sexta-feira, 28 de julho de 2017

As eleições autárquicas dão para tudo, até para grandes golpes de rins, como um que vimos um dia destes protagonizado por um antigo socialista, antigo deputado eleito nas listas do PS e até (imagine-se) candidato à presidência da Câmara também pela oposição socialista (o que ele disse sobre o partido pelo qual agora dá a cara), e que se apresenta agora em lugar secundário na candidatura laranjinha.

A ''proeza'' aconteceu na Ribeira Brava e tem o patrocínio ''renovadinho'', comprovado pela presença em fotografia para a posteridade de um certo mandão (ninguém tem mão na criatura) do partido situacionista que nos desgoverna. 

Entretanto, negam-se remodelações, ao mesmo tempo que se mudam pessoas na estrutura do governo, e esconde-se o mais que se pode os contornos de um grande concurso de informática, que segundo dizem se encontra em fase muito adiantada.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

O menino que enriqueceu com uns dinheirinhos ''arrancados'' pelo papá nos bons tempos da Venezuela, a que se juntou uma boa fatia deixada por um tio padre, quer à viva força ser político. Tem no seu currículo  a falência de um partido (diz-se que esbanjou o dinheiro com os seus parceiros Welsh, Baltazar, Dionísio e Tó Pó) mas mesmo assim anda em roda viva, numa chamada coligação ao lado do Coelho da triste figura (o de cá) e de um certo enfermeiro incompetente .

Como se sabe, o partido nunca apresentou contas e eles ficaram em apuros perante o Tribunal. Para não cair nas malhas de uma cela após a extinção do partido, o menino fez tudo para se manter como deputado independente na nossa Assembleia, garantindo assim um ''tacho'' e um ordenado que pelo menos deve dar para os seus devaneios mensais.

Passou pela Câmara do Funchal, foi posto a andar (queria andar em roda livre ) e agora quer lá voltar.

Para fazer o quê?...boa pergunta!

Está mais do que visto que quer salvaguardar os seus interesses e garantir que ninguém toca nos terrenos deixados pelo papá e pelo titio. Situados em locais onde não se pode construir, ele assim mantém a esperança de poder contornar os planos e regulamentos municipais mas também a lei.

Para já para acompanha-lo na ânsia do voltar a mandar nos corredores da câmara, terá reunido os apoios de uma menina do clã Jardim Fernandes, de um enfermeiro traumatizado com a mania que é culto... muito culto, e para compor o triste ramalhete, um nome vindo de uma família do velho regime do ''botas'' de Santa Comba, uma tal Clode de quem já ninguém se lembrava, a não ser uns quantos que ainda se recordam das soberbas e dos maus tratos à criadagem feitos pelos Clode.

Por enquanto lá vamos vendo o ''pretendente'' por aí de braço dado com um Noronha, que se diz monárquico.

Isto está cada vez mais bonito com mais este desfile de oportunistas, incompetentes, enganados e falidos.


quarta-feira, 26 de julho de 2017

Fala o roto do esfarrapado.

O antigo bombeiro que foi mandado passear por se ter tornado insuportável lidar com ele no quartel, fez-se político, com os tristes resultados que estão à vista.

Agora resolveu criticar aqueles que receberam na Madeira uma certa ''personagem''. Os argumentos a que recorreu encaixam-se como uma luva na sua triste figura, que mesmo tendo passado por várias desconsiderações e desprezo pela parte do outro que aqui veio, aceitou participar na rábula pública que motivou a deslocação do chefe da geringonça nacional, mesmo relegado para o meio dos oportunistas que lá se encontravam.

Não é a primeira vez que este líder a prazo surge em público inchado de importância, tentando vender aos madeirenses uns aldrabões do lado de lá . Foi assim com Sócrates, tendo na altura o ''nosso ex-bombeiro'' aparecido no papel de emplastro, de braço dado com o Freitas e com o menino Trindade, já na altura o preferido de Lisboa.

São aves da mesma plumagem - Sócrates, Pereira, Freitas, Trindade, e agora também o careca e o Caldeira.    

terça-feira, 25 de julho de 2017

A propósito da vinda à Madeira do destituído Passos a televisão do tio Balsemão, passou (a encenação parecia previamente combinada) um diálogo entre ele e um bêbado do leste da ilha, conhecido como o meia bola, onde os dois falavam em tom de gozo sobre uma anterior passagem do traste pelo Chão da Lagoa.

Falavam de um episódio passado, que metia copos nas barracas da Festa, com o mentiroso aldrabão a ficcionar e a tentar ofender.

Sendo célebres as suas rondas pelas tascas lisboetas que acabavam quase sempre com os seus parceiros da noite a terem de o arrastar e muitas vezes a dar-lhe abrigo em vãos de escada, o tipo deve pensar que todos têm um passado igual ao que modelou o seu característico comportamento vingativo e malcriado.

Com a corda toda (dada pelos comandantes da situação) agora até se dá à ousadia de se anunciar para o próximo ano, não sem antes gozar na cara dos seus anfitriões sobre eventuais resultados nas eleições de outubro.







segunda-feira, 24 de julho de 2017

O traste sempre veio à Madeira e fe-los passar a vergonha (se é que ainda há réstia da coisa nos senhores da situação), da partilha do palco da mentira.

O aldrabão Passos Coelho roubou a eito portugueses, madeirenses e porto-santenses, não respeitou orgãos e eleitos pelo povo desta região, vingou-se impondo uma dupla e penosa austeridade ao nosso povo e mesmo assim foi convidado para estar presente no lugar onde antes se celebrava a Autonomia.

Merecem censura e desprezo aqueles que o trouxeram e se submeteram ao escândalo de ouvir e calar  as tontices ditas ali mesmo ao seu lado pelo mentiroso Passos, um homem que prejudicou o país e continua a desgraçar um partido que é também deles (que se saiba). 

Não há justificação aceitável para o convite feito ao tipo para mais esta ida à Herdade do Chão da Lagoa.  

O descarado Passos Coelho, disse lá em cima que a República ganha dinheiro com os juros do empréstimo à Região Autónoma. A lata está mais do que visto não tem limites, pois foi o governo por ele chefiado a impôr à Madeira esses juros vergonhosos.

Agora mostra-se muito ''penoso'' e defende a diminuição deste encargo, logo ele que foi responsável pela imposição de um garrote financeiro aos madeirenses e ordenou o aumento do IVA, do IRC e do IRS na nossa terra. 

Foi este antigo primeiro-ministro sem qualificações para o exercício do cargo, que nunca aceitou o financiamento da obra do novo hospital da Madeira.

E que dizer das centenas de milhões que ele mandou desviar do Fundo de Coesão destinado à Região Autónoma, com a conivência da figurinha que ele impôs a esta malta, para governar as nossas finanças.

Este''deslumbradinho'' deixou-se apanhar pelo cânticos lisboetas e está transformado num verdadeiro representante dos interesses instalados no poder central. Veja-se uma recente contratação que acaba de fazer.  

Quanto ao Passos é preciso manifestar alto e bom som o repúdio às suas vindas a esta terra. 

Viram? Como se previa não falou de autonomia, não se conhece uma pergunta sobre o tema, feita pelos que andaram à sua volta de microfone na mão, nem ele se deu ao trabalho... não tem uma ideia válida sobre o tema.

Faltou-lhe a cábula ou alguém o avisou para não voltar a fazer a ''gracinha'' de surripiar uma ideias alheias, como o fez em discurso recente na Assembleia da República.

Convençam-se!
Este tipo não presta... assim não vão a lado nenhum! 








domingo, 23 de julho de 2017

A apresentação da candidatura do careca foi um verdadeiro fracasso por mais que haja gente paga nas folhas e tentar dizer o contrário.

Havia mais manifestantes do grupo de lesados do Banif e do BES e alguns passantes de ocasião, do que gente propriamente interessada na fantochada promovida pelo recandidato vendido aos poderes de Lisboa e hoje um dos maiores clientes dos folhetos  publicados nesta paróquia.

Marcaram presença,Vitor Freitas o sem profissão, que imagine-se, chegou a liderar os socialistas locais, o ''pereirinha'' sem vergonha que foi vezes sem conta desconsiderado pelo patrão da ''geringonça, também lá estava ofuscado pelo menino Trindade, o preferido, agora a gozar as mordomias do ''tachão''da TAP, um tal Caetano conhecido pela sua incompetência crónica (mas quando se trata de arranjar empregos para os familiares é mestre ), o casal cata-vento Matos, os inevitáveis membros dos clãs Caldeira e Jardim Fernandes, os manos Martins (não os da zona leste) ocupando lugar de destaque o velho Max antigo espião do KGB soviético, os palerminhas sonsos dos polos verdes, o ''joguete'' da senhora dona Guida... enfim um friso de gente com uma vida que se tem  ajustado ao longo dos anos a todas as estações e situações.

Um verdadeiro folclore e muita idolatria ao enviado do poder colonial, que bem tentou ajudar a compor a comédia de fim de tarde exibida ao ar livre na cidade do Funchal.

No fundo, no fundo, contas bem feitas, não estariam mais de cinquenta pessoas a assistir e a participar  na pobre  produção comprada a uma decadente empresa lisboeta. Ahhh careca enganado...

Ver esta brigada neste ajuntamento trouxe à memória uma jantarada comicieira realizada há uns anos no cais da cidade, onde a vedeta que eles bajulavam se chamava Sócrates.

Para agravar as coisas que vão acontecendo por cá nestes dias, não falta muito para um certo desqualificado debitar umas asneiras bem aos seu nível, numa festa que já foi um mais importantes eventos públicos de celebração dos valores da Autonomia.


sábado, 22 de julho de 2017

Merece censura esta ''cubanização'' (no sentido lisboeta e não em referência ao desaparecido Fidel) a que se vem assistindo na política madeirense.

O servilismo que pensávamos afastado dos corredores do poder e dos comportamentos, chega a pairar como uma ameaça ao conquistado pelo nosso povo, depois de anos de luta contra o centralismo e comportamentos tipicamente colonialistas que caracterizam uns certos visitantes.

Será mesmo preciso dar lugar de honra, como estamos a ver, a gente que nunca deu mostras de se preocupar com as dificuldades que ainda caracterizam a nossa insularidade?

Não se iludam com as praças cheias e com as lambuzisses de escribas e agenciadores bem pagos.

Vejam bem quem aparece e porque razão o faz, e procurem reflectir sobre certas ausências.



 

sexta-feira, 21 de julho de 2017

O ''novo'' panfleto que se publica na região, sustentado de forma directa e indirecta pelos dinheiros do povo, tem à frente um sem coluna que publica aquilo que o mandam escrever.

A propósito da vinda à Madeira da cantora quase septuagenária, Fafá do Brasil, que irá apresentar-se nas serras do Funchal, exibindo o seu melhor play-black, mandaram-no alertar e ele como bom serviçal cumpriu, que para ir lá acima, não é preciso apresentar o cartão de militância partidária (os mandantes lá sabem como é que as coisas andam)

Devia saber que nunca foi condição, como se pôde ver em anos passados, o controlo de entradas em função de escolhas partidárias. A afluência dos madeirenses conscientes e apoiantes dos valores da nossa Autonomia teve momentos históricos chegando a atingir as 40 mil pessoas.

Se fosse só para militantes aquilo nunca enchia.

O número máximo de militantes com quotas em dia, só aconteceu em 2014, em consequência de aldrabices patrocinadas. Só assim se compreende que passados dois anos a coisa se tenha ficado pela metade.

No ano da tomada do poder no partido, houve disponibilidade de uns certos empresários que momentaneamente se tornaram uns mão largas, coisa que está mais do que visto só acontece em situações muito particulares. Até o forreta dos hotéis fingia que não via as contas que
lhe chegavam diàriamnete à secretária com as despesas da candidatura do sócio/amigo que fracassou estrondosamente na política, mas que tinha como crédito muitas portas abertas e a participação no acesso a negócios chorudos.

Depois houve também uns venezuelanos, uns ribeira-bravenses e um da Calheta que foram  ''forçados'' a participar no festival do pagamento de quotas e jantaradas.

E vem o interesseiro feito director do folheto de segunda categoria, promover aquilo que em tempos sempre tentou ridicularizar.

O que faz o dinheiro!    

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Passados tantos anos, ainda há nesta terra quem precise da ''benção'' de uns continentais numa tentativa pateta para impressionar??? o povo.

Ainda bem que esse chão já deu a colheita que tinha para dar, e a maioria do povo madeirense está vacinada e a marimbar-se para esta gente vinda de Lisboa. Já não vai em conversas de vendedores de pentes, e não se impressiona com conversas fiadas com sotaque lisboeta e muita aldrabice.

Mas que fazer... se há gente com idade e rodagem para saber que os tempos são outros a insistir e a persistir no convite a aldrabões encartados, enquanto outros deslumbrados pelo poder mantido à custa de muito dinheiro público derramado nas folhas diárias, em particular na inglesa, se preparam para ensaiar mais uma rábula tipo emplastro (coitados dos fotógrafos) durante uma cerimónia a realizar em espaço público, perturbando a vida normal da cidade.

Pergunta-se... porquê este servilismo? As eleições que contam não são para o poder autárquico da nossa terra?

Ainda por cima, um dos visitantes roubou-nos e prejudicou deliberadamente a vida das populações da Madeira e do Porto Santo, enquanto o outro ainda nada fez para melhorar as nossas vidas. Não tem passado de um empata, com tiques colonialistas, que chegou ao ponto de desconsiderar as decisões da estrutura regional do seu partido.

Se entre portas é assim imagine-se quando se trata dos outros, aqueles que não seguem a sua via socialista conluiada com o radicalismo dos seus parceiros da ''geringonça''.



     

quarta-feira, 19 de julho de 2017

A espécie de ''Assembleia de Freguesia'' que tem à frente um rapazinho que recrutou  todos os funcionários do seu antigo??? escritório de forma a aliviar a tabela salarial à sua conta, fechou...finalmente para férias.

Ali do alto da ''importância'' da mesa que conduz os trabalhos o rapazinhho, ocupa-se a dirigir a fraca  capacidade de dialéctica dos seu pares que passam vida a falar sobre o problema do buraco na estrada, sobre a falta de água num recôndito lugar, sobre a escuridão por falta de luz num outro sítio, e mais umas minudências, típicas de uma reunião participada por uns inúteis como o ''gilinho'' que apareceu a falar em tom de típico de um padre fora de época (devem ser efeitos da horas passadas junto do velho sacerdote que foi íntimo e ajudou a sua família a enriquecer).

As populações da Madeira e do Porto Santo, continuam a ser  esquecidas por um parlamento onde têm assento uns incompetentes sem bases e cultura política, independentemente do partido representado. Na oposição??? encontram-se uns desempregados. Na situação exibem-se uns palermas que nunca souberam o que é trabalhar de facto.

O povo está cansado e tem todas as condições para fazer ouvir as sua voz já em outubro deste ano, preparando a grande mudança em 2019, onde aí sim há oportunidade de afastar todo o parasitismo  instalado e manda-lo para as listas do desemprego.

É bom lembrar que muitos dos que hoje vivem à grande por força da sua colocação nos lugares, nunca ''vergaram o serrote''.

A coisa fechou com um debate anual sobre a tristeza da Região e foi de gargalhada assistir ao passa culpas do falhanço dos últimos dois anos para o Terreiro do Paço, como se eles não tivessem sido eleitos e mandatados pelo povo para governarem a Madeira, usando as competências que se encontram consagradas na Constituição e no Estatuto (o que não implica que estas leis  não careçam de revisão urgente).

Se é para continuarem a gritar pela intervenção do poder de Lisboa nas coisas que só a nós dizem respeito é melhor fecharem a loja!

terça-feira, 18 de julho de 2017

Consta por aí que o telefone do controleiro da quinta, não tem tido descanso nestes dias.

Os dois folhetos ao serviço da situação, estarão a disputar as mesmas entrevistas para as edições do próximo fim de semana.

Vamos aguardar para ver quem vai ficar com aquele que desgraçou o país e o partido, e quem vai lambuzar o chefe.

De um já se sabe o que pode sair...
Banalidades e falta de rasgo de alguém que anda à deriva.

Do outro, o que aqui vem em busca de tempo de antena nas televisões nacionais, estando a marimbar-se como é seu hábito para as preocupações do nosso povo, muita chachada e descaramento.

Aguardemos neste último caso pelas recomendações que o controleiro irá fazer junto do aparelho lisboeta.

O problema deles é que há cada vez menos pessoas  (militantes ou não) com disponibilidade para aturar fantochadas!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

O Tó Pó é um daqueles que por onde passa cheira a m....

O folheto inglês liderado pelo bafos, por certo com conivência superior, continua a alimentar os devaneios e outras carências do dito, que a tudo se presta para sobreviver, não importa se com amigos ou fazendo inimizades... o que interessa é facturar algum. 

É neste ponto que se mantém a aliança entre o PÓ  e a folha. Em estado de desespero eles estão a agarrar-se a tudo. Pensam que as loucuras do palerma vendem, mas na realidade aquela porcaria impressa acumula-se todos os dias nas bancas e está nas horas da amargura, sem leitores. 

No entanto, para pagar os servicinhos ao ''cavalheiro'' é só tirar uma coisinha àqueles milhares (dinheiros escandalosamente retirados ao povo) usados pelos clientes dos suplementos, anúncios e notícias compradas.






  



domingo, 16 de julho de 2017

Há cada cambalhota!

Um tal que chegou a liderar a juventude do PS, e foi durante muito tempo ponta de lança dos socialistas no folheto inglês aproveitando todas as oportunidades para dizer mal do PSD e do anterior governo, passou a elogiador da nova situação.

O que faz o dinheiro! Ética e coerência não fazem parte do carácter desta figurinha que segundo consta, afirma estar apenas a obedecer àquilo que o mandam fazer.

É este o triste ambiente que se vive na dita social, onde se movimenta também o camacheiro que atravessou a Rua Fernão de Ornelas e que passou a ser igualmente mais um elogiador por ordem dos novos ricos a quem o ''sem malícia'' fez um frete.

Agora há uma onda de unanimismo. São páginas e títulos garrafais a dizer bem do chefe, do ''sem malícia', do contabilista, do antigo gestor de condomínios, do careca e até do representante da ''geringonça'' na Madeira.

A disputa dos milhares gastos em cadernos, anúncios e subsídios vai brava. Um milhão para o chamado JM, outro milhão para a folheto vizinho, uns milhares para calar uns que reclamam todos os dias.

São quase dois milhões e meio em movimentações anuais de dinheiros do povo, que podiam ser aplicados em dezenas de habitações para as pessoas carenciadas.  

sábado, 15 de julho de 2017

No panfleto inglês continua a política do vale tudo, desde que seja para dar cobertura favorável a quem lhes paga (e bem) a propaganda mentirosa.

Recebem as encomendas já escritas e entregam-nas a jornalistas inexperientes e sem competência que nada questionam. Veja-se a mentira enviada pelo careca a propósito de uma espécie de ''miragem'' sobre benefícios fiscais.

O que  fez uma pobre rapariga que assinou por baixo o texto publicado sobre o assunto? Sem questionar nada nem ninguém deu eco à barbaridade vinda do gabinete do careca recandidato, dizendo que a Câmara vai dar benefícios fiscais aos funchalenses.

Mentira!

Quem tem competências para tal é o Governo da República, a Assembleia da República e o Governo Regional, neste caso nos termos previstos pela Lei das Finanças Regionais.

Em matéria de reabilitação urbana é a legislação nacional que define os termos da redução do IVA. A Câmara também não tem capacidade para tocar nas isenções de IMI. A Câmara apenas pode mexer nas taxas municipais.

Aprendam, leiam e estudem antes de escrever asneiras. Não embarquem nas conversas das chefias vendidas.

Não enfileirem na lista de jornalistas ignorantes que rodeiam essa gente sem escrúpulos.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Cuidado que ele até discursos rouba.

Soube-se agora que a intervenção que o homem fez na Assembleia da Republica durante o debate anual sobre o Estado da Nação, tinha sido poucas horas antes da sua subida ao palanque, copiada do facebook de um seu antigo ministro (a seu mando tentaram limpar os vestígios mas já era tarde).

Seria coisa para uma boa gargalhada se não fosse demasiado séria. Esta criatura que ainda continua nas boas graças da cúpula que lidera a actual situação aqui na Madeira, coisa que se compreende face aos ódios de estimação partilhados, prejudicou o país e continua a prejudicar o PSD, mas vá lá saber-se porque razões, voltou a ser convidado este ano, para exibir o seu barretinho com tecido roubado aos trajes do folclore regional.

Àqueles que ainda recentemente (contra a corrente dominante) falaram alto, bem, e para bom entendedor, sobre Autonomia no parlamento da Região a 1 de Julho, recomenda-se cautela não vá o tipo recorrer ao plágio na discursada lá em cima, tentando assim branquear o seu conhecido passado.  

Como se sabe, não é de confiar no comportamento e na palavra deste político cuja fácies cada vez mais é o espelho de alguém de mal consigo próprio e em estado de desespero.

Já agora lembram-se de alguma frase, gesto, escrito, pensamento ou seja o que fôr da autoria deste  homem, sobre as Autonomias Regionais?

É claro que é difícil...mas agora que ele se prepara para aqui desembarcar, aproveitem para perguntar-lhe qualquer coisinha sobre a Revisão Constitucional (não o deixem falar sobre as baboseiras que constavam num documento elaborado nos  primórdios da sua liderança pelo louco Teixeira Pinto que andou pela banca, e que alguém de bom-senso o mandou encaixotar). Falem-lhe de Autonomia e do Estatuto Político Administrativo (não aceitem misturas e comparações com os Açores a treta a que eles se agarram quando nada têm para dizer). 

Vão ver que dali não vai sair nada. 

O tipo convive mal com a nossa realidade, odeia a palavra Autonomia e detesta os madeirenses a quem fez pagar caro, um gesto de liberdade tomado em tempos numa reunião partidária. 

Pior?... talvez o velho ditador de Santa Comba, mas esse ao menos tinha algum intelecto! 








  



quinta-feira, 13 de julho de 2017

O traste vem à Madeira a convite desta gente que, comprovadamente, agora é mais notório, foi insensível ao roubo feito ao povo desta terra e à constante falta de solidariedade do governo que teve o desqualificado sem profissão como primeiro-ministro.

Ele impôs aos madeirenses juros superiores aos pagos pelo restante país. Juros superiores aos que Portugal paga e chefiou um governo que desviou os dinheiros do Fundo de Coesão destinados à Madeira.

Só se pode entender como ''marimbanço'' para o povo e provocação, o convite para a Festa do Chão da Lagoa, ao vingativo sem bandeira (a que ostenta na lapela) é tão falsa como a sua personalidade.

Por cá parece que se esquecem dos processos e perseguições a deputados do seu próprio partido, eleitos pelos madeirenses e pelos porto-santenses, por terem ''ousado'' colocar a sua terra e os seus eleitores à frente dos interesses da besta.

Mas será que ainda não perceberam que o homem só afugenta?

Em Março foi publicado neste blogue, um texto que terminava com uma recomendação que parece continuar a não ser tida em linha de conta por estes ''renovadinhos'';
 

Só para lembrar o pensamento de Sá Carneiro a quem anda por aí a defender o centro direita  e a outros que não respeitaram o legado do fundador:

''Somos o que somos; não temos medo de parecer o que somos, autenticamente social-democratas''

''O PSD não é um partido neo- liberal e não é de centro-direita.''

''O PSD é o partido mais português do panorama político português.''

''As nossas qualidades só podem ser aperfeiçoadas e os nossos defeitos diminuídos, se todos, velhos e novos procurarmos um rumo comum, baseado na diversidade de posições, no livre e continuado debate de ideias e de programas.''

''O modelo capitalista de desenvolvimento conduz a que dentro de um mesmo país, seja cada vez maior a distância que separa ricos e pobres.''

''Nós Partido Social Democrata, não temos qualquer afinidade com as forças de direita, nós não somos uma força de direita.''

''Uma política económica e uma política social tem de ser uma política de programa de desenvolvimento, e não pode ser uma política de contenção e de estrangulamento.''

''Não há pressões de direita ou de esquerda que nos façam alterar o nosso programa. Não há pressões de direita ou de esquerda que nos façam alterar a nossa política social-democrata.''

''Um Partido Social Democrata  não é apenas militância organizada com vista à conquista do poder por meios democráticos, não é nem pode ser, mera máquina eleitoral.''

''Em política, talvez mais do que noutros campos o que interessa é o que vamos fazendo, muito mais do que aquilo que nos propomos atingir.''

''Mesmo nos povos mais conformistas a paciência tem limites.''

Aprendam!

E agora acrescentamos, aprendam mesmo, se não querem perder o cada vez mais escasso eleitorado que ainda vos dá o voto!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Há aquela velha máxima;

-Só não muda quem é burro!

Foram anos a alertar para o erro de se avançar com um novo Estatuto para a Região, sem antes propor e discutir uma profunda revisão Constitucional.

Estava à vista de toda a gente que seria uma pura perda de tempo discutir uma nova lei aqui, sem criar condições para lançar uma verdadeira mexida na Lei Fundamental.

A teimosia lá pelas bancadas da Avenida em frente à bonita Praça do Povo durou mais ou menos dois anos.

Agora mostrando que afinal havia por ali algum bom-senso escondido (no passado dia 1 de Julho já se notou alguma coisa) e gente que pensa bem a política, parece que a estratégia vai mudar (ou já mudou?).

Resta aguardar pela reacção do grupo que anda à volta da chamada geringonça aqui e lá, mas também conhecer o pensamento do ressabiado Coelho que fez a vida negra aos portugueses e com especial ''requinte'' aos madeirenses e porto-santenses. Infelizmente ainda há quem espere alguma coisa deste desgraçado e da tia que se encontra à frente do CDS.  

Aguardemos, com muitas cautelas mas aguardemos.

Na outra vez registou-se unanimidade e consenso quando o documento enviado pela Madeira  subiu ao plenário de São Bento, mas seguiram-se vezes sem conta momentos em que os instalados na antiga capital colonial, fizeram-se de tontos.

Aliás assumiram o seu estado normal!

terça-feira, 11 de julho de 2017

Eles teimam em falar de obras como se o governo a que pertencem tivesse lançado ou adjudicado qualquer coisa nova.

A lata começa no chefe e contagia os seus ajudantes, como é caso do sem emenda incompetente e antigo gestor de condomínios feito secretário. O que vem do aproveitador ''sem malícia'' já não surpreende.

Falaram na grande obra realizada em Santana, mas tudo fazem para tentar fazer esquecer que foi o anterior presidente, pessoa que muito criticaram a lançar os concursos, a adjudicar e a iniciar os trabalhos. Todos sabemos que só aquela coisa chamada PAEF, obrigou a suspender o que  se encontrava no terreno muitas em adiantado estado de desenvolvimento.

Falam da visão do governo a que pertencem, mentindo e aldrabando, tal como já o fizeram com a história do túnel da Madalena.

Ali, receberam um túnel já aberto, a que apenas faltava instalar equipamentos e acabar a pavimentação.

O descaramento é tanto, vivem num vale tudo, chamando a si méritos alheios e pior passando a ver virtudes onde antes só viam desgraças, mau planeamento e gastos desnecessários!

É ler e ouvir o que diziam nos salões da contestação e informação ao serviço do contra.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

O comunista colocado pelo seu partido na Câmara (vivíamos ainda ano século passado) revelou-se um grande beneficiário (profissionalmente) das decisões da equipa do careca.

Em troca de abstenções em momentos estratégicos, recebe milhares por serviços jurídicos encomendados pela Câmara. Metido neste esquema de tráfico de influências encontra-se também o ''menino'' Zé Manel, a quem a equipa ''cafofiana'' concedeu a benesse de um emprego para a sua actual companheira.

Com estes esquemas e a compra deste dois ''parasitas'', o careca e os seus, não vivem no sufoco de perderem votações.

E ainda falam em transparência.

Passam todo um mandato a fazer estes vergonhosos ''servicinhos'', vendem-se à descarada e as folhas compradas, a velha e mafiosa e agora também a capturada nada dizem!

domingo, 9 de julho de 2017

O putativo candidato que se diz doutor esteve num debate sobre a obra do novo Savoy. Apresentou-se ''no seu melhor'' exibido muita prosápia e vomitando ódio.

Como se tivesse moral para falar, ele que não respeitou a lei e construiu um prédio a menos de 50 metros da histórica capela de São João, ele que passou por cima de todas as regras e foi promotor de uma obra de legalidade duvidosa na zona dos Barreiros.

Este azedo com manias de justiceiro não passa de um má língua sem bases.

Ainda há poucos dias foi desmascarado a propósito de um negócio manhoso num lugar sugestivamente chamado Amazónia, que em tempos foi lugar de festas nocturnas com clientela ao nível do Tó Pó,  agora transformado em parque de estacionamento que não cumpre os mínimos da legalidade como é a não emissão de recibos aos seus utilizadores.

Grande moralista. E que tal se fosse dar banho ao cachorro (ou ao gato).

sábado, 8 de julho de 2017

Está aberto o saque e ninguém se mexe.

O sul africano e os seus sequazes Sousa e os Prada ''manos meios cubanos'' fazem uma ''vidaça'' sem respeito por nada.

Controlam a economia da nossa terra, mandam no jogo, definem as regras da hotelaria, são senhores nos jogos de casino, definem tudo o que se faz na Zona Franca e nos Offshores, tomaram conta do negócio das limpezas nos hotéis, estão na linha da frente para atacar um empresário madeirense que está a investir na Madeira sem recurso a esquemas (têm o apoio de uns idiotas  úteis numa contestação sem sentido)

Eles ao contrário, em conluio com o Sousa manhoso e interesseiro, e com os poderes subjugados, triplicam quartos como é caso do Regency e estão a construir  com licenças duvidosas, caixotes em vidro em terrenos públicos e sem licença.

Esta gente vive há muitos anos a marimbar-se para tudo e todos.

É preciso denunciar esta pouca vergonha!   

sexta-feira, 7 de julho de 2017

A prometida Escola da Ribeira Brava dava um filme de intriga, mentira, descaramento e muita lata.

Ao ''sem malícia'' deram-lhe as competências na secretaria a quem cabe resolver o imbróglio criado pelos ''renovadinhos''.

Mas como o ''nosso'' homem anda sempre em viagens pagas pelo erário público, poupando assim uns dinheiros à sua reforma, falta-lhe tempo para governar e de vez em quando lá se ocupa da coisa pública.

Deu uma resposta esfarrapada ao actual presidente da Câmara (pessoa competente que eles querem afastar) dizendo que as obras da escola teriam início no final do primeiro trimestre de 2017.

O eco da afirmação do ambicioso governante que se deu à ''maçada'' de responder a alguém que foi eleito e responde perante o povo, teve o dedo do escriba que assina VH,  que nem questionou a palavra ouvida ou soprada,  quando devia saber que o concurso para a obra  foi lançado e demora cerca de seis meses entre a abertura, análise e verificação pelo Tribunal de Contas. Se não fosse um''fretista'' teria reparado que com este calendário do ''sem malícia'', a coisa só começa em janeiro de 2018.

A trapalhada à volta da Escola da Ribeira Brava é grande, pois já em 2016 o chefe disse e o ''sem malícia'' confirmou que a obra arrancava em outubro desse ano.

Como está à vista a mentira e a incompetência vive de mãos dadas num conluio entre o ambicioso  governante ''sem malícia'' e o jornalista dos fretes ao serviço da folha inglesa, que recebe milhares todos os meses, retirados aos bolsos do pobre povo desta terra.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

O descrédito da dita classe jornalística madeirense é uma triste realidade nos tempos  que correm. Aquilo são obediências, respeitinho, muito respeitinho, que os dias não estão para ''armar-se aos cágados''.

No folheto confiado ao ''bafos'' eles escrevem o que o dito cujo ordena (nunca facturaram tanto).

Vejamos alguns exemplos;

A sala de Congressos do Casino tem 650 lugares sentados, e concedemos que haja espaço para se ajeitarem em pé umas cem pessoas, mas para agradar aos que vêm pagando usando os dinheiros do povo, escreveram que lá estiveram durante a realização de uma coisa chamada Convenção Autárquica, promovida pelo partido tomado de assalto pelos ''renovadinhos'' duas mil pessoas. O recurso à aldrabice já tinha acontecido na altura do congresso do PSD realizado no mesmo local.

Ora se o PSD apresenta às eleições do próximo mês de outubro, mil e duzentos candidatos e partindo do princípio que todos foram convidados, a coisa fica pelos cinquenta por cento em termos de participação. A mentira teve eco também no papel propriedade de uns novos ricos e agora dirigido pelo saloio que atravessou a Rua Fernão de Ornelas. Aqui falou-se em enchente e grande mobilização por certo num gesto de agradecimento à borla feita na arrematação.

Estes exageros têm sido recorrentes neste modelo de pensamento único que hoje é lei na imprensa diária desta região. Não esqueçamos os quatro mil do Tecnopolo na apresentação da candidatura da menina (nos dois pavilhões que eles ocuparam só cabem dois mil).

Depois há aquela inutilidade a que chamaram Posto de Turismo da Câmara, uma coisa que funciona durante dez hora por dia e estes vendidos, neste caso ao careca candidato, falam numa frequência de trezentas e trinta pessoas por dia, ou seja a cada minuto e meio, sem interrupções é feito um atendimento.

O careca farta-se de regar, mas que diabo, não há um jornalista cabaz de o questionar, desmascarando a ficção.

Os outros dois, os que estão à frente da porcaria publicada diariamente não devem permitir ousadias!  

 

quarta-feira, 5 de julho de 2017

O putativo candidato diz que tem curso superior mas é mais um dos muitos que andam por aí a exibir  coisa que, por vadiação, não chegaram a completar.

Apresenta-se como pessoa séria mas na verdade só é assim quando não exibe o sorriso cínico próprio da sua personalidade não recomendável.

Exibe fortuna fácil herdada, parte dela sonegada à própria igreja.

É um promotor de esquemas e construções ilegais. Nunca é demais lembrar a vergonha de São João, mesmo junto à capela, uma chamada Quinta das Rosas e o fim que levaram os dinheiros que o seu antigo partido recebeu e nunca justificou, ao ponto de ter desaparecido do mapa por ordem do Tribunal Constitucional.

Agora ficamos a saber do esquema que montou num parque de estacionamento manhoso que não respeita a lei (a pessoas pagam para lá estacionar os seu carros em más condições e ainda por cima, recibo nem vê-lo).  E ele apresenta-se como paladino do combate à corrupção, atacando tudo e todos.

Para avaliar o caráter da personagem basta ver quem anda e tem andado ao seu lado.

Baltazar da família que durante anos espezinhou os colonos sujeitos ao vergonhoso regime em boa hora extinto pelo primeiro Governo da Autonomia, o descendente de ingleses que se fartaram de explorar os agricultores e os produtores da cana-de-açúcar, os idiotas úteis Tó Pó e Dionisio da barriga dilatada e agora com lugar na putativa lista, um mau profissional de saúde conhecido pelo seu mau feitio, por trabalhar pouco, e pelos ódios vomitados nas cartas do leitor e comentários  publicados no on-line do folheto inglês, onde se exibia de camisa amarela.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Voltamos ao mesmo mas a criatura para além de ser pouco inteligente continua a ultrapassar as marcas não respeitando nada nem ninguém.

Todos nos lembramos que chegou a ser expulso do partido por ter apoiado e participado na campanha autárquica de 2013 do candidato socialista e hoje presidente da Câmara do Porto Moniz.

Apesar deste comportamento ressabiado esta malta que agora manda no partido voltou a abrir-lhe as portas como prémio pela sua deslealdade ao líder de então.

Julgando-se importante e influente lá pelo Norte da ilha, agora veio pedir o voto num ''pelintra'' que chegou a integrar a equipa do actual autarca socialista do Porto Moniz.

É para um partido que integra gente desta, que agora pedem unidade?

Que querem coesão?

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Definitivamente a escolha da criatura para o governo revelou-se um verdadeiro desastre.

Ele inventa e diz umas tontices sempre que lhe dão corda e colocam um microfone à frente. Acaba de falar numa aberração que resolveu batizar de ''vacas limousine''. Ele que regista no seu percurso profissional uma carreira de mau gestor, anunciou de forma leviana uma espécie de prosperidade repentina para os nossos criadores de gado e em consequência uma nova fonte geradora de riqueza para a Madeira.

O que ele não disse porque é incapaz e não estuda nada é que a implementação de um programa destes custa muito dinheiro em alimentação especial para os animais a que se junta a pequena dimensão dos nossos pastos, factores que desmotivam qualquer pessoa minimamente informada sobre o assunto. 

Por outro lado, nos Açores onde existem explorações que se dedicam a este negócio, há condições  que nós não possuímos, acontecendo o mesmo no território continental.

Ele não percebe que há uma escala que separa um bom negócio ou uma boa ideia, de uma aventura sem sentido e rentabilidade.

Aquilo é só abrir a boca.

Exportar carne de vaca da Madeira?

E que tal se começassem a pensar na exportação de um secretário regional!      

domingo, 2 de julho de 2017

Acenaram-lhe com um maço de notas e ele foi a correr para o outro lado da rua. Era preciso fazer o frete ao  antigo ''sócio'' das pirâmides que enganou muitos na Venezuela e dar boa cobertura ao chefe e àqueles que com ele fazem equipa.

O papel rebaptizado é só elogios.

O dinheiro subtraído aos bolsos de povo sai do orçamento e faz uma viagem enviesada para a Calheta com passagem pela Ribeira Brava e finalmente cai nos cofres daquilo a que passaram a chamar JM.

No essencial tudo continua na mesma.

O povo continua a pagar.

Perder dinheiro? Mas quem é que quer perder (enterrar) dinheiro?

Ainda por cima sem nada em troca? Mas alguém acredita?

sábado, 1 de julho de 2017

O funcionário que assume o papel de pau mandado do Terreiro do Paço, continua a gabar-se da sua desastrada gestão dos dinheiros do povo madeirense.

Agora teve a grande lata de afirmar que a Região pagou em 2016 cerca de 360 milhões de euros ao governo de Lisboa enquanto continua a falar de um superavit que só serviu para o governo da ''geringonça'' baixar o seu défice.

''Grande'' estratega o peste.

O feito de que ele se gaba constantemente foi conseguido à custa das poupanças dos madeirenses e dos porto-santenses e das empresas que continuam a ser massacrados com os impostos mais altos do país, seja em IVA, IRS ou IRC.

Enquanto a criatura desgoverna o povo continua a assistir aos gastos dos incompetentes que passam a vida a bordo de aviões em viagens para a África do Sul (então para Inglaterra é um fartote), e também para os Estados Unidos.

Com esta pequena figura o poder está a ser entregue ao continente.

Pior só o anormal Passos, o tóxico que que descredibiliza todos os dias o seu partido e foi o grande responsável pela subida ao poder da geringonça.

E o tal que um dia destes falou em união teima em andar de braço dado com este ressabiado.

Neste caso devem ser coisas de irmandade!

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Nota-se que há um nervoso ''miudinho'' por aí.

Promovem-se sessões aparatosas mas de  fraco conteúdo. Aspiram-se altos voos mas as asas são do tipo ''galinha'' abanam, abanam, levantam poeira mas pouco mais. Há gente que sente enganada não está para outra e é difícil de mobilizar.

Então se for confirmada a presença do ''ente querido'' de Lisboa na festa que pretende reavivar outros tempos, nem queiram saber. As clareiras, lá em cima vão rivalizar com a cerimónia de posse do Trump. 

Entretanto, lá se vão gastando uns milhares em publicidade numa rádio, nas páginas do folheto e em posters nas paragens de autocarro, tudo controlado por gente amiga (pensam eles) ''promovendo'' uma coisa chamada Race Village (os tempos das chamadas tendas VIP já lá vão). Agora é em inglês. Eles acham que fica mais fino e afugenta o povo que ainda tem orgulho na sua língua e maneira de se expressar.

Assim só entra gente selecta.

O problema é que a maré está cheia e o barco pode...  





quinta-feira, 29 de junho de 2017

Vai por aí muita confusão e oportunismo em certas cabeças.

A 1 de outubro há eleições para as autarquias. Ninguém será chamado nesse dia para votar apara qualquer associação de agricultores, para instituições de solidariedade social, associações viradas para a cultura, para as Casas do Povo ou para as direcções dos grupos folclóricos que temos por toda a Região.

1 de Outubro foi o dia escolhido para que a população escolha os seus representantes nos orgãos de poder local.

E então pergunta-se?

O que leva este ''batalhão'' de candidatos ao embuste a que vimos assistindo?

Falam em conceder apoios para a aquisição de material escolar coisa que já é fomentada pelos governos. Falam de passes sociais como se isso fosse da sua competência. Não é nem nunca foi, faz parte dos programas do executivo regional.

Chegamos ao cúmulo de ouvir falar em cedência de terrenos agrícolas coisa que os governos há muito fazem.

Outra burla, anda à volta das palavras proferidas nestes tempos de campanha por alguns senhores e senhoras candidatas a propósito de apoios sociais às famílias, como se governo, segurança social, dezenas de instituições particulares e a Cruz Vermelha não trabalhassem todos os dias, há muitos anos na ajuda aos mais necessitados desta terra.

Outra de gargalhada tem a ver com os apoios prometidos às Casas do Povo. Será que estes pretendentes a tacho político não sabem que os governos têm sido importantes aliados destas instituições contribuindo para a sua actividade no dia a dia ?

Como não têm ideias e só pensam em votos também prometem intervir na política dos passes sociais.
Pergunta-se de novo...para fazer o quê?

Se alguns destes candidatos e recandidatos (para não dizer a maioria) trabalhassem um pouco mais não teriam qualquer dificuldade em preparar programas verdadeiramente autárquicos. Teriam um olhar diferente e mais responsável sobre o estado em que se encontram as redes de abastecimento de água e de saneamento básico, apresentariam propostas para a melhoria e manutenção das acessibilidades. Cuidariam do estado da luz eléctrica nas zona públicas pondo os seus técnicos a interagir com a EEM. Teriam especial atenção com o estado da estradas, diriam uma palavra sobre licenciamentos mais céleres num quadro de legalidade. Mostrar-se-iam candidatos preocupados e disponíveis em primeira lugar para as populações dos seus Concelhos e Freguesias.

As funções dos autarcas não devem nem podem ser confundidas com agentes de  espectáculos ou parceiros de entidades privadas a quem dão milhares (100 mil euros foram dados ao folheto inglês por uma Câmara para que este assumisse a promoção e organização de uma festa). Não são toleráveis pagamentos na ordem dos 50 mil euros a cantantes para uma única actuação.

Apresentem-se com programas sérios e verdadeiramente virados para o poder local, que esse sim é da vossa competência.

  

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Alguém tem ideia de uma única promessa cumprida por esta rapaziada que se encontra no governo?

O saldo é zero... passados mais dois anos, esta governação não tem nada de novo para apresentar. Tem vivido à custa de ideias herdadas do passado e quando se lança ao terreno é para apresentar como suas, obras projectadas e lançadas pelo anterior governo.

Durante a campanha eleitoral que resultou no assalto ao partido e ao poder, fartaram- se de falar de um navio ferry sem cuidarem de saber se a operação tinha viabilidade. Chegaram a assinar em cerimónia pública uma folha de papel que iria colocar um avião de carga a voar semanalmente para a Madeira. Juntaram-se a umas ''boas'' biscas e foram enganados.

Depois foi o hospital, voltaram ao navio e ao avião, prometeram o bom e o melhor no tarifário dos residentes nas viagens de avião para o continente e é o que se vê. Um burla.

Costumam aparecer em público em tom ameaçador perguntando...(chegam ao ponto de dar palco a uma figurinha que se julga importante no Porto Moniz e aquilo resulta numa cena de comédia)

- República, onde está o governo dos mentirosos da República?

Na sua sabedoria o povo murmura...

-Mas eles não tinham tudo estudado?

Agora, à beira de eleições, o folheto bem pago com os dinheiros subtraídos aos bolsos do povo, lá fez o frete anunciando o sim??? da União Europeia autorizando??? a operação de um navio subsidiado com o dinheiro dos madeirenses para transportar passageiros e carga entre o Funchal e o Algarve.

Mas será mesmo assim? A UE pelo vistos (não se importa que eles gastem o dinheiro do povo) pois de Bruxelas não vai sair um cêntimo para a coisa.

Estava tudo preparado para que a última terça-feira do mês de Junho fosse um dia de festa.

Mas a fácies com que o chefe apareceu à ''plebe'' não mostrava felicidade.

Não disfarçando um certo azedume (vá lá saber-se porquê) apareceu a disparar para todo o lado.

Responsabilizou o governo do Costa (mais um frete ao amigo tóxico que anda por aí á deriva) pelos atrasos e incumprimentos das promessas com que andou a tentar entreter o povo madeirense e numa cerimónia partidária chegou a soltar indirectas sobre pensamento livre no partido (coitado é um santo).

Deixem-se de desculpas. Autonomizem-se.Utilizem as vossas competências.

Governem!

Não pensem que esta é uma terra de papalvos!
  


 

terça-feira, 27 de junho de 2017

A dupla ''pereirinha''- Freitas dois tipos com um longo histórico de expedientes parece que vive dias de pânico.

Exibiram aviões e helicópteros nos céus, vendendo a ideia de que estes são os meios mais adequados   para o combate aos incêndios florestais que nesta época do ano têm surgido nas nossas serras (diz-se que chegaram a constituir uma empresa para gerir a loucura). Meteram-se na empreitada sem terem competências nem mandado para tal e agora em desespero vêm os dias a passar e a região a não mostrar interesse no aluguer das aeronaves.

Manobraram a dita comunicação tentando passar a mensagem da viabilidade da operação.

Mas o problema é que se mantém no ar a pertinência de saber se os aviões e os helis irão utilizar água doce ou abastecer nas salgadas águas do oceano que rodeia a nossa ilha???

Falta também conhecer o custo da ''leviandade'' destes dois mais também e porventura em primeiro lugar se não estaremos perante mais um fiasco com a assinatura do ''nosso pereirinha''.

 


segunda-feira, 26 de junho de 2017

O ''sem malícia'' está a passar por uma crise. Aparece em público ''bota'' discurso e mostra muita falta de imaginação.

O descarado agarra-se a qualquer coisa para dar prova de existência. Está há dois anos no governo e até hoje não lançou uma obra que fosse para amostra. Limitou-se a inventar uma estrutura para obras directas, aumentando assim os custos com pessoal, ignorando que no sector da construção há empresas com capacidade de resposta e muita gente no desemprego.

Foi à Calheta e do alto do palanque anunciou a ligação Ponta do Sol- Calheta obra que foi planeada pelo anterior governo.

Anunciou a ligação Raposeira- Ponta do Pargo obra que igualmente vem dos tempos da governação de Jardim.

Assumiu a obra do talude da marginal outra obra que é também herança recebida desse mesmo governo e que já tem inclusive, garantidos apoios comunitários.

A ligação Jardim do Mar- Arco por túnel, que apresentou como novidade também foi estudada pelo anterior governo (lá pelo seu gabinete alguém deve ter lembrado que a papa já estava toda feita) e então toca a ''adornar '' o seu pobre discurso.

Este governante ''sem malícia'' é mesmo só conversa e muito paleio, demonstrativos da sua incompetência e ''malandrice''.

domingo, 25 de junho de 2017

O homem deve andar a apanhar demasiado sol na cabeça.

Então aquela coisa que ele engendrou para o subsídio de mobilidade e que tem a lata de continuar a classificar como o melhor modelo alguma vez experimentado pela população madeirense, afinal já em janeiro de 2016, logo no início do processo, merecia ser reavaliada?

Esta criatura tem se revelado uma perfeita nulidade sem preparação para o exercício do cargo, vive de aparições mediáticas a propósito de ideias herdadas do passado recente. Quando se mexe mostra-se um verdadeiro empata e culpa sempre os outros pela sua ineficácia.

Na questão da tal mobilidade clama pela República e mais República, como se ele não estivesse investido de responsabilidades num governo com competências próprias. Fala em grupos de trabalho que ele próprio diz que não existem contrariamente à sua vontade??? (diz num comunicado patético)

Agora até tem o descaramento de falar em ''graves prejuízos para a população'' palavras que nunca sairam da sua boca quando já muita gente alertava para o desastre. Chegou a defender uma espécie de ''policiamento'' à utilização dos cartões de crédito dos madeirenses no pagamento das suas viagens de avião para o continente .

Lembram-se?

Já  agora esperemos que ele  não se esqueça de pedir aos Deuses que soprem um ventinho nos próximos dias na baia do Funchal. Senão vamos ter mais um fiasco e isso não será nada bom para a sua ''cagança''.

E ainda por cima o São Pedro em dias de festejos populares (não os das tendas para queques montadas na Praça do Povo) pode não gostar que lhe atribuam as culpas!

sábado, 24 de junho de 2017

Houve tempos em que o conhecido ''vais com selo'' era mais discreto, Não era visto (nunca) em reuniões com partidos onde fazia pactos de não agressão, comprometendo o seu folheto à custa de muito papel a circular entre as mãos.

Selavam-se acordos de confidencialidade com a garantia de controlo total dos tipos dos artigos de opinião,combinavam-se entrevistas amigas, encomendavam-se reportagens e colocavam-se os escribas a toque de caixa sob a ameaça de sanções se alguma coisa falhasse.

Agora não há tantos cuidados e tudo é feito à descarada. Senão veja-se o negócio acordado com o parvalhão de Machico que acaba de dar ao pasquim inglês cem mil euros para publicitar a semana gastronómica.

Trata-se de mais um escândalo feito ''na cara'' do povo.

Mas alguém tem dúvidas que é chegado o momento de desmascarar estes sem vergonha que andam a encher a carteira à custa do governo e das câmaras?


sexta-feira, 23 de junho de 2017

A construção do chamado Hospital Particular vai contra o Plano de pormenor do Amparo em São Martinho.

A aprovação desta obra é um verdadeiro escândalo.

Também está em causa o PDM.

Toda esta vergonha tem vários responsáveis mas o maior de todos é um sobrinho presidente de Junta, do agora endinheirado que em tempos que já lá vão, cumpria o horário de trabalho como um vulgar empregado da Caixa Geral que era de facto.

O titio ex-Caixa como se sabe deixou os balcões da instituição depois de ter transformado papel em dólares e mais tarde em euros, e é hoje figura de proa em certa irmandade de obediência inglesa e ''Mammerickxsiana'', mentor e sócio do futuro hospital para gente com posses.

Será que o anafado presidente de Junta e o seu parente chegado irão acabar como alvo do grupo das providências onde tem palavra regular um conhecido agitador e agora putativo candidato à presidência da Câmara do Funchal?



quinta-feira, 22 de junho de 2017

Não foi há muitas semanas que apareceu uma notícia falando do interesse de determinado grupo hoteleiro em relançar-se no negócio dos transportes aéreos de passageiros.

Há uns anos, experimentaram e fracassaram (eram outros tempos e como começaram abrir-se outras portas e facilidades entregaram os aviões e guardaram a ideia na gaveta)

Pois agora, num curtíssimo espaço de tempo o sócio amigo, começou a atacar as políticas do governo de Lisboa, no seu entender responsáveis pela discriminação aos residentes nesta região (aqueles que foram pressionados a manter as mordomias do dito cujo nos corredores do poder, pagas pelo povo,  os verdadeiros azelhas deixaram de ser importunados pelo ''fala alto'' nomeadamente o queque colocado no turismo e transportes)

Primeiro foi com um texto publicado na folha dos seu amigos ingleses e agora do alto do palanque da Assembleia Legislativa, sim foi aí porque o homem não está para grandes misturas (nem pensou que é esse o ''altar'' escolhido pelo  Coelho para aos seus ataques de loucura) que debitou umas coisas sobre preços de viagens, promoções vedadas aos aqui residentes, custo de viagens na TAP para Canárias com o consequente desvio diz ele, de turismo para destino concorrente (coisa que prejudica imagine-se quem ???) e lançou uma espécie de grande acusação.

A TAP  de maioria pública é igual a uma TAP privada e ainda por cima recebe 50 milhões do Estado na operação para a Madeira.

Este súbito frenesim de quem não deve ter memória da última vez que pagou um cêntimo do seu bolso à TAP tráz água no bico.


Em certos gabinetes de um hotel cuja arquitectura (ou melhor desenho), são atribuídos a um comunista brasileiro de renome, imagina-se a conversa diária.

50 milhões? É muito dinheiro, e ainda por cima concretizava o sonho da linha aérea . Porque não para nós? Será bom ter um encontro discreto com o Trindade, agora que ele está lá metido e também leva por tabela com aquela de venderem barato bilhetes de avião para as Canárias?

Foi uma grande ideia amigo e velho sócio, esta de agitar o povo revoltado com os custos das viagens praticados pela TAP. Os menos atentos aumentarão a sua revolta, e quando derem conta de que voltaram a ser ludibriados, o bolo já estará nas nossas mãos.

Prada... procura na cave o velho dossier da Air qualquer coisa, sacode a poeira... pode haver alguma coisa aproveitável no estudo que mandámos fazer e assim poupamos uns trocos!

O nosso lobista permanentemente no terreno não gosta muito de trabalhar, mas como estarás farto de ver já nos ajudou a abrir as portas em muitas coisas.

Até a porta por onde entraste para o nosso grupo...lembras-te?

Comecem a pensar num nome para a coisa...e tu sócio e amigo de longa data a partir de agora não batas muito forte no tal chefe da ''geringonça''.

Até que sou muito amigo dele...e o Trindade também.

Diz mal de outros! Todos sabemos e tens uns odiosinhos de estimação.


Uma pouca vergonha 
Um escândalo.
Pensam que toda a gente anda a dormir.










  

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Foi há mais de vinte anos que se falou num tal projecto de uma Singapura no Atlântico.

Passado todo esse tempo, o que é que vem dali da área ''renovadinha''?

Oportunismo de quem tem vivido de projectos que lançados pelo anterior governo, como é caso flagrante do contabilista que por certo num momento de delírio falou em qualquer coisa que tem a ver  com desbloqueios???

Ora a atração daquelas geografias pelo Centro Internacional de Negócios é muito simples de entender.

Apenas com uma pequena industria instalada na concessão ''oferecida'' ao hoteleiro vindo da África do Sul e ao seu amigo colocado nas cervejas, sem grande investimento e com muito pouco pessoal, conseguem-se legalizar eventuais questões de ordem fiscal, pagar pouco IRC e ganhar alguma competitividade.

O ego de certos inventores, chega a roçar o ridículo!  

terça-feira, 20 de junho de 2017

Os poderes estão reféns da vontade de quem tudo quer e faz valer a sua influência (ninguém elegeu o hoteleiro a quem entregam terrenos públicos, e fazem contratos de concessão à medida do freguês). Esta é uma realidade que merece reprovação social.

Em tempos a personagem manifestou o seu interesse na permanência nos corredores do poder de um perdedor e lá conseguiu que o dito amigo, e diz-se por aí também sócio, mantivesse mordomias pagas pelo povo.

Deram-lhe de mão beijada o contrato de lavagem das roupas dos hospitais.

Concederam-lhe autorização para construir um hotel ''low cost'', junto ao complexo do Casino e hotel com o mesmo nome, e ele não se fez rogado e tomou conta de um terreno propriedade da região. Continua a fazer negócio em estacionamentos que fazem parte de uma concessão do governo, tendo o mesmo governo como cliente.

Em Câmara de Lobos foi elaborado um caderno encargos, por um tal Coelho à medida do ''guloso''.

A concessão do Centro Internacional de Negócios foi prorrogada sem concurso público.

As escolas, os departamentos do governo, e os hospitais parece que são pressionados para comprar apenas produtos da Empresa de Cervejas hoje nas mãos dois dois amigos e sócios .

Foi dada utilidade turística a um hotel sem licença e sem condições que parece estar isento do pagamento de IRC (triplicou o número de quartos). Dado sem concurso na Praça do Mar o hotel tomou conta do espaço envolvente, sendo servido por uns portões que a partir das onze da noite, cortam o acesso do povo à praça.

Tudo isto enquanto o amigo e sócio, protegido nas suas mordomias suportadas por dinheiros públicos, lá vai viajando com frequência para a ilha de Man e arredores.


segunda-feira, 19 de junho de 2017

Está à vista de todos!

Só no círculo próximo do chefe, nos gabinetes do poder, nas bancadas do parlamento ou na sede do partido não se vê e aceita a realidade.

Em dois anos apenas destruíram o PSD e provocaram a divisão.

Ninguém trabalha e ninguém fala com ninguém. No parlamento há um ''puto'' convencido que ninguém conhece, que mostra muita falta de coerência nas suas ideias, e revela falta de força.

No governo é o que se vê. Não tem chefia, cada um manda a sua ''papaia'' diária e todos fazem autêntica sabotagem uns aos outros.

Nada se decide mas mesmo assim, ainda se permite a um manga de alpaca vender a loucura de um superavit (continuam a deixa-lo viver na obsessão do pagamento rápido da dívida) enquanto o povo desespera com o estado da saúde e passa dias e dias bem lixado.

O queque da dita economia tem como prioridade os subsídios ao seu irmão para que este possa fazer umas brincadeiras com uns barquinhos à vela no mar, enquanto os seus amigos e respectivas ''madames'' se pavoneiam na tenda montada na Praça do Povo ( palavra e  local que os descarados combateram) realizando à custa dos dinheiros públicos o sonho de um fim de semana numa espécie de ''Mónaco''.

Este a quem deram um tacho no governo nunca há-de perder a sua sobranceria continuando a julgar-se o salvador do Turismo.

Há ainda o ''sem malícia'' em crise e sem coerência no discurso.

O farsante não toma decisões capazes e adia tudo. Veja-se a Escola da Ribeira Brava, cujas obras disse que iriam começar em 2016.

Será que no calendário dele também estamos em Junho de 2017?

Do Hospital nem vale a pena falar.

Com estes ''renovadinhos'' é só passeios compadrios  e conversa fiada, enquanto o povo mantém-se à espera de coisas concretas (até um dia).

Eles tomaram  de assalto o poder e o partido.

Desuniram!

Foram buscar oportunistas, gente sem qualidade e desconhecidos com falta de nível.

É preciso salvar a Madeira!


domingo, 18 de junho de 2017

O povo não tem Serviço de Saúde em condições, os hospitais públicos estão uma desgraça (mais parecem uma ante-câmara para a fatalidade e não um lugar onde as pessoas esperam um tratamento para as doenças de que padecem).

As escolas não têm condições.

Os transportes públicos são caros, inseguros e os meios ao serviço mais parecem sucatas em movimento.

As estradas do interior são um verdadeiro perigo para todos os que as utilizam.

As reformas continuam miseráveis e muitas vezes chegam tarde e a más horas.

Com este cenário de verdadeiro susto a geringonça liderada pelos socialistas e apoiada pelos comunistas e pelos meninos e meninas do bloco, prepara-se para gastar 500 milhões (dizem estes sem vergonha) numa dita modernização das forças de segurança.

Grandes negócios ao serviço de interesses obscuros estão em marcha.

E o povo que se lixe porque o que eles querem é manter o controlo do Estado!  

sábado, 17 de junho de 2017

Ao contrário daquilo que alguns ''espertalhões querem vender a diminuição do número de registados  do serviço de desemprego, não equivale a dizer que o desemprego diminuiu.

Eles tentam ocultar a triste realidade. Há falecidos (sim há mais do que se pensa) há muitos que emigraram, outros que pela saturação da espera, desistiram e entre estes os que perderam o direito ao subsídio de desemprego.

Mesmo assim,  entre os três mil e trezentos que deixaram de constar nas listas há um dado curioso.

Mais de trinta por cento vêm do sector da construção civil e  cerca de quarenta por cento, correm o risco de acabarem a vegetar no desemprego mal acabe a construção do novo hotel Savoy  e terminem as obras da Lei de Meios.

Há uns idiotas que passam a vida a  dizer mal das obras em curso, mas com o cinismo que os caracteriza, aplaudem sem vergonha a razão de haver quem viva de empregos que são meramente conjunturais.  

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O tal que é meio Porto Santo e meio São Vicente, continua a asnear!

Agora numa viagem a Santarém deu-lhe para dizer que a Madeira estava na moda, como se ele um atordoado que por aí anda tivesse feito alguma coisa por isso. Todos nos lembramos do mal que disse daqueles que colocaram esta terra à frente de todos os interesses e interesseiros (alguns infelizmente ainda se encontram no activo).

A criatura tem a triste sina de só abrir a boca para dizer tontices como ainda um dia destes numa teoria a propósito de porcos.

Se houvesse decoro já o tinham posto a andar. Lembrem-se que ainda não há muito, em 2103, nas autárquicas andou a pedir o voto no candidato socialista, hoje presidente da Câmara do Porto Moniz.

Se tiverem memória recordar-se-ão também do seu papel na divisão do PSD em São Vicente.

Agora em mais uma demonstração do seu carácter anda a pedir às pessoas para votarem num candidato (que se diz do PSD) que foi braço direito de Emanuel Câmara no Porto Moniz.

Trapalhadas nunca vistas num partido tomado de assalto por uns irresponsáveis.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Vá lá saber-se a razão, mas a verdade é que a informação (lançada em grandes parangonas) sobre o ditos Panama Papers, secou...nunca mais vimos nada.

Terá morrido na praia ou as ordens do ''tio'' Balsemão que através do seu ''Espesso'' publicou umas coisas sobre o assunto, foram mais fortes?

Por cá parece que existem uns figurões envolvidos no esquema, como o grande hoteleiro e o seu comparsa, um tal que anda há anos a acenar com uma lei que nas suas palavras iria trazer felicidade e folga nas carteiras dos habitantes desta região.

Mas alguém acredita que gente que controla tudo e mais alguma coisa como os jogos de casino, explora empresas e o Centro de Negócios(não pagam IRC) alguma vez iria perder tempo com o bem estar da nossa comunidade?

Veja-se a situação dos pobres trabalhadores das cervejas, que nunca mais viram os seus salários serem actualizados.

Vejam-se os concursos públicos feitos à medida e a ocupação de espaços sem regras.

E o desgoverno que nos saiu em rifa? Assiste e tudo tolera porque está amarrado!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Está comprovada  a forte aliança (vá lá saber-se porquê e por influência de quem, e de que organização) entre o chefe máximo da geringonça e o menino Trindade e mais do que certo com os próximos e cumplicices do rapaz.

É o que chama uma ''valsa'' de aventais. 

Estão todos feitos uns com os outros. Vivem num faz de conta comandado por inglês e para enganar incautos. 

Aquele que ocupa o poder no gabinete que foi de Salazar, muito tem lutado pela carreira do menino. 

Lembremos o processo de candidaturas à Assembleia da República, que quase colocou o ''nosso''pereirinha'' a ver navios. Recorde-se a tentativa de colocar na Caixa o ''menino'' nascido no seio da burguesia e educado pelos ''valores ditos de esquerda'' onde se exibem uns idiotas  que gostam de se apresentar como defensores do povo, desde que este não passe da entrada da criadagem. Caixa que por sinal foi o ponto de partida do seu sócio e amigo íntimo da família, que saltou dos balcões da instituição para os salões da ''alta'' e para os rituais feitos às escuras. 

Nesta caso o chefe da dita geringonça não foi bem sucedido. Bruxelas tinha palavra na coisa e não deu luz verde à nomeação por falta de currículo...que pena!

Entretanto, foi arranjado um lugar de destaque e bem pago no grupo controlado pelo papá e seus amigos, mas agora é que vai ser tudo em grande com o acesso à administração da TAP (o camarada de São Bento o tal que se fartou de dizer que palavra dada é palavra honrada, sobretudo quando é em benefício dos seus amigos e protegidos lá conseguiu).

E anda o povo a suar as estopinhas para comprar um lugar nos aviões que agora também vão ter o nosso ''menino'' prendado a mandar.

Viva o camarada.
Viva a malta do avental.
Viva o socialismo (mas com o povo sempre à distância).    

terça-feira, 13 de junho de 2017

O incorrigível antigo mau gestor de condomínios anda a falar em pagamento de horas???

Fala também de estradas no Arco de São Jorge, Boaventura (obras projectadas e iniciadas pelos governos de Jardim) que tiveram a oposição de figurões do actual governo. Os mesmos que contestaram a ligação Boaventura, Ponta Delgada e Ponta Delgada São Vicente, obras que também vêm dos anos do anterior governo, e que até mereceram o requinte de uma alteração promovida por esta gente para beneficiar um ''vilão'' traidor, dono de um restaurante e hoje feito deputado (prémio recebido pela sua oposição a Jardim).

O incorrigível hoje secretário neste governo demonstra falta de nível e uma grande apetência para ''jogadas''que envolvem interesses pessoais e ''amiguismos''.

É gente como este nível que hoje dá a cara pelo PSD!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O panfleto continua na sua saga corrupta e mentirosa comandada pelos ingleses e seus lacaios sempre que lhes passa ao lado algum negócio ou contrato publicitário. A preocupação é defender (custe o que custar), o grupo e os ''irmãos da maçonaria''.

À mão de semear para o branqueamento,  estão sempre os ''chefes'' e os palermas como um tal Passos, o complexado Cardoso, o inevitável Vítor e um seu próximo conhecido pelo ''orelinhas''. Esta rapaziada está sempre disponível para escrevinhar o piorio logo que recebem as ordens de cima.

Mas, quando as coisas envolvem alguém protegido, um grupo ''muito querido'' como o do conhecido ''cervejeiro'' ou o seu sócio responsável pela desregulação do turismo na Madeira, é decretado o silêncio total.

Já agora, quem é o actual dono da empresa Serlima que sem muito esforço ficou com o negócio da lavagem da roupa do Sesaram pela ''barbaridade'' de quatro milhões de euros, sem concurso público?

Não é muito difícil acertar nesta advinha!

domingo, 11 de junho de 2017

O homem que escolheram para o lugar de representante da República (vive deslumbrado no Palácio Colonial) saiu-se com a ''brilhante'' ideia da necessidade de se concluir a revisão do Estatuto da Região.

Para quê?

Pergunta-se!

Ora se a Constituição limita os direitos e as competência dos orgãos eleitos pelos madeirenses e porto-santenses, se o Tribunal de Contas e o Tribunal Constitucional são crónicos entraves, afinal o que é que podemos esperar depois de anos e anos espezinhados por leis com resquícios coloniais?

Mais do que nunca precisamos é de uma proposta de revisão da caduca Constituição da República.

Precisamos é de uma lei  que alargue e defina de forma clara as competências e os nossos direitos e liberte o nosso povo.

A Assembleia Legislativa aprovou uma lei que recebeu o voto unânime e por aclamação da Assembleia da República, mas os partidos que têm assento no parlamento de São Bento continuam a bloquear tudo o que para lá mandamos.

A isto senhor Representante chama-se cinismo e aberração num regime que diz democrático.



sábado, 10 de junho de 2017

Quando vemos empresários em socorro de fracassos empresariais de políticos é sinal de algo vai mal no ''reino''.

Quem terá sido o intermediário o ''genial'' autor da lembrança e respectivos parceiros?

Que foi um alívio ninguém tenha qualquer dúvida. O problema são as amarras que podem surgir e condicionar muitas decisões no futuro.

Aguardemos os novos episódios da história de um líder capturado!


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Um dia destes mais precisamente no final do passado mês de maio, foi publicada num conhecido pasquim uma notícia (em termos elogiosos) sobre um monstro em ferro construído num dos terrenos propriedade da região cedido ao abrigo da concessão dos jogos de casino.

A vergonha tem sido silenciada.

Não ouvimos os Baltazares, os Welsh, o proto-candidato ''gilinho'', agora também armado em ''ficcionista'', e o ''Tó Pó'' que semana após semana coloca os manos em alta ansiedade, a mostrarem a indignação sobre o aborto e a espécie de ''usucapião'' praticado em terrenos que são de todos. O abuso já vinha detrás com a colocação de barreiras e a obrigatoriedade de pagamento apenas ao povo, em áreas de estacionamento públicas ali mesmo ao lado (parece que abriram uma excessão para os ''renovadinhos instalados na Quinta Vigia).

É caso para perguntar se haverá cumplicidades entre o hoteleiro de sucesso, o seu sócio das cervejas, o careca narcisista e a ''canalha'' que maldizente que espatifou dinheiros públicos num extinto partido político?

quinta-feira, 8 de junho de 2017

O ''saloio'' do Seixal já deu ordens. Num papel mal amanhado, mandou reservar umas caixas (as que restam da pouca produção confirmando a fraca qualidade da bebida) de um dito espumante.

A esperança do antigo deputado, antigo produtor de plantas, antigo dirigente de uma cooperativa e imagine-se locutor de rádio, um verdadeiro ''fossa em tudo''agora armado em enólogo é que haja festa lá para outubro. Como assim, os tipos da Câmara (a turma cafofiana) não tem olhado a custos e são clientes da zurrapa desde a primeira hora.

A criatura de nome Caldeira ''faz-se de socialista'' e já conseguiu colocar na junta de São Martinho um descendente conseguindo assim, alastrar a influência do seu clã na sociedade aqui ao nível paroquial.

Apesar de andar por aí há muitos anos continua a não ter acesso aos salões onde se fazem grandes  negócios e se diz mal e por onde passeia um seu irmão que começou a ver dinheiro aos balcões da Caixa Geral.

É apenas um pontinha do tentáculo de um polvo que anda a comer na mesa dos poderes, a enganar o povo e a contribuir para o descrédito da nossa política.    

quarta-feira, 7 de junho de 2017

O JM não é o Jornal da Madeira.

O JM não é mais do que duas letras que juntaram há cerca de um ano e que depois foram vendidas  por 10 mil euros a uns amigos da Calheta e da Ribeira Brava.

Toda a gente sabe ( pelo menos os mais atentos a estas manobras renovadinhas) que as contrapartidas representam 2 milhões ano em impostos subtraídos ao povo (não são capazes de aliviar o IVA nem o IRS aos mais pobres mas têm toda a abertura quando se trata de satisfazer o ego e os interesses de meia dúzia).

Não tenhamos dúvidas que este ''desgoverno'' cumpriu a promessa feita em matéria de comunicação social. Só que tudo foi feito com enormes custos para o nosso povo e grandes lucros para os donos do panfleto inglês. Continuando a mentir e a traficar  páginas impressas, estes vão facturar 300 mil ano, fora uns cadernos pagos a preços escandalosos, mas que ninguém no seu perfeito juízo irá ler.

Conseguiram ainda fazer um negócio com a diocese (esta saiu do imbróglio limpinha e ainda por cima com direito a uma renda milionária paga pela utilização do prédio da Fernão de Ornelas).

Quem sabe se um dia não veremos de novo nas bancas todas as manhãs, o Jornal da Madeira.

Aqui é que ''a porca pode torcer o rabo''!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Será que a porcaria dos escritos do ''comerciante Tó Pó'' publicados no panfleto é motivo de conversa nas reuniões maçónicas  participadas pelos ingleses que pagam à desequilibrada criatura?

Sabendo-se que o dito foi visto em tempos a sair da Quinta, conta-se que desde então há quem questione  a qualidade da escrita (estará desorientado com promessas ali feitas?).

O certo é que continua a ser submetido à vontade (manipulado) do ''chefe bafos'' e do ''vais com selo'', lançando semana após semana, um verdadeiro pânico na sua ''triste'' família cada vez mais preocupada com o tresloucado que tem no seu seio.

 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Conta-se que as obras da Escola Agrícola de São Vicente foram dadas em parcelas para contornar o obrigatório concurso público.

O beneficiário foi um amigo do conhecido mau gestor de condomínios ''feito'' secretário regional.

O esquema terá sido adoptado também nas obras de recuperação da Feira do Gado.

Acreditem! O homem não sabe tratar de condomínios, mas é um razoável mestre em manobras e revela alguma capacidade na manipulação de aprendizes de política.

Depois de ter desencantado um ''comuna'' para chefe de gabinete na câmara (''personagem'' que  agora se apresenta na lista dos garotinhos sem princípios e verdadeiros oportunistas que vestem os polos verdes em Gaula) como candidato em Odivelas, continua metido em esquemas que um dia hão-de ser desmascarados.

Não tenham dúvidas.

A criatura não presta!

domingo, 4 de junho de 2017

Aquela dos helicópteros e dos aviões para o combate aos incêndios ainda vai dar muito que falar.

Para já está a transformar-se numa ansiedade para o antigo bombeiro e para o seu parceiro vindo do lado de lá  que gosta muito de gin. Gente próxima anda dizer pela cidade que o estado dos dois terá a ver com desenvolvimentos ''prometidos'' que nunca mais se definem. 

Depois de ter sido vítima das desconsiderações do chefe da geringonça só faltava mais esta ao frenético líder que não sabe que mais há-de inventar para se manter nas notícias desta paróquia.

Não há emenda para aquela gente que vive entre traições e negociatas.

Veja-se o caso do aluguer sem concurso de máquinas à Câmara do Funchal, por um familiar do famigerado Freitas. 

São histórias que se contam por aí  à boca cheia!
   


sábado, 3 de junho de 2017

Anda  por aí uma espécie de hiena sedenta. Como muitos da sua espécie desgasta porque vive dos restos.

O sorriso é característico do animal, tal como o seu malabarismo(típico de um engana cristos).

Diz-se que está rico.

Impostos não é com o bicharoco. Tem fortuna feita à custa de herança pouco transparente e é sabida a sua participação na falência de um partido político.

Credibilidade zero!

Fala muito de uma coisa chamada PDM, reclamando regras mas só para os outros, pois são conhecidas as suas falcatruas nuns terrenos onde construiu ao atropelo das leis.

Dá-se com um tal ''Tó Pó'', com o ressabiado Welsh, com o desequilibrado Baltazar e admitiu na sua equipa o triste Dioníso.

É a velha história de vida de um ''gilinho'' proto-candidato!  

sexta-feira, 2 de junho de 2017

O primeiro sinal da falta de decoro aí está.

O tipo que é campeão nas violações ao código deontológico a que está obrigado, o vendido o ''mestre'' dos esquemas estreou o ''passadiço'' da Fernão de Ornelas e já ''deu ao dedo'' nos teclados do novo emprego.

E o que disse???

Imagine-se que ele  acaba  de ''decretar'' o fim da dependência das graças e do estado de humor das forças políticas e das governações. Deve estar a preparar o seu próximo salto para uma das centrais da ''piadagem'' povoadas por uns idiotas que infestam as televisões e as páginas da nossa imprensa.

Afinal não foi por influência e vontade de um dos ''braçais'' do governo que o título JM foi oferecido ao preço da ''uva mijona''.

Quem vai pagar os 300 mil por ano (para o papel)?.
Quem vai garantir a facturação de pelo menos 500 mil por ano em publicidade e na divulgação de patachadas?

É claro que tudo isto e muito mais vai ser alimentado com o dinheiro dos nossos impostos.

No fundo, no fundo... pergunta-se ainda?

Quem terá participado ou impingido a escolha do camacheiro e em que salões foram acertados os valores a pagar pelos seus serviços?

Qual fim de dependências, qual carapuça!
 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

O antigo bombeiro que agora se apresenta como líder socialista não tem emenda e ainda pior continua a ser gozado por todo o lado.

Todos o enganam a começar pelo chefe da ''geringonça'' que o traiu com os verdinhos repelentes de Gaula.

Não será o arquitecto com quem aparece muitas vezes de braço dado, nem o adereço que dá pelo nome de Canha (há que diga que a senhora já não o suporta), nem o barrigudo trafulha (agora aderiu à moda dos calções talvez para aliviar as assaduras provocadas pelo calor que aí vem com o aproximar do verão), amante incorrigível de um copos de gin, independentemente da qualidade do produto. Diz-se que este já bateu em consumo de garrafas o vendedor do Guiness Book, figura que é também apreciadora de rodadas de Whisky.

Os tempos que se avizinham, não serão fáceis para agitado ''líder'' mas não é a disparar para todos os lados  que vai chegar a algum lado.

Toda a gente conhece de ginjeira o cinismo que o caracteriza!


quarta-feira, 31 de maio de 2017

O clã Prada tem-se numa conta que vai muito além das suas reais capacidades.

Não é por um dos seus ter andado (até terem descoberto as suas insuficiências) em uma coisa chamada KPMG e agora ser um dos meninos de mão do famoso hoteleiro e o seu irmão se achar um ''piadolas'' nos blogues e facebook, para dar uma de macho, que a coisa muda. Um revela muita prosápia mas uma enorme  falta de jeito para a grande gestão. O outro muita vadiagem e pouca dedicação ao lugar de deputado da região em que se encontra investido.

O último julgou-se com conhecimentos para mandar uns ''bitaites'' sobre urbanismo e resolveu atacar um empresário que tem dado a sua contribuição para no combate ao desemprego nesta região. A ave de arribação que se senta na assembleia, acha-se com moral para criticar alguém que está a investir na sua terra  (só para o projecto hoteleiro que já existia e que tinha recebido a aprovação pela Câmara então presidida pelo novo chefe, são cem milhões) 

O curioso é assistir ao seu silêncio ensurdecedor face à decisão do mano administrador do hoteleiro de sucesso, que resolveu transformar um hotel de 170 quartos numa unidade de 300 quatros.

Turismo? 
Fiscalização? 

Como?... se o do Turismo faz parte da casta e frequenta os mesmos ambientes ditos ''selectos''.

Todos têm ainda em comum uma certa recaída pelas direitas (Garajau, CDS na sua pior fase, nas cumplicidades com a esquerda da boa vida- caviar- e ainda nas maledicências de salão povoadas por ingleses por outros que gostavam de o ser mas não passam de serviçais e uns patetas que se serviram e ainda se servem do PSD ).    

terça-feira, 30 de maio de 2017

Um dia destes falaram no bairro de São Gonçalo (um projecto que se dizia seria concluído em 2015) e anunciaram a sua concretização para este ano.

A coisa saiu de um tonto desconhecido que se apresentou como ''renovadinho''. O tipo não é conhecido como alguém credível.

Será um simples leitor (porta-voz) de asneiradas cuja capacidade de trabalho é desconhecida. Com sintomas de  ''a louca da farinha amparo'' balbuciou qualquer coisa sobre credibilidade  do parlamento e aos mais atentos a estas coisas, passou-lhes pela cabeça um filme de terror imaginado o anafado ''Adolfinho'' a falar ao telefone com o seu ''amado'' chefe, um tal Tranquada da casa amarela à espera de uma figura de quarta ou quinta categoria para uma audiência de chacha, o ''meia-bola'' do Porto da Cruz a tropeçar nas palavras, o ''cervejeiro' a tratar de negócios pelo telefone e os loucos da Ribeira Brava sem saberem o que fazer...

Mas que raio de coisa!

Não há liderança a sério naquilo?

Credibilidade está mais do que visto que nem com potentes binóculos!    

segunda-feira, 29 de maio de 2017

O ''Tó Pó'' está em estado de desespero e imagina-se porquê. Não são apenas os insucessos profissionais que abalam a cabeça do arruaceiro.

Com uma vida feita de enganos em todas as frentes, tem sido um instrumento ao serviço da vingança e do ressabiamento dos que mandam na folha onde continua a ''chafurdar''.

Será dali que ainda vem algum para alimentar o seus vícios.

O ''criatura'' foi em tempos submetida aos bafos de aguardente e vinho seco subsidiados pelo governo para evitar que certos negócios não dessem para o torto, e então é aquilo que hoje se vê.
 


domingo, 28 de maio de 2017

À socapa como é próprio dos sonsos o golpe está em marcha.

Só falta saber se sempre vai ser construído um passadiço para ligar as duas redacções instaladas frente a frente na rua Fernão de Ornelas.

Talvez acabem por recuar na ideia para não tornar a coisa ainda mais escandalosa.???

O ar ''triunfal'' com que o porta-voz ''sem malícia'' anunciou a obra foi o culminar de mais um capítulo de um enredo protagonizado por alguém sem escrúpulos a quem deram por preguiça e incapacidade ''carta-branca''.

A vergonha em curso está a ser feita mesmo nas ''barbas do povo''. Estão a gozar na cara daqueles que foram enganados e assim acabaram por ajuda-los a consumar o assalto ao poder.

A ''porcalhice'' é uma realidade nesta terra.

O dito ''jornalismo'' agora é mesmo um farsa.

O tráfico e os negócios com os dinheiros de todos vai passar a ser feito sem regras (de certa forma já era assim que tudo funcionava nos últimos tempos) mas preparem-se para assistir ao regabofe e à promiscuidade. Tudo será ao gosto e em função de apetites insaciáveis!



sábado, 27 de maio de 2017

Um dia destes vimos publicada uma foto digna de assustar o mais calmo!

As pessoas que vivem nas ilhas da Madeira e Porto Santo e que se preocupam com o futuro devem ter ficado ''verdes'' de susto ao olharem para umas figuras que se dizem deputadas na Europa (não fazem nada em nome das populações que os elegeram) e para um grupo que incluía um advogado rico, que de peixe e pescas nada sabe. Para compor o ramalhete estava uma criatura que foi investida no cargo de secretário do governo tendo como currículo a má gestão de condomínios.

O dito ''gestor'' teve como chefe de gabinete um ''maçónico'' que agora parece querer candidatar-se à câmara de Odivelas lá pelos arrabaldes da capital do ''antigo reino'' em representação dos aprendizes de ''mafioso'' que vestem os polos verdinhos. A equipa mostrada na foto incluía um ''director de pescas'' com o curso de agente técnico agrícola e que á custa do nome de uma irmã explora um terreno do governo durante o Carnaval.

É o que se chama um verdadeiro emaranhado.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Os militantes do PSD foram bem enganados.

Não há ''renovadinhos'' mas sim ''recauchutados''.

Senão vejamos:

Em Machico há um tal Avelino com mais de setenta anos.
Na Ribeira Brava recrutaram um socialista com setenta e cinco anos.
Em Câmara de Lobos recuperaram um conhecido ex-médico que foi candidato pelo partido socialista com sessenta e cinco anos.
Em Santa Cruz há um mal realizado reformado da RTP à beira dos sessenta.
No Funchal aparece o ex-socialista Adolfo com sessenta anos.
Pela Assembleia anda um antigo candidato do CDS à Câmara do Funchal a quem deram o estatuto de vice.
Há ainda o manhoso ''sem malícia'' com sessenta anos reformado de luxo do Parlamento Europeu e
de outras coisas (vale milhares a reforma do peste).

Esta gentinha merece uma lição!

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O careca fez parte do grupo que muito contestou a Praça do Povo.

Ele também andou de mão dada palmilhando os calhaus (e em comunhão de pensamento) com o contabilista do turismo que nesses tempos não perdia nas bancas de jornais um exemplar de ''O Garapau''.

Em cordão foram vistos o ''menino'' Adolfo e a ''pequena máfia'' composta pelo Tó Pó, Welsh, Baltazar, Dionísio e ainda o milionário gilinho este sim o grande mafioso ainda à solta e agora também proto-candidato.

Agora a Praça serve para tudo.

Aquilo é tendas vip para os queques assistirem ao monótono desfile de barquinhos à vela (chamam-lhes fórmula um dos mares... só deve ser para rir) aquilo é exposição de carros antigos (parece que o dito gilinho expôs o seu Cadillac) com eles a elogiarem sem decoro o espaço cuja construção tanto combateram e denegriram.

Será que pensam que o povo esquece?

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Este país tem tido pouca sorte na escolha dos políticos que tem colocado através do seu voto na  liderança dos seus executivos.

Por aqueles lados (para não recuar muito) aconteceu-nos a ''praga Sócrates'' substituída pelo ressabiado sem qualificações Coelho que massacrou os portugueses como se estes fossem  verdadeiros parasitas iguais a ele, que nada faz ou melhor, nada sabe fazer .

Agora está no lugar o ''espertalhão'' Costa que surfando a onda da ilusão, anda a dizer que estamos a viver uma viragem em termos sociais e económicos.

Costa é uma nova versão da farsa protagonizada por Sócrates e Teixeira dos Santos.

Tudo cresce, até o desemprego, camuflado por números que eles lá pela ''geringonça'' inventam.

As falências continuam, mas a dita ''social'' pouco fala desta triste realidade.

Como nos anos de Sócrates andam a gastar de mais, porque vivem reféns do apoio do PC e do BE.

Apesar de toda esta euforia, mais dia menos dia cai-nos em cima mais uma intervenção externa.

terça-feira, 23 de maio de 2017

A candidata quer aumentar a ciclovia até São Tiago argumentando que falta à Câmara do Funchal políticas de investimento público.

Isto foi dito numa acção de campanha onde a candidata se encontrava ''sob a guarda'' de um antigo socialista, advogado e empresário com mestrado em falência de negócios, uma criatura anafada que é agora deputado do partido do governo e que faz questão de se apresentar como ''amigo de peito'' do chefe.

É difícil de entender a presença deste ente ao lado da candidata , ainda por cima a falar de obras. O governo que eles apoiam e servem limitou-se até hoje a continuar (ainda por cima com erros) obras lançadas pelo anterior executivo e a fazer um estardalhaço com a substituição de coberturas em amianto por telhas.

Isto enquanto coloca uns ''parvinhos'' a falar de buracos nas estradas e ruas.

Linda campanha!


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Há uma teia de silêncio à volta das negociatas envolvendo a comunicação social.

Fazem-se negócios mal explicados (sob a batuta do sem malícia) como é caso do JM, vendido por ridículos dez mil euros, numa jogada que meteu para além do dito cujo a quem deram rédea solta, ricaços e compadres da Venezuela e Miami.

O ridículo é assistirmos a uma cumplicidade silenciosa envolvendo partidos e uns tontos sempre prontos a falar de tudo.

Não se ouvem vozes a questionar este negócio que nos vai conduzir a um ''unanimismo'' perigoso!

Abriram-se as portas aos traficantes de páginas de jornal e das notícias simpáticas (bem pagas).

Uma verdadeira podridão, quando há pessoas a viverem  com o ordenado mínimo, outras com o mísero subsídio de sobrevivência e pior, milhares à procura do emprego que nunca aparece.

O governo não vê mal nenhum quando decide dar à folha inglesa trezentos mil euros por ano.

O mesmo governo e as câmaras acham normal a sua participação no negócio de mais de um milhão de euros para pagar publicidade e suplementos que ninguém lê.

É muito dinheiro em jogo (retirado aos impostos do povo) que dava para construir um tecto para quem vive na rua ou em situações precárias.

domingo, 21 de maio de 2017

A luta de Jardim na denúncia dos poderes ilegítimos comandados a partir da maçonaria, foi dura e ainda hoje, aqueles que tudo fizeram para denegrir a sua governação continuam (agora com a cumplicidade dos novos senhores), a ''vomitar'' o seu ódio ao homem que sempre lhes respondeu com o voto do povo, povo que democraticamente ao seu lado o ajudou em sucessivas maiorias absolutas.

Jardim ganhou sempre e eles perderam e por isso as vergonhosas desconsiderações a que assistimos.

O ''diário'' de propriedade inglesa e os seus escribas com comportamento mercenário, é hoje um panfleto ao serviço do novo poder regional e das câmaras, independentemente das cores destas.

O que é preciso é facturar (à custa dos dinheiros subtraídos aos impostos pagos pelo povo) para os salvar do rombo certo, consequência da cegueira e graves faltas deontológicas, que sempre tentaram camuflar com a palavra ''independente'' escrita nos seus cabeçalhos.

É triste ver a submissão de certa gente que, fraca de espírito e competência, embarca na conversa mole dos seus interlocutores de ocasião.

Interesseiros vamos ver-los um dia a morder as mãos que hoje lhes dão de comer.

Basta secar a teta!  

sábado, 20 de maio de 2017

Agora que já cheira a autárquicas há uns meninos ditos social democratas que num trabalho de lebre (mandaram-nos fazer) começaram a colocar uns pequenos cartazes pela cidade do Funchal.

Falam em buracos nas estradas e ruas da cidade.

Na sua ''brincadeira'' fruto da sua juventude até parece que nunca sairam de casa.

E que tal se dessem um passeio pela estrada regional  Câmara de Lobos-Ribeira Brava, pelo acesso aos Canhas e fizessem o trajecto que nos leva até ao Poiso (a poncha é muito boa por lá) e assim ficariam a conhecer a obra do ''sem malícia'' o rei dos buracos que rebentam os carros e os rins dos seus ocupantes.

Esta personagem a quem deram protagonismo no governo mete o Cafôfo no bolso no que diz respeito as estradas em mau estado.

Num outro cartaz os ditos meninos falam no apoio aos idosos, mas ignoram que essa é uma obrigação da segurança social, instituição que recebe a colecta das pessoas e não da Câmara.

Não é nem pode ser IPSS.

Habitação é competência de uma coisa chamada Instituto da Habitação.

Estes instrumentalizados deviam saber que as câmaras da região não têm acesso aos programas nacionais.

Fazer o papel de lebre acaba sempre mal!

Se querem fazer campanha façam-na pela positiva e deixem de ser manipulados.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Não há volta a dar.

Esta gente está no governo mas comporta-se como que se estivesse numa simples autarquia (com o devido respeito).

Nos dias de plenário aquilo é de bradar aos ceús. Quinze mil euros para um instituição social, pagamentos de expropriações de 2010 e pouco mais.

Será que eles às quintas-feiras jogam à bisca para passar as horas após o almoço?
Num gesto de idolatria ouvem piano tocado pelo ''mais amado''?

Com todo o respeito que merecem as câmaras e os seus responsáveis, é preciso guardar as distâncias.

Governar uma região obriga a ter certas capacidades que manifestamente há quem não tenha.