentiroso, que ainda não preencheu o cartão de militante, mas que tem colocadas as suas toupeiras na máquina.    

Para este tipo de gente o que interessa é a manutenção do poder, e o seu aproveitamento  em proveito próprio. 

Desmascarar, desmascarar...


segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Está à vista de toda a gente o verdadeiro saco de gatos em que se transformou o partido ainda liderado pelo ''pereirinha''.

Na espécie de exílio por onde tem andado, pensando que na proximidade do Largo do Rato, controlaria os apetites colonizadores de uns que lhe dão baile em matéria de cinismo, descurou o ninho de lagartos, lagartixas, cobras venenosas, mosquitos e sabe -se lá que mais, que existem por aqui no partido, que depois das rosas voltou a adoptar a mãozinha fechada.

Aquilo por aqui é há muito um feudo de novos ricos que passam a vida a criticar enquanto bebem champanhe do melhor, onde continuam a pontificar certos clãs que nunca irão abrir-lhe as portas dos salões da conspiração e maledicência.

Será essa uma das razões dos complexos e do azedume do dito ''pereirinha''. Foi serviçal de ingleses e será sempre visto à luz dessa condição.

Os emproados que controlam o partido de que ainda é líder nunca o aceitarão como um dos seus.

Preferem um certo tipo de funcionários (braçais) para todo o serviço que se deixam incensar pelas atenções de circunstância concedidas pelos figuras de topo dos clãs elitistas que se sentem donos dos destinos do partido (povo enganado). Para eles o importante são os negócios e os lugares, estar nas graças dos poder central (entregar-se).

Adoram adoptar aves de arribação e gostam de exibir os seus ''iiiis''à lisboeta.

Ora o ''nosso pereirinha'' pensa-se esperto e o mais capaz, mas numa prova de que o seu veneno nem comichão no estômago ou estonteamentos provoca, está a sofrer as consequências da ingestão forçada das mistelas preparadas pela turma cafofiana onde parece que pontifica um agente do lado de lá e como se não bastasse, está agora também a levar com as ambições de um antigo mau árbitro de futebol, que acaba de achincalha-lo na praça pública, candidatando- se ao lugar que ainda ocupa.

Vai acabar engolido no pântano e é bem feito...




domingo, 15 de outubro de 2017

Ele há cada apoio...

Um médico que mais parece um subnutrido daqueles que faziam capas em plenos anos 70, tem tido palco na folha, vai para aí uns dois anos, com a incumbência de dizer mal ou ao invés defender os interesses dos camaradas da esquerda caviar que se dedicaram aos negócios de hotelaria e se disseminaram na economia desta terra, beneficiando da situação criada com a implantação da Autonomia. Não fora isto e continuariam no seu percurso de pelintras falidos.

Agora na condição de eleito vereador pela esquerdalha bloquista em ''santa aliança'' imposta ao desnorteado ''pereirinha'', o enfezado acaba de decretar o seu apoio a um que em tempos passou pela arbitragem no futebol, onde contribuiu para a degradação do sector, e por isso acabou despromovido.

Aquilo foi do pior, falou-se em corrupção e outras coisas, muito, muito negras...

Mas o tal ''sapateiro'' que escrevinha na folha, fala de um homem sério, honesto e recorre a todo o tipo de ''mimos'' para exaltar a qualidade do putativo candidato... coisa que só ele vislumbra.

Quando a uma ''ave rara'' como esta, se abrem as páginas de um ''jornal'', é caso para perguntar?

Mas como é que chegamos a isto?


sábado, 14 de outubro de 2017

O ''sonsinho'' de Gaula anda a enganar o povo armando-se em humilde e sério.

Esconde a situação de privilégio que inexplicavelmente continua a ser-lhe concedida pela Electricidade da Madeira, onde trabalhou, continuando de pagar metade do preço do consumo de energia na sua residência enquanto o povo que diz defender tem de pagar sem desconto e sem benesses.

A golpada continua a fazer parte do seu dia a dia e agora tem a lata de falar em falta de legitimidade nas eleições para a AMRAM.

Será preciso lembrar-lhe que em 2013 o PSD ganhou quatro câmaras, a sua organização manhosa uma, o CDS outra, em São Vicente um independente e o PS conquistou três,  mas mesmo assim deram ao dito independente do Funchal a presidência?

Então, o PSD ganhou mais câmaras mas para ele tudo foi claro e transparente.

Sonso e execrável é o que é este idiota que se anda a encher em negociatas com Lisboa pagando exorbitâncias a advogados do lado de lá.

Uma pouca vergonha!

Pobre democracia que permanece vulnerável a trastes desta estirpe.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Consta que pelos lados do chamado Bloco, vai um alvoroço.

Já ninguém suporta os assomos da vendida senhora dona Guida, a mandona que se rendeu ao careca, agora sabe-se que a troco de um tachinho para o rebento.

A ser verdade, a isto chama-se tráfico de influências.

Entretanto a ''marionete almadinha'' estará a pensar tornar-se ''independente'' de forma a acautelar qualquer percalço em 2019, estando ao que parece a formar o seu próprio grupo onde ''milita'' um tal machiqueiro.

Temem ser engolidos na regionais daqui a dois anos.

Estarão a antever o avanço de uma estratégia comandada (por enquanto à distância) pelo grupo do Costa da geringonça que manifestamente demonstra ter os seus preferidos e não irá abdicar de intervir na vida política madeirense.

O certo é que por lá é evidente o definhar do Bolco e mesmo do PCP e por isso esta gente sem carreira consolidada e vida para além da política está em pânico.

As coisas na organização da senhora rendida aos encantos do ambicioso do sorriso de plástico, podem vir a rebentar quando se sabe que muitos bloquistas já andam a dizer que não irão votar naquele que dizem ser um vendido e um mau caracter. Um tal Trancoso que quer ser presidente...

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

A folha e os seus escribas obedecem a tudo.

Basta acenar com dinheiros públicos e os ''rapazes'' nem questionam. As orientações do ''vais com selo são claras. Não deve haver qualquer espécie de dúvidas desde que os alvos sejam determinados ódios de ''estimação'' ou melhor dito, todos aqueles que enfrentam os esquemas por lá montados.

Criaram uma espécie de associação vocacionada para o ataque a pessoas, organizações e instituições  que nunca lhes apararam as golpadas. A ''santa aliança'' integra o dito ''vais com selo'' e o direitola. Duas personagens que passaram de pelintras a quase milionários. Denegrir é uma das suas especialidades.

A ''santa aliança'' entre estes dois, é o que se pode dizer em linguagem popular, uma união entre a fome  com a vontade de comer.

Um exemplo.

Para comentar a anunciada remodelação do governo a folha decidiu ouvir quem???

Líderes dos partidos? Líderes parlamentares?

Não!

Escancararam as páginas para dar voz a alguém que não é nada, que se limita a gerir as suas idas ao parlamento onde mantém gabinete e comanda os seus negócios particulares.

A folha dá para tudo. O dinheiro agora vai ser  dividido com o vizinho da frente. Em jogo está quase um milhão por ano, retirado aos impostos pagos pelo povo. O autor da proeza um tal ''sem malícia'' vai ser devidamente recompensado pela folha de propriedade inglesa.

Esperem para ver os desenvolvimentos deste conluio informativo.


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Aquilo foi um ''ver se te avias'' nos últimos dias.

As portas da folha escancaram-se para os os maldizentes e crónicos mal-agradecidos.

Num tom revelador de quem não está só e porventura se encontra em estado psicandélico, lá apareceu de novo o Tó em modo ''gilinho, welsh, baltazar e companhia''

O garoto voltou a vomitar ódio tentando denegrir pessoas que ajudaram a criar as condições que salvaram negócios familiares e indirectamente o próprio.

Ele tem dias.

Critica quem lhe ''deu de comer'' citando os textos ressabiados da autoria de um tal que vive em desnorte, ao mesmo tempo que o ataca.

Usa linguagem rasca (espera-se que alguém próximo abane o palerma... ou será que convivem bem com a pouca vergonha e as ordinarices ciclicamente publicadas?)

Quanto à folha, aquilo é cada vez mais um vale tudo.

Mesmo assim, cada dia que passa as sobras aumentam. O que seria deles se não fosse o mãos largas que está na Câmara do Funchal?

terça-feira, 10 de outubro de 2017

''Ouvi falar num gabinete de estudos do PSD. Conhecem algum estudo?''

A pergunta foi feita pelo direitola sem emenda, o tal que prometeu ''parir'' a lei da plena felicidade e prosperidade para toda a população da Madeira. Continuamos todos à espera, mas vindo de um falhado  o que é que se podia esperar ?

Depois de ter denegrido, atacado tudo e todos, vem agora mais uma vez com a ajuda da folha do costume, qual pomba ( mas daquelas que conspurcam todos os lugares onde habitam) fazer uma espécie de acto de contrição .

Ele é todo mimos.

Num escrito próprio de quem já não conhece o baralho... geriático...diz!

O antigo líder é que era (escusa de perder tempo, já não engana ninguém). Chega ao ponto de roubar ideias alheias a propósito da não eleição de candidatos ''renovadinhos'' nas recentes eleições autárquicas.

Julgando-se  alguém influente  afirma  que a ''derrota não é o fim do PSD. Bem pelo contrário á a oportunidade talvez a última para Albuquerque ''recomeçar'' (estúpido slogan e lambuzadela sem jeito).

Inqualificável depois de tudo o que tem feito e dito, é a frase ''todos são necessários à união'''.

É caso para dizer desapareça primeiro.

Um mimo aparece a certa altura no longo texto (até parece que manda nos critérios editoriais da folha tal é o espaço que continuam a conceder-lhe) quando defende que ''está na hora do PSD se voltar a reafirmar enquanto partido popular próximo das pessoas'' (é como já foi dito...desapareça primeiro).

''Todos são necessários à união (não, não todos ...descole, desapareça, entregue o cartão, sim o cartão porque quotas é o que se sabe).

''Admiro os milagres todos os dias feitos pelos secretários regionais''. É outra que se pode ler no hilariante e sonso pastelão.

''Lindo, lindo'', é quando recua a 1978, ano em que muito mal disse do PSD  e do clube a que agora se encontra ligado.

Depois há uma que fala do ''PSD voltar a ser a alegria do povo''...sim, sim muito alegre quando desaparecer da circulação.

Coisa que não estará nos seus planos (infelizmente)  já que armado em ''conselheiro'' fala na necessidade de se arranjarem 40, 50 personalidade (continua a colocar-se no lugar dos indispensáveis...o delírio é evidente) para ocuparem os lugares num futuro PSD ''recomeçado'' com o ele diz.

Estamos bem arranjados com esta.

Desapareça que já não há pachorra para o aturar.





segunda-feira, 9 de outubro de 2017

O anafado  vermelhinho que aqui arribou para ocupar um lugar na secção do Tribunal de Contas tomou o gosto da maledicência escondida denegrindo tudo e todos como se ele fosse um exemplo.

É um dos responsáveis pelo actual estado do partido onde milita. É um deputado sem rasgo e categoria que contamina a democracia.

Ainda não percebeu a realidade madeirense, luta pelo ordenado, nada produz de jeito, vive obcecado pela bebida (que tal se fosse ao médico) e agora deu-lhe para falar sem saber o que diz a propósito da recente eleição para a Câmara exultando com o resultado tal como tem feito a senhora dona falsa bordadeira. Mas o que é que estes tiveram a ver com aquilo?

É preciso lembrar-lhe que houve menos votos na CDU (Partido Comunista) que se vendeu ao careca, mas também é bom avivar-lhe a memória (esperemos que esteja sóbrio) a propósito de Câmara de Lobos da Ribeira Brava da Calheta de São Vicente, Santana, Santa Cruz e Porto Santo onde o partido a que pertence desapareceu ou perdeu claramente.

PS vitorioso?

Em condições de ganhar...quando?

Cure-se!

domingo, 8 de outubro de 2017

A senhora dona Guida aderiu e levou consigo o protegido ''almadinha desenfreado'' (saiu do armário???) .

Com o patrocínio do ''careca sorridente'', um colorido folclore concentrou-se no Largo Colégio em frente à Câmara, para espanto das figuras dos santos protegidas nos nichos da fachada da igreja de estilo maneirista (bem a propósito) construída há mais de quatrocentos anos em honra de S. João Evangelista e percorreu as ruas do Funchal.

Uma figura de opereta, um tal Serzedelo marchou por entre a gritaria e esganiçou falando de política exultando coma presença na Câmara de um presidente socialista (bambém saiu do armário? ... confidenciou-lhe a entrega da ficha de militante?). Coitado do ainda líder ''pereirinha''.

Que mais lhe irá acontecer.

Todos têm direito à diferença, mas a razão não está apenas em um dos lados!


sábado, 7 de outubro de 2017

Mas o que é que ele pensa?

Em que conta ''se tem'' a criatura ?

Agora quer armar-se em ''pomba da paz''?

A ser verdade o que acaba de ser publicado, alguém que sempre foi um elemento de divisão e não de união (lembre-se um célebre congresso no Casino) quer armar-se numa espécie de enviado da ''pacificação''.

Mas quem é que lhe disse que havia divergências insanáveis?

Insultou pessoas (escritos bem recentes agitados por inimigos do PSD) com argumentos que nem a oposição declarada alguma vez ousou utilizar e agora vem armado em virgem ''pudica''?

Está mais do que provado que acaba de trair em nome da promessa do controlo de património público  da cidade (quais princípios, qual lealdade ) votando no candidato da oposição.

Não tem emenda. será sempre um  nota de rodapé na história desta terra, e pelas piores razões.

Politicamente é um falhado.

E que tal se  fosse dar uma volta dando o lugar a outro ou outra, tanto faz...e sobretudo se calasse!

Irra que já não há pachorra.


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Depois de ter mostrado a sua falta de preparação política e passeado o seu ego muito acima do que seria razoável, o contabilista a quem entregaram a pasta do turismo e dos transportes, cedendo depois inexplicávelmente ao seu capricho de querer também a economia, em tempo de tirar ilações (eles é que se propõem a tal) saiu-se com um ''ainda bem'' a propósito de um diferindo com o Grupo Sousa, decretando que é sinal de que as coisas mudaram.

Como???

Se mudaram foi para pior e a prova está no resultado das últimas eleições.

O povo tem sofrido na pele ( apenas como exemplo, veja-se passados dois anos, em consequência das suas políticas, o desastre das tarifas aéreas) e ele parece preocupar-se apenas com irrelevâncias como são as brincadeiras familiares ''à vela''.

Continua incapaz de ver a realidade. Tem sido um ficccionista, um aproveitador de ideias alheias e uma não existência neste dois anos que já leva o governo da actual situação.

Os seus conhecimentos às vezes parece que se ficam pela escolha da melhor pose para a fotografia  nas galas que gosta de frequentar.  

No passado andou  pela Sociedade de Desenvolvimento (diz-se que não deixou grandes recordações  por ali) esteve na falência de um negócio hoteleiro ao lado de um agora seu companheiro de governo, razões suficientes para ser percebida a sua pouca vocação e competência para pegar em assuntos que mexem com a nossa economia.

   
 

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

O ''nosso amigo'' careca sorridente acaba de dar início ao golpe de misericórdia no ''pereirinha'' do sorriso que reflecte indisposição e má realização pessoal.

Com o patrocínio da folha a quem tem dado o seu generoso partocícinio, usando dinheiros do povo, disse umas coisas que revelam as suas aspirações até agora mais ou menos escondidas.

Tentando fazer-se engraçado o cínico começa por dizer que teve um susto (pudera) ao ver a imagem da senhora dona Guida nas capas no dia seguinte à sua vitória (embuste).

Mas, o que já deve estar a tirar o sono ao ainda líder do partido onde o sonso ainda não entregou a ficha de filiação, é a sua aspiração a ás do volante.

Deslumbrado, e pensando ter toda uma casta de oportunistas e patetas nas mãos (ai quanto engano) diz que não vai falar do futuro e inchado volta ao passado para dizer que foi aí que se iniciou um novo tempo.

Com o sorriso plastificado que o tem caracterizado e quase a rebentar as costuras no seu fato de piloto, afirma que estará ''sempre com os olhos na estrada e as mãos no volante'', sem nunca esquecer de onde veio e para onde vai... lindo, quanta ternura!

Numa nota poética fala em ''Primavera da cidadania'' e promete ''olhar bem para o retrovisor''.

Não diz, mas imagina-se que esteja já a vislumbrar no espelhinho os ''estampanços'' do ''pereirinha'' e da antiga representante da esquerda radical que adornou a sua recente campanha e que por certo será emprateleirada a conselho da assessoria cubana bem paga.

Quem já estará a fazer projecções para a facturação dos próximos dois anos, é a folha que se salvou da insolvência e que por isso se encontra devedora.

Os outros que ainda estão à espera de tirar ilações que se cuidem.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Um já foi (não, não estamos a pensar nesse que ao que consta foi treinado em Lisboa).

Falamos do pulha que infernizou a vida dos portugueses e vingou-se dos madeirenses e dos porto-santenses durante a sua governação de má memória

O ''bandalho'' tudo fez para vergar a Região, roubando-nos e alinhando no traiçoeiro conluio visando afastar alguém que muito deu ao país e sempre colocou a Madeira à frente dos interesses partidários e pessoais.

Entretanto, por aqui continuamos à espera das famosas ''ilações''. Será muito triste se tivermos de ouvir elogios a um tipo que toda a vez que aqui pôs os pés, convidado pelos senhores da actual situação, assumiu sempre uma pose provocatória.

Ao seu jeito no discurso de despedida (desapareça) teve o descaramento de afirmar que os seus governos ''pouparam os que têm menos recursos''.

Disse-se ''obstinado''.

Pudera sempre esteve à vista de todos o seu mau caráter, teimosia e tendência para  persistir no erro.

É caso para recomendar-lhe a marcação urgente de uma consulta médica.

Quanto aos que se perfilam para o lugar do palerma, não é de esperar grandes rasgos e coisa boa.

Todos foram formatados no que de pior tem a política lá pelo rectângulo.
 

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Isto não vai apenas com ''leituras humildes dos resultados eleitorais'' e muito menos com comunicação ''plastificada''.

É preciso acção e já!

Na desinspirada conferência de imprensa ouvimos falar de ''pechas'' e de mudanças ''a seu tempo''.

Uma tristeza ...

O chefe tem de aparecer e dar a cara.

Se quer mesmo ganhar em 2019 tem de repensar tudo. Colocar no seu devido lugar gente que o tem rodeado nos últimos anos em particular uns conhecidos direitolas e uns queques de pacotilha.

Deve ''aprender'' e transmitir de forma convincente o discurso da Autonomia Política e da Social-Democracia do tal partido que Sá Carneiro, nunca quis que fosse olhado como uma força de direita, mas sim inspirada numa certa doutrina que incomoda algumas pessoas.

Estão aí tempos de fazer escolhas e tomar atitudes...todas sem excepção devem ser ponderadas!

O desastre eleitoral foi consequência de muitos erros.

Entre os mais notórios - mau aconselhamento e cedência a gente com falta de visão política, pagamento de promessas, escolha de pessoas mal vistas pelas populações e  palco dado a uns quantos oportunistas que emergiram nas últimas eleições internas do PSD, como agentes da traição.

É justo dizer que neste domínio podemos encontrar uma ou outra excepção.
 
No outro lado da barricada encontram-se aves de rapina famintas e uns chantagistas embuçados doentes (estes bem perto), por terem constatado a pouca cotação que têm entre as pessoas.

A politica rege-se por princípios e o povo é sábio.


segunda-feira, 2 de outubro de 2017

O trate ressabiado a que esta gente estupidamente se colou ao ponto de o terem trazido à festa de verão adulterando a mensagem autonomista que sempre esteve ligada a essa grande manifestação, produziu na noite eleitoral, um discurso tonto e sem norte, onde disse uma coisa e o seu contrário.

Parece que encara a possibilidade de não voltar candidatar-se em futuras eleições internas no PSD (vindo de um mentiroso compulsivo é melhor esperar para ver).

Ele foi a cara de um roubo feito à Madeira, mas estes espertos sentados na actual situação, promoveram a provocação recebendo-o e dando-lhe palco.

Os resultados também por isso aí estão.

O desastre que acaba de acontecer exige uma limpeza aos emplastros que têm andado a parasitar o partido mostrando muita falta de talento e competência.

Na ressaca das eleições um disse que ia ''tirar ilações deste resultado'' enquanto o outro que tem andado a dar cabo do partido, na sua habitual e desprezível arrogância, afirmou que não ''vai fugir às responsabilidades'...uma tristeza.

Como bem disse Manuela Ferreira Leite comentando a declaração de um, mas bem poderia ser a propósito do seu seguidor aqui na Região -  ''Pior do que ser cego é não querer ver''.

domingo, 1 de outubro de 2017

Daqui a umas horas espera-se que  o povo coloque as coisas em pratos limpos.

O processo eleitoral que agora culmina foi muito agitadado, pouco esclarecedor, ''polvilhado'' com muitas mentiras e infelizmente contaminado por enormes conluios.

A qualidade das ideias ouvidas em público foi muito má e nada de substancial acrescentaram às aspirações das pessoas...pelo menos nesta terra.

Resta saber o que irão fazer no segredo das urnas alguns embuçados interesseiros.

sábado, 30 de setembro de 2017

Está tudo louco.

Não tem explicação possível a aldrabice publicada (mais uns selvicinhos feitos em cima do joelho e numa cedoência sem explicação a políticos de pacotilha que lançam números para o ar sem noção do ridículo)

Então acham e dão por adquirido que estiveram 5 mil pessoas no comício do Almirante Reis? 
Acham que aquilo tem 6 mil metros quadrados? (área mínima para caber tenta gente)

O estado de delírio é evidente pelas bandas do recandidato, mas que diabo aquilo não é nem de perto nem de longe um campo de futebol. Depois há que contar com o espaço do palco, zonas de circulação  etc...

A área onde se realizou mais uma sessão de demagogia e mentira, povoada por todo o tipo de gente, oportunistas, caviares, fascistas encapotados e democratas enganados, no mínimo terá registado a presença de 3 mil pessoas... e mesmo assim!

Depois veio a estória dos 8 mil nos 5 mil metros quadrados nas duas naves do Madeira Tecnopolo.

Como???

Se estiveram 4 mil já foi muito bom!

Quis as razões que levam esta gente e os seus cúmplices na dita social a alinharam no embuste?

É por estas e por muitas outras que temos uma classe política desacreditada e uma dita social em estado de agonia (ah... se não fossem os dinheiros subtraídos ao povo).

É por este tipo de aldrabices que se ouvem cada vez mais pessoas a dizerem que não vão ''gastar as solas dos sapatos'' para pôr os pés nas mesas de voto.

Esperem pelos números da abstenção... esses sim verdadeiros.





  

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

O que terá a dizer sobre a trapalhada que envolve a Ryanair o ainda líder socialista cá da terra e a rapariguinha com acento lisboeta que vive deslumbrada com o tacho arranjado em Bruxelas à custa do engano aos eleitores madeirenses?

Estes dois andaram a vender a ideia de que era importante o governo da Região facilitar a Ryanair subsidiando, a vinda desta companhia para a Madeira.

Pare eles vinha aí o melhor do mundo com passagens baratas para todos.

Como a coisa metia subsídios e jogava com muito dinheiro é fácil de entender o entusiasmo do tal que exibe permanentemente um sorriso cínico.

Felizmente o governo abortou esta tentativa da parelha de ''camaradas'' poupando como é seu dever uns milhares ao povo.

Neste tipo de manobras lá pelo PS eles são mestres. A história recente não deixa mentir.

Mais de quatrocentas reservas e bilhetes já adquiridos foram à vida com as recentes decisões dos irlandeses que gerem a companhia aérea. Em causa estão centenas de voos.

No Algarve, para falar de uma região turística portuguesa, vai um caos.

Volta a perguntar-se???

E então, o que tem a dizer a tontinha que se farta de aparecer na dia social bem paga, e o seu parceiro exilado na capital sobre esta pouca vergonha que queriam trazer para a Madeira?

Ela que gosta de se fazer passar como uma influente eurodeputada não tem nada a acrescentar sobre a decisão da Comissão em  Buxelas que acaba de exigir aos ''trafulhas'' com quem se reuniu numa sessão de promoção pessoal, mais respeito pelos direitos dos passageiros.

Olhe que há colegas seus PE que já tomaram posições públicas de indignação sobre a porcaria que queria impingir aos madeirenses.





quinta-feira, 28 de setembro de 2017

É lá continua a trapaça da tal ''euro'' das encomendas.

Quatrocentas e tal pindéricas entrevistas ( que pomposamente apresentam como validadas) e lá vem suspense e manchete carregada de manipulação.

''Grande trabalho'', muita ciência polícia??? e jogo de cintura faz a empresa preferida pela folha que quer à viva força ajudar aqueles que lhe têm garantido facturações históricas.

Sondagens sim, mas com seriedade e respeito pelas regras da democracia.

O povo quer lá saber se a papelada foi entregue ou depositada na tal ''Reguladora'' pelo prosápia ''comentadeiro'' conhecido pela barracada que deu na noite eleitoral dos Estados Unidos.

Querem à viva força vender ao povo o sucesso da ''irmandade verdinha'' e de uma série de mentirosos e trapalhões que há quatro anos chegaram ao poder ''sem saber ler e escrever''...

Querem à viva foça branquear o embuste.

Querem ocultar a desgraça que aconteceu à cidade do Funchal com a presença no Largo do Colégio do jocker sorridente, o seu maior cliente nos últimos anos.




quarta-feira, 27 de setembro de 2017

E lá veio a ''arruada'' com os emplastros do costume rendidos à rapariga com ar de azedume e má disposição.
Foram muito poucos aqueles que desfilaram  em passo acelerado com a rapariga a tomar a dianteira do ajuntamento, onde segundo a folha paga com  dinheiros do povo, o jocker ''espalhava sorrisos e o ainda líder (coitado) tentava a melhor postura mas não conseguia disfarçar o seu habitual ar indisposto e revoltado (pudera) que o caracteriza.

Bem lhe terá apetecido marcar presença, mas a verdade é que ninguém viu o figurão desavindo que segundo o recandiatado é apoio garantido nas urnas.

Mostrando desconhecer a realidade local e orientada pelas instruções dadas pelos ditos ''experts'' instalados no Largo do Colégio, a azeda enviada pelo Rato falou em ''políticas solidárias''. Só se fôr para com a folha inglesa que muito tem facturado com a aventura do recanditato que construiu uma grande mentira na cidade do Funchal.

E é claro formatada nas saloiadas continentais de que aquela malta socialista tanto gosta, a rapariga lá veio com o ''abraço solidário'' do Costa de São Bento, pensando que com isso vai comover e convencer os funchalenses fartos de serem enganados pelos governantes ciclicamente  instalados na velha capital do falido império.

Uma vergonha, uma tristeza!

A campanha eleitoral tem sido pródiga em autênticas farsas protagonizais por gente fraca e sem qualidade como o tal ''barrete'' que à falta de melhores ideias quer enganar as pessoas saiu-se com fantochadas como aquela de querer  massacrar jovens licenciados com trabalho escarvo e precário em parques infantis, isto por entre mais um corrilho de idiotices habituais na criatura.

Depois à falta de melhor apareceu o presunçoso enfermeiro aliado do ''gilinho'' com a tontice de uma segurança social na esfera municipal.

Os comunistas ainda camuflados numa coligação que não passa de uma burla, continuam a bater na tecla do caciquismo, logo eles que têm a encabeçar a sua lista um verdadeiro exemplar desta praga.

Pelo meio desta balbúrdia o jocker do sorriso polido lá vai aparecendo pelos quartéis de bombeiros e em inaugurações de campos sintéticos onde voltou a gastar milhares que não se sabe de onde vêm.

Quanto a um cero partido que devia apresentar-se mais interveniente e como verdadeira alternativa, tudo tem sido feito à porta fechada e sem rasgo...

 E assim vai a campanha..

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Infelizmente ainda há por aí uns políticos que se impressionam com a presença de uns obscuros continentais a quem dão palco em momentos de campanha .

Ainda não perceberam que os tempos do povo madeirense agachado e de chapéu na mão já não existem.

A coisa é típica pelas bandas socialistas. A estratégia conduziu sempre ao fracasso que tem história feita mas ''inteligentes'' como eles são...persistem.

Agora, à beira do dia da verdade ''inchado'' com as manchetes da folha comprada, o jocker do sorriso polido, até ao aldrabão que conseguiu enganar as pessoas ( outro que disse que as pessoas estavam primeiro... conversa de chacha) recorre.

Esta nova ''vedeta'' contratada pela campanha cafofinana, lembre-se, é um tal que se agarrou a um tacho em Bruxelas, para, como disse,  ganhar uns dinheirinhos e ajudar a famíliia. Isto depois de sido  sido um verdadeiro campeão das tiradas demagógicas anti-políticos e de ter prometido devolver o seu vencimento de deputado europeu.

Mas haverá ainda que perca tempo com os Marinhos deste mundo?

Depois é o subalternizado ''pereirinha'' que se sujeita a passeios de ''braço dado'' com uma rapariga de ar maldisposto enviada pelo Largo do Rato para ornamentar a campanha dos ''tontos'' do Porto Santo e de Machico e como não poderia deixar de ser para estar presente na arruada (palavra parola muito usadaa lá pelas ''Lisboas'' de que eles tanto gostam) do mentiroso e sonso que a anda a gastar balírdios (diz-se com dinheiros do povo) para alimentar um sonho doentio de poder pessoal.

Toda a gente viu, e o que se passou em agosto no Monte foi apenas uma amoitra daquilo que a criatura, é capaz de fazer e dizer para sacudir responsabilidades próprias.

Morreram pessoas e ele não respeitou o luto daqueles que sofriam.

Em ritmo acelerado já está noutra mentindo, a agitar milhões que ninguém sabe de onde poderão vir, e a atacar umas pobres árvores na cidade, temendo porventura a sombra que estas poderiam fazer à sua vaidade plastificada e sem conteúdo.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Agora é o próprio Tó a afirmar.

Há por aí uma ''criatura política e empresarial perigosa'' alguém que ''vegetou, caladinho durante 37 anos como governante e deputado'', alguém que ameaça a ''insurreição do voto na Assembleia Legislativa''?

Acrescente-se...será o mesmo que o jocker recandidato dá como adquirido como seu apoiante?

Estaremos a falar de alguém envolvido nos Panamá papers, alguém com um percurso enviesado que o levou a mudar de partido e até de clube?

Alguém que conseguiu vá lá saber-se como o controlo de bares e restaurantes em aeroportos e espaços públicos?

Estará o insuspeito Tó a referir-se a uma personagem que ao tudo indica tem influência na gestão do Centro de Negócios, do Casino, na hotelaria e comprovadamente numa fábrica de bebidas?

Isto para não falar numa grande teia escondida na obscuridade...

Será que o colunista dominical da folha inglesa o irreverente Tó, quis falar de uma certa personagem que tem uma especial apetência para fazer negócios com terrenos próximos de campos de golfe?

Será que que a figura em questão é um conhecido incorrigível viajante coberto de mordomias pagas com dinheiros do povo?





domingo, 24 de setembro de 2017

Há cada uma!

Agora o sorriso de jocker saiu-se com uma que é de gargalhada. Então ele não acaba de ''decretar'' que o Caldeira filho trabalha sete dias por semana. O  super-homem agora descoberto em São Martinho deve ser um caso raro na vida política desta terra e deste mundo.

A verdade é que os habitantes da tal freguesia do ''tamanho de alguns concelhos'' não viram  ao longo dos últimos quatro anos nenhuma mudança nas suas vidas.

As estradas e os caminhos estão numa lástima e ninguém conseguiu pôs a vista na criatura. Fugiu a sete pés dos residentes na freguesia e agora o descarado protegido pela folha inglesa sai-se com esta anedota?

Vá dar banho ao cão e polir a dentuça.

Por mais sondagens que encomende à empresa do parasita que em tempos traiu o partido por onde andou, acabando comentador e manipulador aos serviço das publicações  do ''tio'' Balsemão, a dita folha que anda há quarenta anos a perturbar a vida dos madeirenses em nome de uma doentia vingança, não vai conseguir enganar mais ninguém.

O Jocker farsante e mentiroso agita milhões e mais mais milhões como se a cidade do Funchal fosse milionária.

Tem um projecto político pessoal que não tem em vista a melhoria da vida das pessoas (quais pessoas primeiro qual quê?...) revelou-se um mentiroso compulsivo sem princípios e valores.

Agora tentando branquear o comportamento da criatura execrável, a folha dita ''independente'' saiu-se com uma de bradar aos céus dizendo que o ''aproveitamento da desgraça não rende votos''.

Veremos...apesar de ao que parece o recandidato já ter garantido  para quem o quis ouvir, que o voto do ''direitolas  já está garantido o que será um acto de traição ao partido que tem ''amparado'' o agitador.

sábado, 23 de setembro de 2017

O direitolas (sim porque para ser verdadeiramente de direita dá trabalho e é preciso pelo menos ler uns livrinhos), anda convenientemente desaparecido da campanha.

Para este o que vale, o que interessa, é o que se passa no Panamá e nas ilhas do Canal, ai é que as coisas rendem e dão muito dinheiro.

Foi dispensado por incompetência e deslealdade em 1992, e daí para cá limitou-se a um refúgio bem pago no partido que lá lhe tem garantindo mordomias e ''influência''.

Estará convencido que haverá uma derrocada e por isso virou a agulha, como muitos dos frequentadores de um conhecido restaurante na baixa da cidade têm testemunhado e ouvido alto e em bom som.

Anda a tramar alguma. Todos os que frequentam o exíguo espaço na Queimada onde se realizam as almoçaradas  já conhecem parte  dos seus planos.

Parece que tem preparadas umas agitações em conluio com apoiantes de um antigo governante com quem tem mantido alguns encontros.

A traição (mais uma) vem a caminho...


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

O tal candidato que não passa de um grande barrete (inofensivo sem rasgo) cheio de amargura condizente com a sua fácies veio queixar-se de plágio.

É alguém praticamente inexistente nestes dias que fervilham de promessas e mais promessas.

Tentando apresentar um ''rasgo'' de criatividade veio falar na devolução de IRS imagine-se até 2021, ano em que muito poucos se lembrarão da sua passagem pela cena política.

Passou os anos em que teve ''presença'' na ribalta a auto incensar-se achando-se capaz de chegar a algum lado, mas revelou-se um verdadeiro bluff .

Agora acusa outros de não terem programa nem projecto para a cidade logo ele que falhou em tudo aquilo em que se meteu.

Coitadas das criancinhas das creches e dos idosos que num ''rasgo'' eleitoralista chamou ao rol das suas preocupações.

Este é mais um ''fogo fátuo'' entre tantos que povoam as notícias da estação...

Entretanto, a grande anedota da semana foi chamar ao advogado de vão de escada (eterno candidato sempre pronto para um desenrasque) e nos últimos anos conluiado com a turma cafofiana ''voz da justiça social''.

Isto está a transformar-se numa comédia e seria de rir a bom rir se não estivessem em causa coisas muito sérias.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

No partido ainda maioritário sente-se cada vez mais a divisão provando as palavras de quem sabiamente disse que só a partir de dentro seria possível iniciar a fragilização e pior do que isso a destruição de uma ideia política construída em nome de toda a população da Madeira.

Figuras como um certo direitolas e outros que logo que viram pelas costas alguém que nunca lhes deu  rédia solta (o que os irritava) iniciaram a queda há três anos, pagando quotas a militantes??? usando dinheiro que um dia saberemos de onde veio e com com que objectivos.

São os grandes responsáveis pela perda de muitos votos, pela descredibilização e falta de militância.

Tudo começou em 2011 e teve continuidade dois anos depois numa vergonhosa campanha que tinha como grande desígnio derrubar e denegrir, num conluio com a ''social'' que nunca suportou quem nunca fez a vénia á dita.

Chama-se a isto traição.

A 1 de Outubro o mais certo será o insucesso.

Esperamos que os oportunistas que andam por aí a destruir sejam desmascarados.

E não venham com estórias da ''carochinha'' envolvendo quem sempre uniu.  

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

O que estamos a assistir nestes tempos de vindima é um verdadeiro escândalo.

Estão todos contentes com os números da produção. Chegam ao ponto de afirmar que são incomparavelmente melhores em relação ao passado.

Trapalhada de quem desgoverna. Compram onde mandam os ingleses e alguns continentais permitindo que se andem a fazer acordos nas costas do povo.

Dizem que o governo não compra mais produção e entregam a mando dos ''senhores'' a quem obedecem (ai os complexos de inferioridade) a cinquenta cêntimos ou seja um terço do valor.

Protagonizam esta coisa meio ''mafiada'' figurões como um tal que há quatro anos andou em campanha pedindo o voto no candidato do PS à Câmara do Porto Moniz prejudicando o candidato do PSD.

Mais uma azelhice de uma criatura que não tem emenda.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Foi publicado pela ''quinquagésima'' vez na folha do costume (devedora e temente dos arrufos da criatura) um corrilho de ideias que vêm sempre ao de cima quando o dito precisa de dar prova de vida.

A questão que se coloca de novo, é a quem interessa na realidade o escrito mais do que gasto e cujo conteúdo é publicado ciclicamente?

Agora aquela de vir dizer que algo vai mal nas finanças e nas relações entre a Região e a República é de provocar gargalhadas, daquelas que fazem muita pressão abdominal.

Então não foi o autor da prosa manhosa a pessoa encarregada pelos responsáveis da situação de apresentar na República as soluções para que todos os madeirenses vivessem a breve trecho na mais completa felicidade e sobretudo em relativa prosperidade.

Estamos perante um caso daqueles em que apropriadamente se diz que a ''montanha pariu um rato''.

Neste caso uma ratazana.

É que continuamos à espera da famosa lei que levaria o seu nome e o povo espera e desespera pela receita milagrosa.

Sim o povo, não os habituais beneficiários da ''labuta'' do homem que se tem em em boa conta, chegando a auto-elogiar-se, dizendo-se educado e portador de uma conduta superior...

Ena, que esta então é de rebentar a rir ...  

 

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Há dois sorrisos na política madeirense que espelham o cinismo que povoa a personalidade de duas  criaturas sem princípios e valores.

Um emoldura a careca de um sem vergonha e com falta de humildade que se julga acima de tudo e de todos.

Este esconde um projecto de vida que felizmente nunca verá a luz do dia para bem de todos madeirenses. Enganou quem o acompanhou há quatro anos e aqueles que foram na onda votando na mentira.

Ironia do destino aquele que pretende derrubar também é um cínico praticante. A sua pouca qualidade    e ausência de valores (para este vale tudo) levou-o a entrar em negócios pouco claros tentado colocar no mercado da Guiné Equatorial medicamentos fora de prazo.

Estão bem um para o outro.

O dos negócios e projectos falidos tem andado por terras de Machico em campanha onde se diz irá marcar presença em breve, o comandante da geringonça em mais um acto de submissão de um fraco recandidato aos figurões de Lisboa.

Estará o ainda líder a pensar que esta sua súbita disponibilidade para andar nas arruadas lhe dará acesso à partilha do palco comicieiro ao lado do parceiro em matéria de cinismo, vindo da capital?

O problema é se o sem vergonha do Funchal que anda a conspirar contra ele por lá aparece e lhe rouba o lugar na fila da frente.

Uma coisa é certa, o da careca não vai faltar na recepção no aeroporto e quem sabe, já terá recebido convite para o repasto, coisa que o do sorriso amarelo ainda líder, corre o risco de não ver chegar às suas mãos.