quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Até parece que vale tudo nestes tempos que estamos a viver.

Agora é o antigo bombeiro e por enquanto líder socialista, a fazer uma visita a Machico tentando conquistar as simpatias  do recandidato, falso como Judas.

O tipo sujeita-se a cada uma. Sabe que por ali todos lhe querem ''espetar a faca nas costas'' mas mesmo assim recorre à mentira para agradar ao anfitrião (grande frete fez este na recepção ao ainda líder) afirmando que esta câmara que se encontra de saída, pagou dívidas deixadas pela vereação PSD. 

Este desorientado e sob pressão dos caldinhos armados pelo ''vermelhão'' e pelas traições do vilhão de Santana, gosta de  fazer gala de uma grande sabedoria (na verdade é um incapaz)  em contas e em estado de desespero tem o descaramento de alinhar na burla dos responsáveis machiquenses que nada fizeram pelo seu concelho nos últimos quatro anos, a não ser pagar a preços exorbitantes cadernos de propaganda que ninguém lê na folha inglesa. 

Ainda por cima lá pelo leste da ilha ninguém respeita o homem.

 


terça-feira, 22 de agosto de 2017

Ao que isto chegou!

Agora governa-se a Região Autónoma da Madeira em função de pareceres de ministros do governo de Lisboa.

E ainda por cima vai ser preciso esperar pelo ano que vem para ver se a promessa levianamente apresentada para ganhar eleições vai mesmo ser concretizada.

O mais certo é a senhora do ministério que deu o parecer favorável e o rapaz que garbosamente comentou notícia para toda a ilha ouvir, já  não se encontrarem em funções governativas  quando alguma coisa apontar no horizonte (se é que isso irá acontecer algum dia)

Povo enganado!


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Estamos no Dia da Cidade do Funchal e espera-se que o bom senso impere e não tenhamos de ouvir  discursos tontos e disparates de campanha eleitoral.

Esta Câmara que só se mexe sob um gritante artificialismo comandado por uns ditos ''experts'' contratados em Lisboa, tem gerido muito mal as embrulhadas em que se meteu nestes dias e semanas que correm em ritmo acelerado para o momento da verdade.

Então, faz lá algum sentido a trapalhada à volta da construção do novo Savoy que obrigou à suspensão de uma parte da obra, e ali mesmo ao lado se deixar nascer na ''paz do senhor'' uma pouca vergonha que insulta uma vizinha peça arquitectónica de referência que ali nasceu há décadas e valoriza o património da cidade.

Nem estacionamentos o mamarracho tem. Pelo o meio houve ainda um fechar de olhos dos senhores da câmara ao abuso cometido em um hotel acabado de mudar de mãos( à socapa e sem licença diz-se que terá passado de 120 para 240 quartos).

Fazer política e ainda por cima em orgãos do poder autárquico, exige competência mas sobretudo falar verdade.

Ainda há dias, minutos antes da tragédia no Monte ouvia-se em directo nas rádios  o recandidato a falar de milhões e mais milhões, projectos prontos ou simplesmente alinhavados para a entrevista de oportunidade (o homem não pode ver um microfone, uma máquina fotográfica ou uma câmara de televisão e nisso já bate uma certa figura que tem a mania de se posicionar ao lado de importantes de Lisboa sempre que eles aqui desembarcam)

Pelos vistos os ''estrategos'' ao serviço da campanha do ainda presidente da autarquia funchalense agarraram-se arraial do Monte para promover e vender o seu cliente àqueles que eles tinham por potenciais eleitores, mas a desgraça que se abateu no local  tudo desmoronou, e foi o que se viu.

O sorriso que era então imagem de marca e ajudava a esconder a pouca substância, desapareceu e quem sabe nunca mais será visto...

Neste capítulo há quem se tenha escondido (nas actuais circunstâncias a possibilidade de sair asneira era  elevada).

Na verdade as ideias até agora apresentadas, o programa e uma notória falta de jeito não auguraram grande coisa e então toca a respeitar um certo ''silêncio de ouro''.





domingo, 20 de agosto de 2017

                                                                 Esclarecimento      


Nos últimos dias este blogue foi alvo de um ataque manhoso e por isso convém clarificar as coisas.

Colaboram connosco um conjunto de cidadãos livres representado várias correntes de opinião.

No dia a dia são aqui desmascaradas certas figuras que circulam pela nossa vida política colocando à frente de tudo os seus interesses particulares ou governando de forma sonsa julgam-se acima da crítica.

Já atingimos o meio milhão e visitantes e isso quer dizer alguma coisa.

Um direitolas que se instalou no partido do poder regional (onde ainda se mantém) para fazer prosperar os seus negócios e os dos seus amigos, apareceu a atacar e a fazer insinuações próprias do seu mau caráter.

Pelos vistos incomodado com as verdades aqui publicadas, recorreu a ''amigos'' na dita social (por acaso crónicos maldizentes do partido a que ainda pertence) os quais porventura tementes das suas pressões publicaram com a imagem da criatura um chorrilho de insultos a pessoas que não fazem parte nem nunca integraram o grupo de colaboradores deste blogue.

Não caro ''senhor'' Alberto João Jardim o homem que apadrinhou a sua ascensão na sociedade madeirense e que foi para si um intocável, vemos agora por puro oportunismo, (sabemos das suas confissões e reconhecimento sobre o papel do antigo presidente na sua carreira política, conhecemos a sua ficção sobre uma imaginária discussão com o seu mentor inventada no ano da sua dispensa do executivo regional em 1992 para justificar o seu fracasso na governação, temos conhecimento das suas desconsiderações ao politico que o amparou, feitas em bares elitistas da cidade) não tem nada a ver com aquilo que aqui se denuncia.

Registe.

Não escreve, não manda escrever, não orienta, não tem nada a ver com este blogue.

O tiro ao lado abrange também a sua suposição sobre um político já retirado Deixe-se de insinuações também este seu antigo companheiro das lides parlamentares não tem nada a ver connosco.

Não tem, nem nunca teve!

Entenda de uma vez por todas que foi o seu crónico comportamento (má língua) que o queimou na opinião dos madeirenses e porto-santenses, que precisam de trabalhar todos os dias para terem uma vida minimamente decente e pagar os custos das suas vergonhosas mordomias.

Deixe-se de invenções e de gabarolices de areal, o ''senhor'' não conta para as pessoas comuns desta terra.

Muitos ainda se recordam da sua vaidade sobre um convite de recurso que terá recebido de um primeiro- ministro de pouca duração, alguém que foi constantemente ridicularizado nas suas jornadas de má língua nos ditos bares.

São também conhecidas as suas ameaças à estabilidade da actual maioria parlamentar e as críticas que costuma fazer aos novos dirigentes do seu??? partido agora cinicamente elogiados, ao mesmo tempo que lhes dedica desconsiderações e desejos de insucesso nas tertúlias elitistas que costuma frequentar.

Estamos num país livre.

Os que aqui se expressam são muitos mais do que aquilo que imagina.



      

sábado, 19 de agosto de 2017

O Estado da Arte por estes lados anda muito mal.

Assim, vamos assistindo à falta de substância e qualidades de uns quantos que vivem o desespero de uma eventual queda. As aselhices e as intromissões em matérias para as quais não têm legalmente qualquer competência para intervir (a precipitação sempre foi mal conselheira) têm sido tantas e tudo pode acontecer...

Por outro, lado há os falhados (Que falhou ou correu mal; fracassado, malsucedido ...diz-se de um indivíduo a quem faltam as qualidades precisas para triunfar ou alcançar objectivos - Priberam Dicionário). Estes vivem em estado de negação e face aos revezes da vida, entram muitas vezes em delírio, e quando assim acontece pouco há a fazer.




sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Nem perante a tragédia esta gente mostra ter alguma sensatez.

Há gente a sofrer a perda de familiares e muitos a viverem o trauma de terem assistido à tragédia mas  continuamos a assistir ao oportunismo de políticos a sacudir a ''água do capote'' como se fosse mais importante a sua sobrevivência nos lugares que ainda ocupam.

Desavergonhados, bestas, incompetentes é o que são!

Não vale a pena virem para a dita ''social'' alimentada pelos dinheiros do povo (decisão dos próprios como se a população já não os tivesse debaixo de olho) com ''piadosas'' ajudas decididas em gabinetes porque nunca hão-de libertar-se das suas responsabilidades.

As prioridades são outras mas infelizmente a fome de poder tolda-lhes a cabeça.

Partido da abstenção para ver se acordam!



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Como afirmou o antigo director regional das Florestas as árvores nem sempre morrem de pé.

Chamado a intervir no Monte, um dia depois da tragédia, o antigo responsável disse algumas verdades que deviam envergonhar aqueles que tentaram denegrir a sua acção no passado.

Passado este tempo, a casta de emplastros que costuma apresentar-se como ''perita'' em património natural, em ambiente e florestas (revelando afinal muita ignorância) anda desaparecida (o vaidoso fundamentalista que em tempos passou pela vereação da câmara deu tímido sinal de vida numa folha continental de pouca circulação e não teve grande protagonismo).

Agora colado a uma candidatura perdedora (a qualidade do número um da lista faz chorar as pedras da calçada) surgiu o substituto do profeta da desgraça na vereação da câmara do Funchal antes do período cafofiano. Apareceu no seu habitual registo cheio de arrogância a falar de limpezas e intervenções nas árvores do Largo da Fonte. Se saiu muitas vezes do gabinete, como disse, para acompanhar os trabalhos está mais do que visto que só lá esteve a atrapalhar.

Àqueles que andam a refugiar-se na ausência de qualquer sinalização??? na árvore que provocou o  desastre (desculpa esfarrapada) como é caso do recandidato careca, recomenda-se decoro face a tudo o que sucedeu.

Já agora e é de borla... este senhor devia mandar verificar os plátanos da zona turística da cidade, em particular na Estrada Monumental, que por decisão sua e da equipa que o acompanha, está transformada num autêntico calhau de ribeira.

Se no futuro tiver de enfrentar problemas na esgravatada zona não repita a vergonha da falta de sinalização.



   

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Aquele que era um dia de festa transformou-se num dia triste para a Madeira e para toda a sua população.

Há mortos, dezenas de feridos internados no hospital, sofrimento, muito sofrimento.

Foi um dia negro.

Foi um malfadado dia que transformou um momento de devoção e festa em angústia, trauma e perda.

Agora há gente a sacudir eventuais culpas, e sem respeito pelas pessoas que mais sofrem, a politizar tudo num triste espectáculo á frente das câmaras de televisão, nas notícias das rádios e nas páginas dos jornais.

Aqueles que se encontram em sofrimento, não são merecedores deste triste espectáculo onde são protagonistas actores políticos com responsabilidades na vida da nossa comunidade.

Lembremos o triste acontecimento com a queda de uma palmeira também em pleno verão no Porto Santo. Na altura houve gente de dedo apontado ao antigo presidente do governo num condenável acto de oportunismo e má fé. O presidente da Câmara da ilha na altura chegou a ter de suportar os tribunais de forma injusta.

Tragédias como esta agora verificada no Monte infelizmente acontecem.

Respeitem o sofrimento daqueles que perderam familiares, daqueles que têm próximos no hospital e de todos os que estavam lá quando se deu o triste acontecimento que vai perdurar na memória dos madeirenses.    

terça-feira, 15 de agosto de 2017

O frenesim do advogado/deputado da situação trás água no bico, nunca é de mais lembrar.

Criado nos ambientes da velha escola da direita CDS, cresceu e depressa mostrou vontade de experimentar caminhos com outras ''garantias'' de futuro. Nunca mostrou um brilho por aí além na sua ''estadia'' no parlamento da Avenida do Mar.

Até parece que anda a receber ordens para perseguir o investidor do novo Savoy um empresário que comprou e está a construir um hotel com projecto aprovado pela Câmara do Funchal nos anos do novo chefe da situação.

Há quem se questione, e bem, se tudo não terá a ver com um conluio com os mandantes do vizinho do lado onde se sentam na mesa do conselho de administração um familiar muito próximo e um lobista profissional que só vê dinheiro e também por isso, regista no seu currículo vários fracassos políticos .

O certo é que nos escritos do advogado/deputado, ainda não saiu uma frase, uma dúvida, apenas uma dúvida, sobre a legalidade do caixote que está a nascer num parque de estacionamento público sem estacionamentos e regras mínimas de segurança.

Como político a criatura em questão, nunca mostrou nada de jeito Como traficante de influências e agitador tem revelado algumas apetências.

O problema é haver gente a dar cobertura a este incompetente.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

É nos tempos pré-eleitorais e eleitorais que vê às escancaras o perfil e a baixa qualidade de certos políticos que assumem sem vergonha na cara o papel de vendedores de ilusões e promessas que sabem de antemão nunca poderão cumprir.

O mal é geral e vai de uma ponta a outra quase sem excessões.

São candidatos às Câmaras da Região sob bandeiras partidárias, integram coligações, dizem-se independentes, mas todos falam de obras, de estradas, de caminhos, pavimentações, até de museus, de centros de saúde, hospitais, habitação social, chegam ao ponto de anunciar casas para os carreiros, prometem mais rotundas e centros cívicos, portos, um ror de coisas...

Depois temos a governar a actual situação em modo de pausa o tal do superavit o ''sem malícia'' que parece abominar obras embora lhe tenham confiado a gestão da ditas, aquele do barco que nunca chega e que assinou o roubo das passagens aéreas, o do inhame e dos cuscuz...

Entretanto, passado este tempo eleitoral, aqueles que se encontram actualmente em actividade frenética tentando enganar o nosso povo, recolhem a uma espécie de base. A excepção são de uns sem vida para além da agitação política, a qual lhes garante a ''mesada'' a cada dia vinte.

Passado este tempo de mentira e aldrabice à falta de melhor, virão novas sobre o malfadado superavit. sobre ciência e tecnologia???, informática, mar, céu...tudo menos aquilo que ouvimos prometer.

Partido da abstenção para dar uma lição a esta gente sem palavra e incompetente!      


domingo, 13 de agosto de 2017

Consta que o contabilista que descobriu a curiosa conta, três vezes dois igual a nove, deu um salto às Canárias para ter um encontro imediato com o armador dos navios com nome de vulcão, um tal  Armas, que em tempos escancarou as portas do seu escritório para uma sessão de propaganda político partidária, do sabe tudo sobre cerveja, refrigerantes e não apenas...

Cheirando a negócio resta saber se o conhecido lobista o acompanhou nesta saltada ao arquipélago vizinho.

Depois das fuçadas que o queque tem feito nas festas de Carnaval, da Flor e do Fim de Ano, e da entrega ao mano da organização de um evento de qualidade e projecção duvidosas (suportado com dinheiros do povo) só faltava agora mais esta.

Será verdade?

 

sábado, 12 de agosto de 2017

Preparem-se para assistir a um grande ''acontecimento''.

Consta que o novo chefe se prepara para mudar de armas e bagagens para a Casa Branca.

A diferença é que por aqui, a futura residência oficial??? está pintada em tons rosados e não tem sala oval.

Depois do cheiro a rosas e de uma breve adaptação à zona fina e turística, tudo estará já preparado para a mudança.

Será verdade?

Acreditar, não é fácil mas depois de termos visto e assistido a tanta coisa...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

''Não tenho lobbies familiares em nenhum sector de actividade e por isso não tenho de ceder a nenhum deles''

A frase é de um repescado para a situação como prémio pelo seu ''combate'' às políticas e a pessoas do partido agora obrigado a atura-lo.

Confuso??? Dê uma grande e sonora gargalhada.

''O poder é perigoso e exige os pés na realidade''

Agora sorria, sorria, apenas...esta parece que saiu da boca do novo chefe ao falar  com uma senhora fina, da alta sociedade lisboeta, que de vez em quando gosta de se apresentar como jornalista, tendo sempre à mão uma ''toilete'' adaptada a todas as situações, patrões, políticos e estações.

Deve ter sido lindo de se ver tanta pedantice junta...

 



quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Parece que há turbulência na folha inglesa.

O  ''bafos'' estará a ver-se em  palpos de aranha. Depois de anos e anos a trair julgando-se muito esperto, jogou em vários tabuleiros e agora pressionado pela necessidade de facturar sem olhar a meios terá metido a ''pata'' na lama.

Por conveniência (tem corrido muito dinheiro dos lados do careca e não só) o ''nosso'' antigo cura, voltou-se para o ambicioso recandidato, mas agora a CNE estava atenta (já são muitas no currículo) e  pediu-lhe explicações.

Já num passado recente ele foi multado e constituído arguido levando consigo o homem de confiança da família inglesa proprietária da folha (especialistas em fazerem política à sucapa nesta terra) por ter andado a proteger candidaturas alinhadas com a sua ideologia.

São conhecidos os seus conluios com o também antigo cura Edgar e com um ainda em exercício na paróquia de São Roque. A este último deu carta branca para escrever umas reflexões tontas, tendo obtido para isso o acordo do mandante que tem acima, mas também do patrão inglês que quer é ver dinheiro a entrar.

Pudera, com este desnorte e falta de categoria dos instalados nos centros de decisão a facturação lá vai andado.

Os da nova situação, mas também os pretendentes às cadeiras do poder são o pão que tem alimentado a gula da folha ainda em estado de agonia financeira.

Neste último caso estão a lidar com um espertalhão ambicioso que dá mostras de saber mais da poda do que eles todos juntos.

E assim  entre ''bafos'', traições, falta de deontologia e mexendo em muita porcaria lá vai andado a aliança entre a política e a dita social,  nesta terra.
    

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Há muita gente a criticar e bem, a ''falta de regulação'' em matéria de conflito de interesses na classe dos agentes políticos.

Lembre-se que existe com aplicabilidade tanto na República como na Região Autónoma da Madeira e na Região Autónoma dos Açores um Regime Jurídico de Incompatibilidade e Impedimentos dos Titulares de Cargos Políticos e... Altos Cargos Políticos.

Aqueles que criticam o comportamento de certas figuras, têm toda a razão, porque sem qualquer reserva e decoro há muita gente que à descarada mostra estar a marimbar-se para a lei.

Há abrangidos pelas ditas incompatibilidades a dar pareceres jurídicos ao governo, outros a fazerem estudos económicos para Institutos sob a tutela do governo, gente na mesma situação de impedimento  envolvida em estudos de projectos agrícolas para o governo e para as autarquias, outros armados em professores a darem aulas particulares remuneradas, etc...etc...

Não há decoro.

Há um deputado agora muito activo nas redes sociais, não se percebe bem a razão, (mas vindo de quem vem é preciso estar atento aos desenvolvimentos do frenesim) a dar pareceres pagos, a fazer tribunal a receber clientes nos intervalos dos plenários da Assembleia Legislativa, há uma figura de topo na actual situação a usar o seu cargo para dar emprego a antigos funcionários do seu escritório (aliviou a folha salarial à custa de dinheiros públicos) tudo isto enquanto vai dando umas dicas a um familiar  jovem advogado, outro na zona oeste da ilha em negócios com emigrantes, não esquecendo o político falhado que se mantém nos corredores do poder a fazer lóbi e que há muito transformou o gabinete que lhe foi atribuído em central de comando das empresas e interesses a que se encontra ligado.

Haverá nesta terra alguém interessado em acabar com esta pouca vergonha?  

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Agora é a Comissão Europeia a levantar dúvidas sobre a prorrogação da concessão do CINM e da zona Franca da Madeira ao ''quase dono desta coisa toda'', um tal que tem um lobista de serviço no aparelho que comanda a situação, o qual tem sido muito apaparicado ao longo dos anos ''dedicados'' ao crescimento e influência do grupo empresarial do seu amigo e há quem diga sócio em muitas áreas de negócio (povo enganado).

Os contornos desta parecia são escandalosos e chegam à manipulação e controlo da matéria publicada  na folha inglesa que tem ao seu serviço um próximo do lobista.

Tudo funciona em função de uma certa chantagem. Ou publicam matérias simpáticas, ou então não há publicidade para ninguém.

O mandão parece que tem por hábito puxar dos galões lembrando que é o presidente da Empresa de bebidas com excesso de açúcar e cerveja com cheiro e gosto a água de tremoços (consta que já entrou nas instalações da folha numa gritaria, por ter saído qualquer coisa que não foi do seu agrado).

As ordens são claras!

-Estão proibidos de dizer mal do negócio da Praça do Mar, não se atrevam a questionar a benesse dada pelo de Câmara de Lobos, nem se ponham com dúvidas sobre a legalidade do caixote em ferro da Avenida do Infante. Quanto ao aumento dos quartos no antigo Regency,  esqueçam, não toleraremos um única linha. Licença??? mas qual licença...aquilo foi tudo feito dentro da ''legalidade''. O careca até que tem sido um gajo porreiro.

- Não chateiem agora estamos a cheirar rosas.

A quem estamos entregues...



  

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Inqualificável é o mínimo que se pode dizer do aproveitamento que o ''cada vez mais dono da ilha'', os seus serviçais e sobretudo o grande lobista e sócio, fizeram da visita do chefe e rapaziada próxima, às instalações da empresa hoje nas mãos do personagem que fala alto e anda a consumir dinheiros públicos em mordomias à custa da política (um escândalo sem justificação ainda por cima em favor de um falhado politicamente).

O dito ''figurão'' aproveitou o momento para desencadear um acção de marketing manhoso, e teve o descaramento de dizer que a empresa a que preside (é longa a estória que o levou ao lugar) pagou em 2016 dez milhões de euros em impostos. Não falou foi do número de trabalhadores que mandou para casa praticamente de mãos a abanar ou obrigou a engrossar a lista dos desempregados inscritos no centro de emprego.

Convenientemente também ocultou o facto da sua empresa ter  recebido do orçamento da Região cinco milhões de euros a fundo perdido (não foi há muito).

Aquilo é um verdadeiro sorvedouro de dinheiros públicos.

Exemplos não faltam!

Para se instalar no Parque dos Socorridos recebeu cinquenta milhões.

Para ficar com a parte da Região na empresa, já com ''espertalhão'' lá metido, fizeram uma permuta com um terreno sem muito valor em São Gonçalo onde não se pode construir.

Assim se fez e faz fortuna sem muito esforço nesta terra.  

domingo, 6 de agosto de 2017

A ''figura'' conhecida pelo nome de meia bola, um que gosta de se apresentar como referência da política da actual situação no leste da ilha, apelou à defesa da dignidade da Assembleia (sim o orgão que mais parece uma Assembleia Municipal ou de freguesia, com todo o respeito que merecem estes orgãos autárquicos).

Sim é preciso dignificar o primeiro orgão desta Região Autónoma, mas isso só será possível no dia em que criaturas da sua estirpe deixarem de o frequentar. O tipo é um híbrido que se faz passar por defensor de Machico, mas continua a viver no Funchal. Tem um percurso feito de bajulações a aspirantes ao poder.

Foi assim que se comportou num passado recente.

E que tal se deixasse as meias bolas que lhe toldam a cabeça e o fazem ter dificuldade em distinguir um copo de água das ditas.

sábado, 5 de agosto de 2017

Na zona nobre da cidade está a ser construído um ''paiol'' em ferro que é uma vergonha.

 Um arquitecto brasileiro que que Deus o haja, se fosse vivo teria morrido de susto se visse o ''aborto'' que está a prejudicar a sua obra ali ao lado.

Mas, que fazer, a câmara autoriza a porcaria que descaracteriza toda a área que devia ser preservada, o caixote nem estacionamentos tem, zona verde só por imaginação e os funchalenses que comam e calem, é infelizmente o lema da política vigente na actual situação.

O descaramento foi engendrado nos gabinetes do sul-africano, não muito longe do ''crime'' com o apoio de um rapaz feito administrador, que ao menos em nome da decência, devia ter em conta os laços familiares que o ligam a quem tem a responsabilidade de cuidar do ambiente nesta terra.

O grupo responsável pela aberração habituou-se a mandar nisto tudo, trocou um cabeço pelo Centro Internacional de Negócios, em troca de favores conseguiu o Casino, triplicou o número de quartos nas suas unidade hoteleiras, sem as devidas licenças da Câmara e do Turismo e consegue sem muito esforço concessões e concursos como um em Câmara de Lobos feito à sua medida, tudo com a ''little help'' do conhecido cervejeiro que continua, vá lá saber-se porquê, a frequentar as mordomias e os corredores do poder, apesar de serem conhecidos os seus fracassos na vida política local e o desprezo que o povo tem pela sua figura.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Eles andan todos muito satisfeitos com a uma imaginária baixa do desemprego.

É o ''querido'' Presidente em Belém, é o chefe da coligação com os comunistas sem vergonha  apoiantes do louco Maduro da Venezuela, e com as meninas da extrema-esquerda da boa vida, é o chefe da situação que se vive por aqui, é o homem dos Açores.

Ávidos de propaganda manhosa, esta gente tenta esconder uma realidade bem diferente que faz milhares de cidadãos deste pobre país e neste cantinho à ''beira mar plantado'', viverem em sofrimento condenados a um flagelo que parece não ter fim.

É claro que a dita social, impressa falada e televisionada, não está para denunciar a aldrabice e a mentira pois vive em conluio com os poderes e factura à custa dos dinheiros públicos.

Na realidade  o que mudou na questão do desemprego foram os critérios  utilizados para o apuramento dos números. Agora aqueles que se encontravam inscritos e ao fim de certo tempo não se apresentaram nos serviços ou não responderam às notificações, foram imediatamente abatidos das listas. A verdade é que muitos em desespero optaram pela imigração, outros infelizmente já faleceram e outros deixaram de acreditar ou perderam o interesse, abandonando a via sacra a que foram condenados, e acabaram por perder o direito ao subsídio.

Assim, toca a limpar as listas e a propagandear uma baixa que não é verdadeira.

Depois temos os jovens em situação de primeiro emprego, sem direito a subsídio, que nem se apresentam nos serviços. Já sabem que a sua vida não se resolve em corredores onde vigora uma desmotivadora teia burocrática.

Entretanto, aqui na Madeira, mais de dois mil encontram-se numa espécie de formação no governo, nas câmaras e nas empresas públicas, mas não se devia (não é ético) chamar emprego a uma coisa destas.

Mas que fazer? Serve para mascarar a maldita lista dos desempregados na Região!

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O ''nosso contabilista'' está a transformar-se num verdadeiro mestre em decisões desastradas e merecedoras de gargalhada geral por colocarem a nu a sua incompetência...mas infelizmente quem sofre as consequências é toda uma população que não escolheu a figurinha para o lugar  e vê-se a braços com a presença deste ''baralhado'' no centro do poder regional .

Depois de ter ido a Lisboa buscar um antigo assalariado do ladrão Coelho (diz-se que terá recebido uma cunha vinda do lado de lá para cobrar a dívida que tinha com o ressabiado que, recorde-se deu ordens  aos novos senhores para integra-lo no executivo que ainda se encontra em funções) que impôs aos madeirenses e aos porto-santenses juros altos e um insuportável garrote financeiro, obrigando o nosso povo e as nossas empresas a pagarem o IVA o IRS e o IRC mais altos de Portugal, o ''contabilista'' é agora acusado pelas finanças nacionais de ser responsável pelo aumento das despesas públicas e do défice do país???

Então não era ele o grande propagandista do ''maravilhoso'' superavit das nossas contas?
Não era ele que andava de peito ''cheinho'' a dizer que a Região estava a contribuir com as suas políticas de superavit  para a diminuição da dívida nacional e do défice português?

Será que este cavalheiro tem conhecimentos de matemática?

Uma coisa é certa tem vaidade que basta, e faz jus àquela máxima que diz...''se queres ver um vilão põe-lhe um chapéu na mão''.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

De vez em quando aprece por aí em páginas de jornais e na televisão um que se diz de direita (extrema?...falta-lhe categoria e conhecimento para isso) a falar de futebol.

Embora tenha um papá que andou pela folha inglesa a ''bitaitar'' sobre pontapés na bola, não se reconhece ao rebento talento para tal...não passa de um cinzentão que se julga acima das suas reais capacidades.

Parece que se passou de armas e bagagens para o folheto da segunda divisão e veio agora armado em grande pensador, falar de regresso ao passado.

Qual passado???

Se não fosse esse passado recente, porventura não tinha chegado a lado nenhum. Com as políticas e a qualidade da maioria dos líderes que seguiu no ''seu'' CDS (carreiristas como o senhor Rodrigues por exemplo) a Madeira estaria na miséria e sua população continuaria a ser tratada como portugueses de segunda.

Com o ''seu'' CDS, vingaria a mentalidade agachada e a submissão ao colonialismo de Lisboa.

Estamos perante mais uma ave rara sem categoria para voar. Um galináceo de nome Rosa.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

As duas porcarias que se imprimem nesta terra inventam e mentem sem decoro.

O que interessa é agradar aos clientes fieis sobretudo aos mãos largas que mexem nos dinheiros do povo.

Quando se trata de números é  um ''ver se te avias''.

A folha inglesa disse que estiveram no Porto Moniz, 50 mil, quando foi da Expomadeira, falou em 70 mil, na festa do partido da situação para assistir à barbaridade do discurso do aldrabão, 23 mil. O papel de segunda vem com a ''brincadeira'' de 100 mil em Machico, na tal festa antecedida do suplemento que limpou mais uns milhares aos dinheiros do povo e a que ninguém ligou ou chegou a pegar para passar os olhos (a excepção deve ter sido o pagante que anda lá pelo leste a enganar as pessoas)

É o que se chama ''regar''.

Segundo o último censos a Região Autónoma tem uma população de 230 mil, nos quais se incluem  reformados, adultos, incapacitados, jovens, crianças e bebés, mas a porcaria que se imprime por aqui, vive num delírio bem pago e nem cuida de coisas básicas como a credibilidade a seriedade, e de um tema que lhes devia dizer alguma coisa...deontologia!